ATP - CEF

 

Como Fazer Um Plano de Ação: Passo a Passo e Ferramentas

 

Plano de ação é uma ferramenta que traça uma metodologia para a conquista de objetivos. Trata-se de um planejamento que define ações necessárias para atingir objetivos, cronograma e prazos, responsáveis por cada tarefa, recursos financeiros e humanos necessários e acompanhamento de resultados.

Para aprender como fazer um plano de ação, é preciso se concentrar em quatro pilares fundamentais: a iniciação do projeto (traçando os principais objetivos e metas), o planejamento (estabelecendo as ações), a execução (tomando as medidas), o monitoramento (avaliando os resultados).

 

O plano de ação é um recurso de gestão essencial para a conquista dos objetivos organizacionais.

Esse tipo de planejamento é primordial para o desenvolvimento de estratégias que permitirão atingir os objetivos traçados.

Tudo por meio da definição de atividades, prazos, responsabilidades e metas.

 O que é plano de ação?

 

Plano de ação é uma ferramenta que traça uma metodologia para a conquista de objetivos.

O plano de ação é utilizado na montagem do Planejamento Estratégico das empresas.

Trata-se de um planejamento que define ações necessárias para atingir objetivos, com cronograma e prazos, responsáveis por cada tarefa, recursos financeiros e recursos humanos necessários e também pode ser feito o acompanhamento dos resultados.

O plano de ação é o mapa para o caminho que deve ser percorrido pela empresa no intuito de alcançar as metas que foram definidas.

Direciona todas as ações da equipe à luz de metas bem definidas.

 

A importância de fazer um plano de ação

 

Podemos definir o principal benefício do plano de ação como sendo sua eficácia para o alcance de objetivos organizacionais.

Assim o plano de ação é uma ferramenta crucial para toda empresa que busca o crescimento.

O plano de ação traça o caminho mais eficiente até o ponto desejado, o que significa economia de tempo e dinheiro.

o único jeito de transformar um objetivo abstrato em uma realidade alcançável é por meio da criação do plano de ação, esta frase foi dita por "Ray Silverstein, presidente da President’s Resource Organization".

Como fazer um plano de ação

 

1. Iniciação

 

O primeiro passo é definir os objetivos que você deseja alcançar.

Eles estabelecem aonde você quer chegar.

Esse é o ponto de partida para a elaboração de todo o plano de ação.

O planejamento vai levar a sua empresa ao ponto desejado.

Aqui é importante a empresa entender que só é possível chegar à algum lugar quando se sabe onde quer chegar e isso torna possível traçar um caminho.

Para isso, você precisa definir, de forma clara, quais são os objetivos organizacionais.

 

2. Planejamento

 

Definidos os objetivos, é hora de começar o planejamento.

Ele consiste em estabelecer as ações e recursos necessários para chegar ao estado desejado.

É nessa fase que você vai desenvolver o pensamento estratégico e a tomada de decisão.

Ao elencar as ações, crie metas, que são estágios para o alcance dos objetivos.

Elas devem apresentar diferentes prazos: curto, médio e longo.

Dessa forma, cada ação elencada no plano contribui para o alcance de uma meta.

As metas precisam ser realistas e mensuráveis, para que seja possível analisar o desempenho da empresa.

Defina também o início e prazo final para cada atividade traçada no plano, montando um cronograma de todas as tarefas a serem desenvolvidas.

Inclua um escopo de cada atividade, delegue responsabilidades e liste quais recursos financeiros e humanos serão necessários para colocar o plano em prática.

 

3. Execução

 

Depois de planejar, é o momento de executar o plano de ação.

Siga o cronograma traçado.

Deixe o plano visível para todos os colaboradores.

Uma vez delegadas as tarefas, cada responsável precisa ter clareza sobre seu papel no processo.

O plano de ação é uma engrenagem que só funciona com a interligação de todas as peças.

Perceba como a execução só pode ser bem-sucedida se todos os aspectos tiverem sido definidos corretamente no planejamento.

Quanto mais detalhado for o planejamento, mais fácil é seguir todas as atividades propostas.

 

4. Monitoramento

 

O monitoramento é uma forma de acompanhar a evolução do plano de ação, acompanhar erros, imprevistos e, de maneira geral, validar o planejamento.

O monitoramento evita que algum problema na execução passe despercebido.

E quanto mais rápido ele for identificado, mais chances de criar uma solução sem que a empresa sofra as consequências e o plano seja comprometido.

Nessa fase, minha recomendação é que você utilize indicadores de performance, os KPIs, para avaliar os progressos da empresa.

A análise de números embasa a tomada de decisão e comprova a eficiência ou ineficiência do plano de ação.


Quer fazer uma plano de ação na sua empresa entre em contato com a ATP - Consultoria Empresarial e Financeira, somos especialistas em Planejamento Estratégico feito de forma totalmente disruptivo. 

email: tomazconsultor@terra.com.br / / tomazconsultor@gmail.com

Fone/whats: 16 992047643


 






Sua empresa sabe como lidar com relações com clientes?

Você sabe que ter um bom relacionamento com os seus clientes é uma forma de estratégia?

Na era da tecnologia, na qual somos bombardeados de informações o tempo todo, conseguir conquistar e fidelizar um cliente se torna essencial para que esse seja um diferencial da sua empresa e para que sua marca se torne conhecida.

Por isso, apostar em estratégias de marketing e o máximo de atendimento individualizado que o seu negócio conseguir para se aproximar ainda mais do seu público pode ser a chave para o sucesso!

E hoje você irá saber mais sobre a importância de uma boa relação com os clientes e algumas dicas para conseguir estreitar ainda mais esse laço.

Continue lendo!

Qual a importância de uma boa relação com clientes para a empresa?

Ter um bom relacionamento com clientes ou até mesmo potenciais clientes é de extrema importância para uma empresa, seja de qualquer segmento.

Já que sem clientes, não há vendas.

Dessa forma, transformar a experiência dos clientes, desde o primeiro contato até o pós compra, se torna essencial para qualquer empresa, devendo essa relação ser cultivada de forma contínua e de diferentes maneiras, como promoções, relacionamento em redes sociais e outras formas.

E o mais importante: ter uma ótima relação com os seus clientes se torna uma espécie de tráfego orgânico. Os seus clientes irão comentar com outras pessoas do seu atendimento incrível, do produto adquirido e o quão satisfeitas elas ficaram com toda essa experiência.

Assim, irão recomendar o seu negócio para outras pessoas que poderão vir a se tornarem clientes também!

Dica para um bom relacionamento com seus clientes

Agora que você sabe quão importante é conseguir ter uma boa relação com cada cliente, como conseguir que ela seja transparente e duradoura?

Confiança

Ouça o seu cliente com atenção e empatia, além de manter toda essa comunicação em um registro de fácil acesso e que faça parte do seu dia a dia de trabalho.

Assim, o cliente irá entender que você se lembra dele e que está sendo atencioso, ganhando confiança.

Agilidade e rapidez

Para resolver os problemas dos seus clientes, você deve ser rápido e ágil!

Nunca prometa algo que você não possa cumprir, como um grande desconto ou um novo serviço que ainda nem foi lançado.

Por isso, tenha um time que ofereça as melhores soluções de forma rápida e responsável!

Como se relacionar melhor com os seus clientes?

E para conseguir se relacionar melhor com os seus clientes com todas essas ótimas dicas, uma coisa é primordial: organização!

Para que os seus clientes reconheçam a sua empresa como uma forte companhia, é necessário ter processos bem definidos e uma equipe muito responsável.

E para começar isso, você pode optar pela contratação de profissionais especializados que irão te auxiliar a organizar o seu negócio.

O consultor financeiro é um deles! Esse profissional poderá organizar todo o setor financeiro do seu negócio e ainda te ajudar a caminhar para uma saúde financeira bem saudável e promissora!



ATP - Consultoria Empresarial e Financeira

Entre em contato - tomazconsultor@terra.com.br









 

Um planejamento estratégico eficiente é o primeiro passo para sair do lugar e alcançar novos patamares.


Quer lançar um novo produto? Conseguir um novo espaço?


Essas coisas podem ser alcançadas se você e o seu time de liderança conseguirem ter um planejamento estratégico muito bem definido e alinhado com seu time. 


Então, já anota todas essas dicas de como fazer um planejamento estratégico e compartilha com o seu time também! 

https://atpconsultoria.crieresultados.com.br/

16992047643
Entre em contato.


.

.

.

.

.

#planejamento #estratégico #estratégia #financeiro #finanças #empresa #brasil #empresas #empreendedorismo #foco #empreendedor #dinheiro #empreender #trabalho #sucesso 

 


Quais os tipos de contribuição que os donos da empresa podem receber?

Ao abrir um novo negócio, pode ser bem complicado dividir o que você, dono e empreendedor, e até mesmo seus sócios podem receber.

Será que você deve pegar todo o lucro? Quanto do caixa você deve pegar e colocar como seu salário? Há divisão de lucros?

Muitas dúvidas podem surgir e por isso esse artigo vai contar tudo para você!

Confira agora!

Quais são os tipos de contribuição para os donos da empresa?

Existem duas formas de remuneras os sócios de uma empresa: o pró-labore e a distribuição de lucros.

Pró-labore

O pró-labore é o salário dos sócios e donos do empreendimento, ou seja, é como se fosse um salário correspondente ao seu cargo. E assim, o salário deve ser definido com base na média dos salários dessa profissão no mercado.

Para definir o pró-labore, são necessários alguns passos:

  • Definir as atividades de cada sócio ou do dono da empresa;

  • Estudar o mercado e a média de salário de cada atividade;

  • Definir o valor do salário desse grupo de profissionais.

Esses passos são extremamente necessários para que não afete o caixa da empresa ou até mesmo aconteça alguns conflitos por conta de diferença de salário.

Distribuição de lucros

A distribuição de lucros equivale à remuneração do crescimento da empresa durante o ano. E ela deve ser distribuída mesmo que algum sócio não atue diretamente na empresa, mas injete capital nela.

A distribuição de lucros é uma forma de remunerar os sócios pelo montante que cada um colocou na empresa e pelos riscos que assumiu ao fazer isso.

Para realizar a distribuição:

  • Estude o fluxo de caixa da empresa e contrate um profissional capacitado para te auxiliar;

  • Não distribua todo o lucro entre os sócios, é necessário guardar um montante para poder reinvestir no empreendimento;

  • Divida o restante entre os sócios de forma proporcional à sua participação.

Quem pode receber cada tipo de contribuição?

Se você está se perguntando se existe diferença em quem pode receber o pró-labore ou a distribuição de lucros, eu te respondo: sim, existe!

O pró-labore é como se fosse um salário. E, dessa forma, quem deve receber são os sócios que realizam atividades administrativas dentro da empresa. Se é um sócio que apenas investe capital, não deve receber uma espécie de salário por isso, certo?

Já a distribuição de lucros deve ser recebida por todos, pois é o retorno do investimento que cada sócio colocou naquela organização. Dessa forma, ela deve ser calculada com base no montante que cada sócio investiu.

Como dividir as contribuições da sua empresa sem prejudicar o seu caixa?

Para que você garanta que está sendo justo ao selecionar um pró-labore e distribuição de lucros de acordo com cada atividade e participação dos sócios, é imprescindível que você contrate um consultor financeiro.

Ele poderá te ajudar a analisar e a pesquisar o salário-mínimo e como não prejudicar o caixa ao dividir o lucro.

Vamos conversarsobre os pagamentos que estão sendo feitos na sua empresa? Me envieuma mensagem direta!