sábado, 23 de novembro de 2013

Fuvest 2014: apenas 38% dos inscritos no vestibular são de escolas públicas


Por iG São Paulo  

Porcentual mostra tamanho do desafio da USP até 2018: ter 50% de seus alunos oriundos da rede pública

O perfil dos inscritos no vestibular da Fuvest mostra que a Universidade de São Paulo (USP) terá dificuldade para cumprir o programa de cotas do governo do Estado de São Paulo, que prevê que, até 2018, metade dos alunos das  três universidades estaduais paulistas - USP, Unicamp e Unesp - sejam oriundos de escolas públicas.
No vestibular 2014, que acontece neste domingo (24), dos 172.037 candidatos inscritos para fazer a prova, apenas 38% (65.224 candidatos) são oriundos da rede pública.
Conheça a nova home do Último Segundo
Leia mais:  Veja vídeos curtinhos sobre as 9 obras literárias que serão cobradas na Fuvest

Futura Press
Prova da primeira fase do vestibular 2014 da Fuvest acontece neste domingo (24)
Diante desse cenário, a instituição lançou, em julho, um pacote de ações que inclui quatro medidas: o aumento e criação de novos bônus do Programa de Inclusão Social da USP (Inclusp), a criação do Programa de Preparação para o Vestibular da USP, o aperfeiçoamento do Programa “Embaixadores USP” e a ampliação dos locais de prova da Fuvest no Estado de São Paulo. O bônus do Inclusp é calculado segundo o desempenho do candidato na prova da primeira fase do Vestibular da Fuvest. Até o ano passado, essa porcentagem era de até 15%. Neste ano subiu para 20%, podendo chegar a 25% se o candidato se declarar preto pardo ou indígena.
Já o Programa de Preparação para o Vestibular da USP é dirigido a alunos da rede pública que, tendo prestado o vestibular da Fuvest, foram bem classificados, mas não conseguiram ingressar na Universidade. As aulas são ministradas por alunos dos cursos de Licenciatura da USP.
No Embaixadores USP, professores e funcionários dos setores acadêmicos visitam escolas públicas.
Medidas que, de acordo com o Frei Davi, diretor da ONG Educafro, são insuficientes. “O aluno da escola pública não crê na seriedade dos programas de inclusão da Fuvest. Eles precisam sentir que essa inclusão é sincera, transparente. Os programas criados pela USP neste ano não resolvem, não pode ser só para inglês ver”, diz.
Meta
De acordo com o programa de cotas, até 2018 a USP tem de ter 50% de alunos matriculados em cada curso e em cada turno que tenha cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas; – dentro desses 50% de matriculados oriundos de escolas públicas, o percentual de pretos, pardos e indígenas deverá atingir o percentual verificado pelo último censo demográfico do IBGE.
Retirado do site:http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/2013-11-22/fuvest-2014-apenas-38-dos-inscritos-no-vestibular-sao-de-escolas-publicas.html

Candidato da Fuvest tem 3,3 minutos para cada questão; prova é amanhã

Do UOL, em São Paulo

A primeira fase do vestibular 2014 da Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular), que seleciona alunos para a USP (Universidade de São Paulo) e para a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa, acontece neste domingo (24). Os candidatos terão de responder 90 questões em 5 horas, ou seja, 3,3 minutos, em média, para cada uma.
A partir das 19h30, o UOL Vestibular terá a correção comentada da prova, feita pelos professores do Curso e Colégio Objetivo.
Os portões serão abertos às 12h30 e fechados às 13h, quando deve começar a aplicação das provas. Em hipótese alguma será permitido o ingresso de candidatos após o fechamento.
Para a realização do exame, será necessário levar documento original de identidade com foto, como RG e Carteira Nacional de Habilitação, caneta esferográfica (tinta azul ou preta), lápis nº 2 e borracha. Água e alimentos leves são permitidos. O candidato não poderá utilizar ou manipular, em qualquer área do prédio, aparelhos celulares ou qualquer outro tipo de equipamento eletrônico ou de telecomunicação.
A prova é composta por 90 questões de múltipla escolha, sendo o conteúdo das disciplinas do núcleo comum obrigatório do ensino médio: português, história, geografia, matemática, física, química, biologia, inglês, e algumas questões interdisciplinares. A duração da prova será de cinco horas.
Estão inscritos 172 mil candidatos, que disputam 11.157 vagas, sendo 11.057 de cursos da USP e 100 da Medicina da Santa Casa.

CONFIRA O CALENDÁRIO DO VESTIBULAR 2014 DA FUVEST

Evento Datas
Prova de Conhecimentos Gerais 24/11
Divulgação da lista de convocados e dos locais de exame da 2ª fase 16/12
Provas da 2ª fase 05/01 a 07/01/2014

Concorrência

Medicina em Ribeirão Preto é o curso mais concorrido do vestibular 2014 da Fuvest, com 62,91 candidatos por vaga. No ano passado, era apenas o quarto colocado entre os mais concorridos, com 45,45 candidatos/vaga.
Em seguida, aparecem os cursos de medicina em São Paulo (58,57), engenharia civil em São Carlos (50,85), publicidade e propaganda (49,98), psicologia (48,57) e jornalismo (45,10).

Bônus

Pela primeira vez, a Fuvest oferecerá bônus racial de até 5% na pontuação dos candidatos.
Pelo Inclusp, programa destinado aos alunos que realizaram a educação básica ou o ensino médio integralmente em escolas públicas brasileiras. Esses alunos poderão receber bônus de até 15% em sua pontuação no vestibular da Fuvest. O percentual varia conforme o número de acertos dos estudantes. Se o aluno for preto, pardo ou indígena, poderá somar ainda até 5% de bônus racial.
Em 2013, apenas 28,5% dos matriculados na USP eram estudantes de escola pública. O número é pouco maior do de 2012, quando 28% dos alunos eram de escola pública.
Além disso, não entraram estudantes pretos nas três carreiras mais concorridas do vestibular 2013 da USP. Juntos, os cursos de medicina, engenharia civil em São Carlos e publicidade e propaganda matricularam 369 alunos, segundo a Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular). Desses, 78,3% se declararam brancos, 9,5% são pardos e 11,9%, amarelos.
Retirado do site:http://vestibular.uol.com.br/noticias/redacao/2013/11/23/candidato-da-fuvest-tem-33-minutos-para-cada-questao-prova-e-amanha.htm

Encontro do Pronatec definirá número de vagas para 2014.

Portal do MEC

Ao alcançar 5,4 milhões de matrículas de estudantes e profissionais em cursos técnicos e de formação inicial e continuada, entre 2011 e novembro de 2013, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) avalia, na próxima semana, essa trajetória e define quantas vagas serão abertas em 2014.

O encontro, de segunda-feira, 25, ao dia 27, reúne, em Brasília, os três segmentos responsáveis pelo andamento do Pronatec. O primeiro segmento vai informar que tipo de profissional o mercado precisa; o segundo vai dizer quantas vagas serão abertas nas diferentes modalidades de formação técnica e de educação inicial e continuada; e o terceiro é o governo federal, que coordena as ações do programa em todo o país. O evento terá cerca de 500 pessoas, que representam entidades, instituições, governos federal e estaduais e parceiros do programa.

Na segunda-feira, 25, serão realizadas três reuniões técnicas. A primeira será dos gestores nacionais e regionais dos serviços nacionais de aprendizagem; a segunda, da rede federal de educação profissional, e a terceira, dos gestores das redes estaduais e municipais.

No dia 26, o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Marco Antonio de Oliveira, vai falar sobre a execução do Pronatec de 2011 a 2013. No mesmo dia serão apresentados dois painéis: o Pronatec na perspectiva dos demandantes, que reúne na mesa de debates os ministérios do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, do Trabalho e Emprego, do Turismo, do Desenvolvimento da Indústria e Comércio Exterior e o Conselho de Secretários Estaduais de Educação (Consed).

O segundo painel vai tratar do Pronatec na perspectiva dos ofertantes, com representantes da rede federal de educação profissional e tecnológica, das redes estaduais, o Senai e o Senac. Os painéis serão coordenados por Marcelo Feres, da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec). O último dia do encontro será dedicado a consolidar o pacto da oferta de vagas por unidade da Federação.

Cursos – O Pronatec oferece cursos técnicos com carga horária mínima de 800 horas. Esses cursos têm dois formatos: integrados ao ensino médio, modalidade em que o estudante combina o curso de nível médio com a educação profissional, e cursos técnicos subsequentes, que são dirigidos a pessoas que concluíram o ensino médio. O Catálogo Nacional de Cursos Técnicos do MEC registra 220 tipos de cursos técnicos.

O programa também oferece cursos de formação inicial e continuada (FIC), com duração mínima de 160 horas. Conforme o Guia do Pronatec, existem 644 cursos FIC. Outras opções são a Bolsa-Formação Trabalhador, que oferece cursos de curta duração, a partir de 160 horas de aula, para beneficiários do seguro-desemprego e dos programas de inclusão produtiva do governo federal; e a Bolsa-Formação Estudante, que compreende cursos técnicos, com mínimo de 800 horas, para alunos das redes públicas.

O encontro sobre o Pronatec será realizado no Centro Internacional de Convenções de Brasília, no Setor de Clubes Esportivos Sul, em Brasília, de 25 a 27 de novembro.

Ionice Lorenzoni
Palavras-chave: educação profissional, Pronatec

Mais de 195 mil estudantes vão fazer o Enade neste domingo

Portal do MEC
O Enade avalia cursos de graduação a partir da verificação de competências, habilidades e conhecimentos desenvolvidos pelos estudantes em sua formação (foto: João Neto/MEC – 27/8/13)O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) de 2013 será aplicado no domingo, 24, em todas as unidades da Federação. Farão as provas 196,8 mil concluintes, matriculados em 904 instituições de educação superior.

As provas, com quatro horas de duração, terão início às 13 horas e serão encerradas às 17 horas (de Brasília). Nos locais de provas, os portões serão abertos às 12 horas. Os participantes devem chegar com antecedência.

O estudante que deixar o local de prova antes de uma hora do início da aplicação estará impedido de assinar a lista de presença e será considerado ausente. Ele estará sujeito às mesmas consequências daqueles que não comparecerem e também ficará em situação irregular em relação ao exame. Além disso, somente poderá deixar a sala com o caderno de questões três horas após o início do exame. Ou seja, a partir das 16 horas.

Nesta edição do Enade, será avaliado o desempenho dos estudantes de bacharelado em agronomia, biomedicina, educação física, enfermagem, farmácia, fisioterapia, fonoaudiologia, medicina, medicina veterinária, nutrição, odontologia, serviço social e zootecnia. O exame também avaliará os cursos de tecnólogo em agronegócio, gestão hospitalar, gestão ambiental e radiologia.

Participarão da prova:
• Estudantes de bacharelado que tenham expectativa de conclusão do curso até julho de 2014
• Estudantes de bacharelado que tenham concluído mais de 80% da carga horária mínima do currículo até o fim do período de inscrição, encerrado em 16 de agosto de 2013
• Estudantes de cursos superiores de tecnologia com expectativa de conclusão até dezembro de 2013
• Estudantes de cursos superiores de tecnologia que tenham concluído mais de 75% da carga horária mínima do currículo até o fim do período de inscrição, encerrado em 16 de agosto de 2013.
O Enade integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), criado em 2004. O objetivo do exame é avaliar cursos de graduação a partir da verificação de competências, habilidades e conhecimentos desenvolvidos pelos estudantes em sua formação, de acordo com as características do perfil profissional exigido.

A divulgação do boletim de desempenho dos participantes do exame deste ano está prevista para o segundo semestre de 2014. A consulta ao local de prova deve ser feita na página do exame na internet.


Assessoria de Comunicação Social do Inep

Confira os dados do Enade de 2013 por unidade da Federação.
Palavras-chave: educação superior, Enade, Sinaes

Jovens de todo o país debatem ambiente e escolas sustentáveis

Portal do MEC
Alunos da Escola Municipal Gabriella Persico, em Santa Maria de Boa Vista (PE) se preparam para a Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente (Foto: Divulgação)“O nosso objetivo é trabalhar para plantar uma semente que transforme a realidade das escolas locais”. A afirmação é de Samuel Soares da Costa, 19 anos, um dos coordenadores da quarta edição da Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente (CNIJMA). O evento reunirá estudantes, professores e gestores educacionais nos dias 23 a 28 de novembro, no Centro de Treinamento Educacional da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Indústria, na cidade goiana de Luziânia, no entorno de Brasília, para debater a sustentabilidade nas escolas.

Jovens de 11 a 14 anos, do sexto ao nono ano, de 18 mil escolas públicas, participarão de oficinas e debates sobre o tema escolas sustentáveis. Serão 15 oficinas abordando assuntos como permacultura, riscos e desastres socioambientais, animais silvestres, consumo consciente e geração de resíduo.

Estudante do quarto período de ciências biológicas, Samuel foi um dos delegados de Rondônia na edição 2009 da conferência. Desde então, ele desenvolve projetos e ações em escolas locais para difundir a educação ambiental como forma de melhorar a qualidade de vida da região.

Na quarta edição, Samuel será um dos coordenadores de Rondônia na conferência. São dois coordenadores por estado, que auxiliam na realização dos processos metodológicos, ministrando oficinas e interagindo com as delegações de estudantes. Segundo Samuel, o interessante é que é feito um trabalho anterior à realização da conferência, nas etapas escolares municipais, bem como um trabalho posterior de acompanhamento dos projetos nas escolas.

O coordenador geral de Educação Ambiental do Ministério da Educação, José Vicente de Freitas, afirma que o objetivo central da conferência é promover o desenvolvimento da cidadania socioambiental. “É uma estratégia pedagógica voltada às escolas, estimulando o processo de articulação em torno do tema da sustentabilidade”, destacou José Vicente. 

Assessoria de Comunicação Social


Ouça o coordenador geral José Vicente de Freitas
Palavras-chave: educação básica, meio ambiente, Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, CNIJMA

A Importância da Administração de Cargos e Salários

A Administração de Cargos e salários é um dos pontos mais importantes para que se possa fazer gestão de recursos humanos é preciso elaborar ...