quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Portal do MEC
Equipamentos como uma lousa eletrônica e um leitor em braile chamaram a atenção da presidenta da República, Dilma Rousseff, em sua visita à exposição de produtos do Seminário Gestão de Compras Governamentais – a Experiência da Educação, em Brasília. Esses aparelhos, produzidos para uso nas escolas públicas, foram apresentados a ela pelo ministro da Educação, Fernando Haddad.

A lousa eletrônica é composta de uma caneta e um receptor, que, acoplados ao projetor Proinfo (equipamento com computador e projetor ofertado pelo MEC aos estados e municípios), permitem ao professor trabalhar os conteúdos disponíveis em uma parede ou quadro rígido, sem a necessidade de manuseio do teclado ou do computador. O ministro destacou a interatividade com os conteúdos ensinados, além de uso da ferramenta como quadro digital. O equipamento está em processo de licitação para compra no Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

A presidenta afirmou que será feito um esforço enorme para que os equipamentos sejam adquiridos. “São produtos essenciais para os alunos e professores e com certeza contribuem para a educação”, disse.

Outra iniciativa que chamou atenção de Dilma foi o protótipo de um leitor em braile, que permitirá que alunos com deficiência visual escrevam e ao mesmo tempo ouçam o que escrevem. A ferramenta tem uma câmera digital que captura as imagens de um livro ou jornal, por exemplo, e transforma a imagem em texto em braile, gerando o áudio correspondente. O equipamento tem ainda um visor pelo qual o professor poderá acompanhar o trabalho do estudante.

O projeto é coordenado pelo FNDE e desenvolvido pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e pelo Instituto Federal do Ceará. O protótipo está em fase de testes e deve estar pronto em seis meses.

Durante a visita, a presidenta conheceu outros produtos adquiridos pelo Ministério da Educação. Ela entrou num dos barcos que faz transporte escolar na região Norte e nos ônibus escolares. Viu as novas bicicletas e uniformes, e também os laboratórios do programa e-Tec, que oferece ensino técnico na modalidade a distância.

No período da tarde desta quarta-feira, 14, o seminário continua com gestores e fornecedores do governo. Eles participarão de cinco oficinas sobre a busca da eficiência nos gastos governamentais, processos de controle interno e externo que visem a transparência nas aquisições de remédios e de equipamentos para hospitais universitários.

Adriane Cunha



Palavras-chave: tecnologia na educação, inclusão

Portal do MEC

A presidenta da República, Dilma Rousseff, e o ministro da educação, Fernando Haddad, anunciam nesta quinta-feira, 15, em Brasília, o plano de ampliação da rede de creches e pré-escolas municipais, além da construção e cobertura de quadras esportivas escolares. Os projetos integram ações do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC 2) do governo federal.

A nova etapa do programa de construção de creches e pré-escolas prevê possíveis 4.943 novas unidades em 1.466 municípios. Somadas com as 1.484 já em construção em 1.040 municípios, será superada a meta de seis mil unidades previstas. A construção das unidades de educação infantil está entre as metas do Plano Nacional de Educação (PNE) — a de atender 100% das crianças de quatro e cinco anos até 2016 e 50% das crianças até três anos, estabelecida para 2020.

O PAC prevê também a cobertura de quadras esportivas em escolas públicas. Pelas previsões, serão edificadas 6.116 quadras e cobertas outras cinco mil até 2014. Este ano, foi aprovada a construção de 750 quadras em escolas municipais de todo o Brasil. O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) oferece dois projetos de unidades de educação infantil. O do tipo B tem capacidade para 240 crianças até cinco anos de idade, com atendimento em dois turnos. São oito salas pedagógicas, sala de informática, cozinha, refeitório, pátio coberto, secretaria e sanitário para pessoas com deficiência, entre outros ambientes. O do tipo C atende 120 crianças, também em dois turnos, com quatro salas pedagógicas e os mesmos espaços previstos no tipo B. O do tipo A é elaborado pelas prefeituras, de acordo com padrões de qualidade exigidos pelo FNDE. No caso da quadra de esportes, o projeto é único.

Assessoria de Comunicação Social


Confira os mapas de expansão de creches, quadras e coberturas de quadras
Palavras-chave: educação infantil, creche, quadra, FNDE
Portal do MEC

A presidenta da República, Dilma Rousseff, elogiou nesta quarta-feira, 14, em Brasília, o sistema usado pelo Ministério da Educação para aquisição de veículos de transporte escolar, uniformes, equipamentos hospitalares e de tecnologia e informação. Ao lado do ministro da Educação, Fernando Haddad, Dilma participou da abertura do seminário Gestão de Compras Governamentais – a Experiência da Educação.

“Para se ampliar a eficiência do Estado é preciso espalhar, difundir, criar, copiar as melhores práticas que a própria gestão pública do governo federal construiu”, disse a presidenta. O modelo de aquisições adotado pelo MEC e pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) possibilitou economia de R$ 866 milhões de recursos públicos em apenas dois anos.

No sistema de compras do MEC é usada a modalidade de pregão eletrônico para registro nacional de preços. Para o ministro Fernando Haddad, essa forma de gerir as compras resulta em melhora na qualidade dos itens e aumenta a eficiência das administrações estaduais e municipais. O poder de compra em escala do Estado é usado para diminuir o preço e influencia a política industrial.

A inovação na gestão de compras do MEC não se dá no modelo licitatório, segundo Haddad. “Novo, nesse modelo, é o fato de o MEC descobrir que tem clientela de 60 milhões de pessoas”, salientou. “Temos mais de 50 milhões de alunos matriculados na escola básica, mais de 6 milhões na educação superior e cerca de 4 milhões de profissionais que trabalham na educação.”

O ministro defendeu o uso desse poder de comprar com eficiência para oferecer educação de qualidade. Ele também destacou a parceria com o Tribunal de Contas da União (TCU), com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) e com o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro).

O presidente do TCU, Benjamin Zymler, aprovou a relação estabelecida pelo Ministério da Educação entre controlador e controlado. “O MEC é um disseminador de boas práticas na administração dos recursos”, disse. “Nossos acórdãos devem propagar esses processos.”

O seminário, promovido pelo FNDE, em parceria com a FGV, apresenta os modelos de aquisições desenvolvidos pelo fundo nos últimos anos. O encontro também põe em debate as alternativas para melhorar os processos de aquisição existentes.


Diego Rocha

Leia também: Equipamentos para uso escolar atraem a atenção da presidenta



Republicada com alteração de informações
Palavras-chave: gestão da educação, compras governamentais, FNDE

domingo, 11 de setembro de 2011

Aberto edital para bolsas de doutorado nos Estados Unidos

Portal do MEC

Doutorandos brasileiros podem se candidatar às bolsas de estudos, na modalidade sanduíche, nos Estados Unidos, por meio de cooperação entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e a Comissão Fulbright. O Programa Capes-Fulbright de Estágio de Doutorando nos EUA 2012-2013 concederá até 50 bolsas de estudos com duração de nove meses, e tem como objetivo desenvolver as pesquisas realizadas por doutorandos no Brasil e estreitar as relações bilaterais entre os dois países. Os interessados têm prazo até 15 de outubro para se candidatar.

A seleção acontecerá em cinco fases: consistência documental, análise de mérito, entrevistas, priorização das candidaturas e reunião conjunta. Os resultados finais deverão ser divulgados em dezembro deste ano.

Os bolsistas receberão, pela Capes, mensalidade para cobrir as despesas relativas a moradia, alimentação e transporte local no valor de US$ 1.300 (R$ 2.160), auxílio instalação de US$ 990 (R$ 1.643), pagamento de eventuais taxas para acesso às instalações da instituição e auxílio deslocamento ou passagem aérea de ida e volta para o translado Brasil-EUA-Brasil, a critério da agência.

Pela Comissão Fulbright são concedidos auxílio-pesquisa para o período de nove meses, variando entre US$ 2 mil (3.320) e US$ 7 mil (R$ 11.623), de acordo com a instituição norte-americana, e seguro saúde. A critério da Comissão Fulbright, o doutorando poderá participar de curso intensivo de língua inglesa nos EUA, com até quatro meses de duração, imediatamente anteriores ao início das atividades acadêmicas, incluindo estadia, taxas e material didático.

Diego Rocha

Acesse o edital
Mais informações:
Correio eletrônico Capes - Comissão Fullbright
Telefones (61) 2022-6657 (Capes) e (61) 3248-8605 (Comissão Fulbright)

Palavras-chave: Capes, doutorado




Desempenho de estudantes nas provas tem evolução de 10 pontos em um ano

Portal do MEC

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) evoluiu tanto no aumento da participação dos estudantes concluintes das escolas regulares públicas e particulares — de 824 mil em 2009 para 1 milhão em 2010 — quanto na média nacional obtida por eles nas quatro provas objetivas. No período 2009-2010, a média passou de 501 para 511 pontos.

A meta do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), responsável pelo exame, é atingir a média de 600 pontos em 15 anos. No entanto, mantido o padrão de resultados obtidos nas duas últimas edições, será possível antecipar essa meta em dez anos. Na avaliação do ministro da Educação, Fernando Haddad, esse resultado é muito importante: “Saímos de 45,8% (824 mil alunos em 2009) para 56,4% (1 milhão em 2010) de participação; não obstante, as notas melhoraram”.

Segundo o ministro, o Brasil precisa caminhar ainda mais para se igualar às sociedades mais avançadas do mundo do ponto de vista educacional. “O desvio-padrão na escala do Enem é de 100 pontos. Portanto, em um ano, nós ultrapassamos um pouco daquilo que estava planejado”, disse, em alusão aos dez pontos alcançados. “Estamos confiantes que o Enem represente para o ensino médio aquilo que a Prova Brasil vem representando para o ensino fundamental. Ou seja, um instrumento que auxilia a organização racional do currículo e que orienta o trabalho dos professores na sala de aula.”

Escola — Nesta segunda-feira, 12, escolas, gestores, estudantes, pais e pesquisadores podem consultar, na página eletrônica do Inep, as médias obtidas pelos participantes do Enem em 2010, por estabelecimento de ensino. Participaram das provas mais de 3,2 milhões de estudantes, dos quais, 1 milhão de concluintes do ensino médio regular. Os resultados são calculados a partir do desempenho dos alunos concluintes.

Será possível verificar as médias de todas as escolas do Brasil, por modalidade de ensino, com resultados apresentados para o ensino médio regular, para a educação de jovens e adultos e para as duas etapas em conjunto. Também estarão disponíveis as médias separadas das quatro áreas objetivas avaliadas no exame, a da redação e a geral — prova objetiva mais redação.

Dados do Inep mostram que o número de escolas do ensino médio regular aumentou de 25.484 (2009) para 26.099 (2010). Terão as médias divulgadas os estabelecimentos de ensino com mais de dez alunos participantes do exame.

Conforme dados do Inep, 33% das escolas tiveram participação de 25% a menos de 50% dos estudantes; 27,4%, de 2% a 25%; 20,9%, de 50% a menos de 75%; 17,8%, mais de 75%. Apenas 1% ficou abaixo de 2% de participação — essa escolas não terão a média divulgada.

O Enem de 2010 avaliou as áreas de conhecimento de ciências da natureza e suas tecnologias, ciências humanas e suas tecnologias, linguagens, códigos e suas tecnologias e matemática e suas tecnologias, além da redação.

Assessoria de Comunicação Social

Palavras-chave: Enem


Novas Habilidades exigidas no ENEM

Acesse: Novas Habilidades exigidas no ENEM Atenção o arquivo esta em formato PDF, para ter acesso você precisa ter instalado no seu computador o aplicativo Adob PDF.

Escolas de ensino médio tiraram nota 511,21 em 2010; para MEC resultado era "esperado"

Karina Yamamoto Em São Paulo O MEC (Ministério da Educação) divulgou na tarde deste sábado (10) a "nota" das escolas de ensino médio: 511, 21 - a escala chega a 1.000. Essa é a média brasileira, obtida por meio das notas dos alunos que participaram do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2010. No ano passado, a média foi de 501,58. A meta para 2028 é chegar a 600 pontos, numa projeção feita pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais). A taxa média de participação no exame foi de 56%, segundo o MEC -- o que significa que a média geral não representa a qualidade dessa etapa de ensino. O indicador mais adequado para isso é o Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) -- em que o ensino médio ficou com 3,6 numa escala que vai de 0 a 10. A nota do Enem por escola é bastante utilizada como parâmetro de escolha da instituição de ensino (veja aqui como usar a nota para essa finalidade). "Essa evolução de 10 pontos no desvio padrão esperávamos em mais de um ano", afirmou Fernando Haddad, ministro da Educação, ao explicar o que significa o resultado deste ano em relação ao ano passado. "O Brasil é o unico país do mundo que trabalha com meta de qualidade, até onde eu conheço." Os dados do Enem por escola serão divulgados na próxima segunda-feira -- depois de um atraso de uma semana. As notas estarão disponíveis no UOL a partir das 3h da manhã -- no Inep, a previsão é de que o sistema comece a rodar a partir das 6h. As escolas terão 30 dias para eventuais contestações das notas. Enem organiza, vestibular desorganiza "Estamos muito confiantes de que o Enem represente para o ensino médio aquilo que a Prova Brasil vem representando para o [ensino] fundamental, ou seja, um instrumento que auxilia a organização racional do currículo e orienta o trabalho dos professores em sala de aula", afirmou o ministro da Educação. Para Haddad, "o vestibular desorganiza o trabalho da escola" porque cada instituição tem uma avaliação -- e muitas vezes cobra muitos assuntos diferentes. "Os vestibulares, como foram constituídos no país, desorganizam [o ensino médio com a] sobreposição de conteúdos que ninguém consegue cumprir em três anos; aí você dispersa energia", disse o ministro. Por causa da nova metodologia implantada no Enem, a TRI (Teoria de Resposta ao Item), os resultados do Enem pode ser comparados ano a ano -- para se saber se houve melhora ou piora no desempenhos dos alunos. Antes da TRI, os dados só podiam ser analisados em relação a eles mesmos. Segundo a presidente do Inep, Malvina Tuttman, "agora o Inep pode definir uma série de linhas de pesquisas [e aprofundar estudos sobre as condições e problemas do ensino médio]". Retirado do site:http://noticias.uol.com.br/educacao/2011/09/10/escolas-de-ensino-medio-tiraram-nota-51121-em-2010-para-mec-resultado-era-esperado.jhtm

A Importância da Administração de Cargos e Salários

A Administração de Cargos e salários é um dos pontos mais importantes para que se possa fazer gestão de recursos humanos é preciso elaborar ...