sexta-feira, 3 de junho de 2011

Notícias do meio ambiente

Por Lucila Cano
O Censo de 2010 revelou que 84,35% da população brasileira vivem em área urbana. Talvez, por isso, poucos se envolvam com as causas ambientais. É claro que todos simpatizam com a preservação da flora e da fauna, mas ambas parecem distantes das cidades.

A simpatia por árvores e pássaros de plumagem colorida passa ao largo de outros temas ambientais, como saneamento básico e qualidade da água para consumo, geração de energia, qualidade do ar e destinação do lixo.

Essas questões influem diretamente na saúde das pessoas e na qualidade de vida das cidades. É o caso da rede de esgotos, que serve a apenas 55,2% dos municípios, segundo a Pesquisa Nacional de Saneamento Básico 2008 do IBGE. Para um país que se arvora em ocupar o sétimo lugar entre as principais economias do mundo, a falta é grave.

Da pasta de recortes
A manchete da página A-9 do extinto A Gazeta Mercantil em 4 de outubro de 2001 dizia: “Ricos plantam florestas e pobres desmatam”. Na sequência, uma rápida explicação: “Relatório divulgado pela FAO (Food and Agriculture Organization) mostra que, de cada oito árvores derrubadas ou queimadas em todo o mundo, uma é brasileira”.

Da mesma matéria, assinada pela jornalista Regina Scharf: “Dono de 27% de toda a biomassa terrestre, o Brasil abate em média 2,3 milhões de hectares por ano”. E mais: “O fenômeno (do desmate) é especialmente agudo na África, seguida da América Latina. Já a Europa aumenta suas florestas a um ritmo de 880 mil hectares por ano”.

Em 5 de novembro de 2004, a manchete da página A-16 da Folha de S.Paulo (Folha Ciência) anunciava: “Ambiente segue a economia, indica IBGE” e dava as seguintes informações no primeiro parágrafo: “Os fatores econômicos têm peso tão grande nos avanços e retrocessos dos índices brasileiros de sustentabilidade quanto a legislação e a consciência ambientais. É o que indica a segunda edição dos ‘Indicadores de Desenvolvimento Sustentável’, lançada ontem pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)”.

Da mesma matéria, de autoria de Pedro Soares e Mariana Viveiros: “Evolução do desmatamento: 440.186 km2 em 1992 e 631.223 km2 ao final de 2002”, ou seja, aumento de 43,4% em uma década.

Da tela da televisão e do computador
A edição de 18 de maio de 2011 do Jornal Nacional informou: “Entre agosto de 2010 e abril deste ano, o desmatamento na Amazônia Legal cresceu 26% em relação ao mesmo período de 2009 e 2010. O salto maior foi em Mato Grosso, que teve aumento de 47% no desmate”.

Por sua vez, o site da ONG World Wild Fund (WWF) repercutiu a notícia que também foi manchete em outros meios no mesmo dia: “Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), divulgados nesta quarta-feira (18/05), em Brasília, apontam para um crescimento de cerca de 540% no desmatamento no Mato Grosso no mês de abril, em comparação com março. A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, demonstrou grande preocupação com o número. ‘Trata-se de um fato grave, atípico e contraditório. Em um mês, houve no Mato Grosso quase a quantidade total de desmatamentos ocorridos no ano passado’, comentou”.

Do mesmo site: “Ambientalistas concordam no sentido de apontar uma correlação direta entre o estrondoso aumento dos desmates nas regiões de fronteira do agronegócio mato-grossense e a perspectiva de aprovação do substitutivo que modifica o Código Florestal”.

O novo Código Florestal foi aprovado em primeira instância na Câmara Federal dos Deputados na terça-feira, 24 de maio. Um dos seus itens mais polêmicos é o que anistia quem desmatou terras para a agricultura até 2008.

Surpreendentemente, houve uma redução de 67% no desmate da Mata Atlântica na década, em relação à anterior, como divulgaram o Inpe e a ONG SOS Mata Atlântica em 26 de maio. No entanto, é sempre bom lembrar que a Mata Atlântica continua sendo a quinta área mais ameaçada do planeta e que dos 15% que ocupava do território brasileiro restam pouco mais que 7%.

Em tempo: Comemoramos mais um Dia Mundial do Meio Ambiente em 5 de junho.

*Homenagem a Engel Paschoal (7/11/1945 a 31/3/2010), jornalista e escritor, criador desta coluna.
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/colunas/lucila/2011/06/03/noticias-do-meio-ambiente.jhtm

Conselho de educação revê parecer sobre obra de Monteiro Lobato

DE BRASÍLIA
O CNE (Conselho Nacional de Educação) decidiu rever seu parecer sobre o livro "Caçadas de Pedrinho", de Monteiro Lobato, e passou a recomendar a contextualização histórica das obras literárias abordadas na escola.
O texto aprovado pelo conselho em outubro de 2010 recomendava ou que o MEC não distribuísse a obra a escolas públicas ou que as editoras inserissem no livro uma "nota explicativa" sobre suposto teor racista, que estaria presente principalmente em passagens relativas à personagem Tia Nastácia, como no trecho "Tia Nastácia, esquecida dos seus numerosos reumatismos, trepou, que nem uma macaca de carvão".

A medida sugerida pelo conselho teve repercussão negativa entre educadores e o ministro Fernando Haddad (Educação) acabou pedindo ao CNE que revisse o texto.

Agora, a nova versão aprovada pelo CNE afirma que é importante que a escola faça uma "contextualização" dos autores e dos livros, especialmente aqueles produzidas em período em que pouco se falava em preconceito racial.

O texto também ressalta que não se deve vetar o acesso dos estudantes a nenhuma obra literária. Para entrar em vigor, o parecer ainda tem que ser homologado por Haddad. Ontem, ele afirmou que leu versões preliminares do documento que o agradaram.

A abordagem já estava prevista em livro que será distribuído pelo MEC a escolas públicas no segundo semestre para orientar professores.

Sem negar possíveis elementos de preconceito racial na obra de Lobato, o livro defende que ela seja analisada em conjunto com as condições históricas época.
retirado do site:http://www1.folha.uol.com.br/saber/924824-conselho-de-educacao-reve-parecer-sobre-obra-de-monteiro-lobato.shtml

USP muda regras da Fuvest e vestibular 2012 fica mais difícil

Thiago Minami
Em São Paulo
A USP (Universidade de São Paulo) definiu mudanças no vestibular 2012, elaborado pela Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular). As alterações nas regras devem deixar o processo mais difícil. As decisões foram tomadas na manhã desta quinta-feira (2) em reunião do Conselho de Graduação da USP, com representantes de 42 unidades. O conselho permanece reunido até o final da tarde.
No próximo vestibular, a nota da primeira fase terá peso na nota final do candidato -- anteriormente, ela era considerada apenas para selecionar o candidato da segunda fase.

A nota mínima de corte subirá de 22 para 27 pontos; de dois a três candidatos podem ser aprovados para a 2ª fase – antes eram três. Caso não seja convocado após a 3ª chamada, o candidato poderá mudar de carreira.

No segundo dia da segunda fase, a prova terá 16 questões – antes eram 20 . Nessa prova, são cobrados conhecimentos do núcleo comum de conhecimento do ensino médio: história, geografia, matemática, física, biologia e inglês e as questões podem abranger mais de uma disciplina.

Polêmica
As mudanças já haviam passado por outras duas outras rodadas de discussões este ano no conselho antes da aprovação final. Representantes discentes apontaram que o vestibular, um dos mais difíceis do país, se tornaria ainda mais "elitizado".

Outro ponto questionado é a mudança de carreira a partir da 3ª chamada. Aqueles que elegeram um curso como 1ª opção terão prioridade sobre os outros? Itens como esse ainda serão discutidos em outras instâncias.

Bônus
Além dessas mudanças, o conselho já tinha aprovado um aumento no bônus nas notas dos estudantes de escolas públicas de 12% para 15%. Esse acréscimo depende do desempenho do candidato em duas provas do vestibular da 1ª fase da Fuvest durante o segundo e o terceiro ano do ensino médio.

Atualmente, o vestibular da Fuvest é formado por uma primeira fase, com 90 questões de múltipla escolha, e uma segunda fase com três dias de provas dissertativas e redação.

Os interessados em fazer a Fuvest devem se inscrever pela internet, entre os dias 26 de agosto de 2011 e 9 de setembro. A primeira fase será realizada no dia 27 de novembro e a lista dos convocados e dos locais de exames da segunda fase será divulgada no dia 19 de dezembro.
As provas da 2ª fase serão nos dias 8, 9 e 10 de janeiro de 2012. A primeira chamada será publicada no dia 4 de fevereiro, com matrículas nos dias 8 e 9 do mesmo mês.
retirado do site:http://vestibular.uol.com.br/ultimas-noticias/2011/06/02/usp-muda-regras-da-fuvest-e-vestibular-2012-fica-mais-dificil.jhtm

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Mãe de aluna espanca professora da rede pública no interior de SP

Da Redação
São Paulo
Uma professora foi agredida pela mãe de uma aluna em frente à Escola Municipal João Fernandes de Andrade, em Salto de Pirapora, a 122 quilômetros de São Paulo, na última segunda-feira. Sônia Maria Mendes, 48, sofreu fraturas e ferimentos na face e precisou ser operada em hospital de Sorocaba. Ela passa bem e deve receber alta em breve.

A direção da escola desconhece o motivo da agressão. "Não era uma mãe presente. Sabemos apenas que se trata de uma pessoa agressiva, problemática", diz a diretora Débora de Moura. A aluna tem cinco anos e está matriculada no ensino infantil.

Segundo testemunhas, a agressão ocorreu após a aula. A mãe teria chegado por trás e espancado a professora. Em protesto, pais e educadores decidiram paralisar as aulas na tarde de terça-feira. A direção e a prefeitura registraram boletim de ocorrência contra a mãe por agressão.
retirado do site:http://noticias.uol.com.br/educacao/2011/06/01/mae-de-aluna-agride-professora-em-interior-de-sp.jhtm

Secretaria da Educação convoca 15 mil professores para a rede estadual

Da Redação
Em São Paulo
A Secretaria de Estado da Educação de São Paulo, por meio de edital publicado no Diário Oficial do Estado no último dia 28 de maio, iniciou a convocação de 15 mil professores para o Ensino Fundamental ciclo 2, o Médio (PEB II) e para a Educação Especial. Estes candidatos prestaram o concurso em março de 2010.

Em fevereiro deste ano, o governador Geraldo Alckmin anunciou a contratação de 25 mil novos professores para a rede estadual. Os outros 10 mil profissionais deverão ser convocados posteriormente.

Por enquanto, as convocações para as sessões de escolha de vagas são semanais, começando com as disciplinas que tenham o menor número de candidatos remanescentes. Ao escolher a vaga, o candidato já estará convocado para a 3ª etapa do processo seletivo para o curso promovido pela Escola de Formação de Professores. Os novos docentes deverão ingressar no curso em julho. Os aprovados serão nomeados no final deste ano para ingresso na rede estadual no início de 2012.

Os dias, horários e locais em que os professores convocados devem comparecer estão disponíveis no site do Diário Oficial. Os candidatos devem levar documento de identidade (RG) e o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), ou ser representado por procurador, legalmente constituído, portando cópias dos documentos mencionados.
retirado do site:http://noticias.uol.com.br/educacao/2011/05/31/secretaria-da-educacao-convoca-15-mil-professores.jhtm

Kit anti-homofobia poderá incluir combate a outros preconceitos na escola, diz Haddad

Amanda Cieglinski
Da Agência Brasil
Em Brasília

O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou nesta terça (31), durante audiência no Senado Federal, que o kit que estava sendo preparado para combater o preconceito contra homossexuais na escola poderá incluir outros grupos que também são vítimas de discriminação. Segundo ele, a sugestão foi feita pela Frente Parlamentar em Defesa da Família.

“Vou submeter essa consideração para a presidente para receber as diretrizes [para que o material seja revisado]. Ela [Dilma Rousseff] deixou claro que entendeu que aquele material não estava adequado e pediu para reanalisar o combate à intolerância. Ela compreende que é preciso combater qualquer tipo de preconceito, inclusive a homofobia”, afirmou.

Na semana passada, o governo recuou no projeto de produção e distribuição de materiais às escolas de ensino médio para combater a discriminação à população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais), após pressão da bancada religiosa.

O kit foi elaborado por entidades de defesa dos direitos humanos e da população LGBT, a partir do diagnóstico de que falta material adequado e preparo dos professores para tratar do tema. Ele era composto por cadernos de orientação aos docentes e vídeos que abordavam a temática do preconceito, mas foi cancelado depois que a presidenta Dilma Rousseff assistiu a um dos vídeos e não gostou do conteúdo.

Haddad não quis definir um prazo para que o projeto seja concluído e disse que está “ouvindo a sociedade”. Entre os outros temas que poderiam ser incluídos em uma campanha contra o preconceito na escola ele citou a intolerância religiosa, as questões de gênero e o racismo.
*** Veja o vídeo no endereço abaixo:
Retirado do site:http://noticias.uol.com.br/educacao/2011/05/31/kit-anti-homofobia-podera-incluir-combate-a-outros-preconceitos-na-escola-diz-haddad.jhtm

A Importância da Administração de Cargos e Salários

A Administração de Cargos e salários é um dos pontos mais importantes para que se possa fazer gestão de recursos humanos é preciso elaborar ...