terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Inaugurada Capes WebTV na Ufal

A Universidade Federal de Alagoas (Ufal) recebeu nesta sexta-feira, 10, a visita do diretor de Programas e Bolsas no País da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Emídio Cantídio, para participar da instalação da Capes WebTV e para proferir uma palestra para os coordenadores de cursos de pós-graduação da Ufal. A universidade é a primeira do país a instalar a mídia, que foi produzida pela Capes para a divulgação de conteúdo noticioso dentro dos campi universitários.
Inicialmente serão instalados cinco monitores nos gabinetes da reitora Ana Dayse Dorea e do vice-reitor Eurico Lôbo, além da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propep), da Assessoria de Comunicação (Ascom) e da Editora Universitária (Edufal). A partir de 2011, serão instalados outros 13 monitores, já adquiridos, em locais estratégicos nos Campi Maceió, Arapiraca e do Sertão, como a Biblioteca Central e o Restaurante Universitário, no Campus Maceió.

"Os monitores serão instalados em locais de grande movimentação da comunidade acadêmica, de forma a garantir maior visibilidade às informações veiculadas", disse Josealdo Tonholo, pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação. Entre os programas inicialmente veiculados estão o Por Dentro da Capes; Capes Notícias; Capes Oportunidades; Portal de Periódicos; e Acontece no Campus.
Em sua palestra, Cantídio apresentou as iniciativas da Capes em todo o país e o seu desenvolvimento de acordo com uma linha do tempo. Entre diversos dados, mostrou a taxa de crescimento do Brasil na produção de pesquisas, apontando que o país é o 13º no ranking dessa produção. "A missão da Capes, por exemplo, é fortalecer a universidade para formar pessoas para o desenvolvimento científico, tecnológico e cultural nos setores público e privado", salientou.

O Sistema WebTV não emite sons, utiliza-se de legenda, de forma similar às TVs instaladas em aeroportos. Tem por objetivo difundir notícias e informações próprias da Capes, com destaque para tópicos sobre a avaliação de cursos, editais de fomento à pesquisa, bolsas no país e no exterior, cooperação internacional, treinamento de usuários, além de reservar um espaço para a própria instituição publicar notícias para a sua comunidade local. Os serviços serão disponibilizados 24h por dia durante os sete dias da semana. Acesse a Capes WebTV e tenha acesso a mais informações.

Fonte: Ascom/Ufal
Portal de Periódicos Capes

Acesso remoto ao Portal de Periódicos da Capes está disponível aos membros da CAFe

O acesso remoto ao Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) está disponível às instituições de ensino e pesquisa que integram a Comunidade Acadêmica Federada (CAFe), serviço provido pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP). A novidade foi anunciada pelo diretor de Programas e Bolsas no País da Capes, Emídio Cantídio, durante o Fórum de Pró-Reitores (FoProp), que aconteceu em Campo Grande (MS), entre 01 e 03 de dezembro.

“Essa é mais uma grande vitória da equipe do Portal de Periódicos”, comemora Cantídio. Ele explica que o ingresso do Portal como Provedor de Serviço da CAFe atende a uma demanda das instituições, sobretudo daquelas que não possuíam nenhum serviço de acesso remoto aos recursos assinados pela Capes.

Na prática, um professor, pesquisador, aluno ou funcionário de uma instituição usuária do Portal e que integre a CAFe pode acessar o conteúdo assinado de qualquer lugar, por meio de um login e senha fornecidos pela sua universidade. A CAFe é uma federação que reúne instituições de ensino e pesquisa em uma rede de confiança. Na CAFe, cada instituição funciona com uma Provedora de Identidade, sendo responsável por autenticar e fornecer informações de seus usuários para os serviços autorizados oferecidos. Além de Provedoras de Identidade, as instituições pertencentes à CAFe também podem ser Provedoras de Serviços, sendo estes disponibilizados aos participantes da Federação, exemplo da CAPES com o Portal de Periódicos.

Geralmente, professores e alunos de instituições de ensino superior já possuem algum tipo de cadastro, que permite acesso a serviços de e-mail, intranet, lançamento on-line de notas e faltas e realização de matrículas pela Web. Esses mesmos dados poderão ser utilizados para acesso à CAFe. Isso porque a Federação utiliza o sistema Single Sign On (SSO), ou seja, o usuário acessa diversas aplicações externas por meio de uma única autenticação, sem a necessidade de recordar o seu login e senha em cada sistema. Saiba como acessar o Portal de Periódicos pela CAFe.

O aceso remoto à CAFe é feito por meio do Shibooleth, que protege a privacidade no acesso às informações autenticadas e disponibilizadas on-line.O Shibooleth é uma tecnologia amplamente difundida e é utilizada por consórcios de bibliotecas nos Estados Unidos e Europa.


Parceria

Para Antônio Carlos Fernandes Nunes, diretor-adjunto de Gestão de Serviços da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), o ingresso do Portal de Periódicos como um Provedor de Serviço disponível aos integrantes da CAFe consolida uma parceria bem sucedida entre a Capes e a RNP. As duas instituições já têm atuado em conjunto no Projeto que levou ao desenvolvimento da atual versão do Portal, que possui uma ferramenta de busca integrada no acervo. “O Projeto do novo Portal de Periódicos e a Comunidade Acadêmica Federada, sob responsabilidade da RNP, estão chegando em um momento muito interessante. As duas iniciativas visam justamente responder a demandas importantes das instituições de ensino e pesquisa no Brasil”, afirma Nunes.

Ele explica que o objetivo de uma Federação como a CAFe é incentivar a participação de diferentes instituições em uma relação de confiança. E a oferta de serviços capazes de despertar o interesse da comunidade acadêmica para a Federação é essencial para o fortalecimento desse tipo de iniciativa. “O fato de ser uma porta de entrada para pesquisadores que desejam acessar conteúdo científico faz do Portal de Periódicos um serviço importantíssimo para alavancar a própria Federação”, afirma.

Atualmente, nove instituições de ensino e pesquisa integram a CAFe: o Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), , a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), a Universidade Federal de Viçosa (UFV), a Universidade Federal do Pará (UFPA), A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). A expectativa é que, além de outras instituições de ensino e pesquisa, em breve, os demais usuários do Portal de Periódicos também façam sua adesão à CAFe e possam utilizar os serviços oferecidos pela Federação.

Adesão

Para aderir à CAFe, a instituição interessada deve enviar um e-mail para a RNP, no endereço: cafe@rnp.br. A mensagem deve conter o nome da instituição; até três contatos técnicos (nome, função, e-mail, telefone); e um contato administrativo (nome, função, e-mail, telefone). Também é necessário preencher um questionário de gestão de identidade.

Caso a proposta de adesão seja aprovada pelo Comitê Gestor da CAFe, a equipe de TI da instituição passa a ter acesso a uma documentação com instruções para adequação aos requisitos técnicos necessários ao ingresso na Federação. A RNP também oferece apoio aos profissionais das instituições responsáveis pelos procedimentos de adesão.
Portal de Periódicos Capes

Metas governamentais apontam investimento na qualidade e no professor .

O governo federal encaminhará amanhã (15), ao Congresso Nacional o Plano Nacional de Educação (PNE). O novo documento sintetiza 20 metas e aponta estratégias para o avanço da educação brasileira no decênio 2011-2020. Em entrevista ao programa de rádio Café com o Presidente, ontem (13), o presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, e o ministro da Educação, Fernando Haddad, ressaltaram que o PNE vai investir principalmente na qualidade da educação e na valorização dos professores.

Atualmente, um professor com formação superior recebe 60% da remuneração de um profissional não docente com formação equivalente. A redução desse percentual é um dos principais pontos do novo PNE. “A próxima década tem de ser a do professor brasileiro para que a carreira do magistério não perca talentos para as demais profissões”, disse Haddad. “Quem está vocacionado para ser professor tem de ser professor; a valorização do professor é o eixo central do próximo plano.”

O PNE 2011-2020 reforça a visão sistêmica da educação, que vai da creche à pós-graduação. Entre as metas prioritárias está a universalização do atendimento desde a educação infantil até o ensino médio — alunos de quatro a 17 anos. “O PNE não é um programa para um governo, é um programa para a educação brasileira que pode perpassar dois governos e meio”, disse Lula. “O importante é que as metas são ambiciosas; estamos prevendo até 2020 chegarmos a 7% do PIB investindo em educação.” Hoje, o índice está em 5%.
retirado do site:http://www.nota10.com.br/noticia-detalhe/0448_Metas-governamentais-apontam-investimento-na-qualidade-e-no-professor-

ITA inicia aplicação de provas do vestibular 2011 neste terça; UOL terá correção online

Da Redação
Em São Paulo
Começam nesta terça-feira (14) as provas do processo seletivo 2011 do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica). Os exames prosseguem até sexta-feira (17), sempre das 8h às 12h. São esperados 7.626 candidatos. O UOL Vestibular terá a resolução comentada da prova, feita pelos professores do Curso e Colégio Objetivo, por volta das 14h.

O vestibulando deverá comparecer ao local de prova com antecedência de 45 minutos, com roupas adequadas (segundo a instituição, não é permitido, por exemplo, bermuda, chinelos, camiseta regata, etc) e munido da cédula de identidade, lápis, caneta esferográfica preta, caneta ponta porosa preta, borracha macia e régua. O estudante que perder uma das provas, não poderá realizar as demais.

Hoje, serão realizadas as questões de física. Confira no quadro o cronograma das provas:
Data Horário Matéria Composição
14/12 8h às 12h Física 20 questões de múltipla escolha e 10 questões dissertativas
15/12 8h às 12h Português e inglês 20 questões de múltipla escolha de cada matéria e uma redação em língua portuguesa
16/12 8h às 12h Matemática 20 questões de múltipla escolha e 10 questões dissertativas
17/12 8h às 12h Química 20 questões de múltipla escolha e 10 questões dissertativas

Os gabaritos das provas objetivas serão divulgados em 22 de dezembro. O resultado final da seleção será publicado no dia 30 do mesmo mês, a partir das 10h. Os candidatos convocados deverão comparecer ao ITA no dia 23 de janeiro de 2011, às 10h, para a realização do exame médico, que corresponde a última etapa do processo, de caráter eliminatório.



Estatísticas

O ITA recebeu 7.626 inscrições - é a seleção mais concorrida desde 2004. A graduação mais procurada é engenharia aeronáutica, com 2.198 candidatos. Em seguida aparece engenharia da computação, com 1.030 inscritos.

* Confira se seu nome está na lista de candidatos inscritos no vestibular 2011 do ITA



Do número total de inscritos, 3.091 optaram pela carreira militar e 3.842 pela carreira civil. Foram recebidas, ainda, 693 inscrições de candidatos treineiros. O número de mulheres participantes dessa seleção é 1.771.

São oferecidas 130 vagas para os cursos de graduação em engenharia, nas seguintes especialidades: aeronáutica, eletrônica, mecânica-aeronáutica, civil-aeronáutica, da computação e aeroespacial. Destas vagas, até 50 são destinadas para a carreira militar e 80 para ingresso de candidatos civis.

A procedência escolar dos candidatos é a seguinte: 67,3% são de escolas particulares; 23,8% de escolas estaduais; 7,7% de escolas federais; e 1,2% de escolas municipais. Aproximadamente, 31,1% do total de candidatos fez curso preparatório. Veja aqui outros dados divulgados pelo ITA.

Outras informações podem ser conferidas no site da instituição.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Escola de comunidade carente amplia o índice de qualidade

Portal do MEC
Com apenas dois anos letivos de educação em tempo integral, 150 estudantes da Escola Municipal Professora Etelvina Cáfaro Salustiano, de Moji das Cruzes (SP), conseguiram melhorar o índice da educação básica (Ideb) daquela unidade de ensino. O indicador subiu de três pontos em 2007 — o pior do município — para 4,3 em 2009. A escala do Ideb vai até 10 pontos.

Situada em um bairro de aproximadamente mil habitantes, que reúne 200 famílias oriundas de três favelas, a escola implantou a educação integral no início de 2009, com recursos da prefeitura e em parceria com entidades e igrejas. Em 2010, foi aceita no programa Mais Educação.

Com recursos transferidos pelo programa, desenvolvido pelo Ministério da Educação, 121 alunos do primeiro ao quarto ano do ensino fundamental puderam ter aulas de natação este ano. De acordo com o diretor da escola, Kennedy José de Paula, a verba, recebida em julho, foi usada na compra de maiôs, toucas, óculos, bóias e espaguetes de isopor. Com o dinheiro, a escola também paga auxílio mensal ao professor de natação, um estudante de educação física, com oito anos de experiência. Ele atua como voluntário.

Os alunos frequentam as aulas de natação no Centro Esportivo Municipal do Socorro, a sete quilômetros da escola. A prefeitura oferece o ônibus para o transporte das crianças, divididas em quatro turmas, com aulas uma vez por semana, das 10h30 às 11h30.

Na avaliação do diretor, a educação integral é importante para as crianças daquela comunidade, mas a maioria das famílias vive situações críticas. Sem qualificação profissional, os moradores têm dificuldades para conseguir trabalho, o auxílio do programa Bolsa-Família e anticoncepcionais.

Kennedy de Paula, 39 anos, é licenciado em matemática e pedagogia e pretende fazer mestrado na Universidade de São Paulo (USP) em educação e desigualdade social. Quando fala em dificuldades, ele observa que coisas básicas faltam à comunidade, como informações sobre programas sociais do governo federal e documentos, como CPF e identidade, para o cadastro na Bolsa-Família. Na comunidade, há mulheres de 30 anos de idade com oito filhos na escola, mas sem o benefício da bolsa. São comuns os casos de alcoolismo.

Atividades — Graças à interlocução com a prefeitura e entidades, a escola oferece aos alunos cinco refeições por dia — café da manhã, lanche, almoço, lanche da tarde e jantar. Algumas turmas entram às 7h e saem às 16h; outras, chegam às 8h30 e vão até 17h30.

Como a escola é pequena — quatro salas de aula, laboratório de informática, biblioteca e refeitório —, os estudantes fazem a maioria das atividades da jornada ampliada no centro comunitário do bairro, a cem metros de distância. Além da natação, a escola, parceiros e voluntários oferecem aos alunos formação nas áreas intelectual, com reforço escolar, informática, leitura, inglês, xadrez e educação ambiental; cultural, com dança, música, teatro, artes visuais; esportiva, com caratê, judô, taekwondo, basquete, futebol, handebol, atletismo e recreação.

Criado em 2007, o programa Mais Educação começou a funcionar efetivamente em 2008. Desde então, passou de 386 mil para 2,2 milhões de estudantes beneficiados. Em 2011, será ampliado para atender 15 mil escolas e três milhões de alunos.

Para receber os recursos no próximo ano, as escolas cadastradas e aquelas selecionadas para ingresso precisam informar o número de estudantes a serem atendidos. Os dados devem ser incluídos no Sistema de Informações Integradas de Planejamento, Orçamento e Finanças do MEC (Simec) — o acesso ocorre por meio de senha informada à escola. O Simec já está aberto para receber os dados.

Ionice Lorenzoni

Palavras-chave: educação básica, Mais Educação, Ideb

Brasil precisa melhorar eficiência dos gastos em educação, diz estudo do Banco Mundial

Amanda Cieglinski
Da Agência Brasil
Em Brasília
As quatro prioridades do Brasil para a próxima década devem ser a melhoria da qualificação dos professores, o fortalecimento da educação infantil, mais qualidade para o ensino médio e mais eficiência do gasto público em educação. É o que diz estudo lançado hoje (13) pelo Banco Mundial sobre os resultados alcançados pelo Brasil nos últimos anos em educação.

De acordo com o estudo, o gasto não está “produzindo os resultados esperados”. Os dados mais recentes, de 2009, mostram que o país investe hoje 5% do PIB (Produto Interno Bruto) na área, patamar que, segundo o relatório, já é superior ao verificado nos países da OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico). O país também gasta mais do que o México, o Chile, a Índia e a Indonésia, que têm perfil demográfico semelhante ao brasileiro.

No entanto, investe em média seis vezes mais em um estudante do ensino superior que no aluno da educação básica. Na OCDE, a proporção é de dois para um. O estudo destaca ainda que as altas taxas de repetência permanecem, “apesar de pesquisas indicarem que a repetição é uma estratégia ineficaz para aumentar a aprendizagem”.

O alto grau de corrupção e má-administração das verbas da educação também são apontados como razões para os baixos resultados alcançados em relação ao custo. O Banco Mundial aponta ainda “aumento no custo dos professores”, com políticas que reduziram o tamanho médio das turmas e “impuseram aumentos generalizados de salário para os professores”. Para a instituição, há pouca evidência de que o aumento salarial contribuiu para melhorar a qualidade da educação.

O estudo recomenda que o Brasil aproveite o período de transição demográfica que está vivendo para melhorar a qualidade do ensino, já que o fenômeno terá um “impacto notável” sobre a população em idade escolar na próxima década. “A redução projetada de 23% no número de estudantes de ensino fundamental corresponderá a quase 7 milhões de assentos vazios nas escolas do país (...). Essa transformação demográfica é uma bonificação para o sistema educacional e permitirá que os níveis atuais de gastos financiem uma grande melhoria na qualidade escolar”, diz o texto.

Para melhorar a qualificação dos professores, o Banco Mundial defende a adoção de estratégias para atrair os “indivíduos de mais alta capacidade para a sala de aula”, com apoio para formação continuada e recompensa pelo desempenho. Hoje, diz o estudo, a carreira docente se tornou “uma profissão de baixa categoria”, que atrai o “terço inferior dos estudantes do ensino médio”.

O Banco Mundial indica como exemplo de políticas eficientes programas de pagamento de bônus para os professores a partir dos resultados alcançados por suas turmas, como os já adotados em Minas Gerais, Pernambuco e São Paulo e no município do Rio de Janeiro.
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/12/13/brasil-precisa-melhorar-eficiencia-dos-gastos-em-educacao-diz-estudo-do-banco-mundial.jhtm

Fuvest divulga nota de corte da primeira fase do vestibular 2011; confira

Da Redação
Em São Paulo
A Fuvest 2011 divulgou nesta segunda-feira (13) as notas de corte do vestibular 2011; confira-as aqui. As notas das 17 carreiras com maiores pontuações diminuíram em relação ao vestibular do ano passado. Estão sendo convocados para essa fase 35.766 candidatos, que disputarão 10.752 vagas.
A lista com os vestibulandos aprovados para a próxima etapa será divulgada em 20 de dezembro. Nessa mesma data, serão divulgados os locais de prova da segunda fase, que podem ser diferentes dos da primeira.
Confira as carreiras com nota de corte maior ou igual a 50 pontos
Carreira Nota de corte 2010 (90 questões) Nota de corte 2011 (89 questões)
421 – Medicina 74 70
422 – Ciências Médicas – Ribeirão Preto 74 69
603 – Engenharia Aeronáutica – São Carlos 68 64
211 – Curso Superior do Audiovisual 63 59
613 – Engenharia na Escola Politécnica 63 58
235 – Relações Internacionais 63 57
606 – Engenharia Civil – São Carlos 61 57
615 – Engenharia – São Carlos 60 57
213 – Direito 60 56
225 – Jornalismo 60 54
201 – Arquitetura – FAU 56 53
234 – Publicidade e Propaganda 57 52
431 – Psicologia 56 52
202 – Arquitetura – São Carlos 53 50
212 – Design 57 50
218 – Editoração 51 50
614 – Engenharia Química – Lorena 56 50


Segunda fase

A segunda fase ocorre nos dias 9, 10 e 11 de janeiro de 2011. Serão três provas analítico-expositivas. A primeira, comum a todos os cursos, terá 10 questões, de igual valor, de interpretação de textos, gramática, literatura e uma redação.



* Gabarito da primeira fase da Fuvest 2011
Prova da primeira fase da Fuvest 2011; versão V



A segunda prova, também comum a todos os cursos é constituída de 20 perguntas sobre matemática, história, física, geografia, química, biologia, inglês e algumas questões interdisciplinares. A terceira prova terá 12 questões, de igual valor, de duas ou três disciplinas, dependendo da carreira escolhida pelo vestibulando.

Veja quais são os livros do vestibular 2011 e inicie seus estudos com o material do UOL Vestibular:
* Auto da barca do inferno - Gil Vicente;
* Memórias de um sargento de Milícias - Manuel Antônio de Almeida;
* Iracema - José de Alencar;
* Dom Casmurro - Machado de Assis;
* O Cortiço - Aluísio Azevedo;
* A cidade e as serras - Eça de Queirós;
* Vidas secas - Graciliano Ramos;
* Capitães da areia - Jorge Amado;
* Antologia poética (com base na 2ª ed. aumentada) - Vinícius de Moraes.


Chamadas e matrícula

A divulgação da primeira chamada está prevista para 9 de fevereiro de 2011. A matrícula será realizada nos dias 14 e 15 do mesmo mês. No dia 19 de fevereiro será divulgada a segunda chamada, com matrícula no dia 21.

A manifestação de interesse pelas vagas não preenchidas deverá ser realizada nos dias 24 e 25 de fevereiro, das 9h às 16h, nos postos de manifestação de interesse (que podem ser consultados no manual, na seção de matrículas). Confira as datas das próximas chamadas:

* 07/3 - Divulgação da terceira chamada;
* 11/3 - matrícula da terceira chamada;
* 16/3 - divulgação da quarta chamada;
* 17/3 - matrícula da quarta chamada;
* 21/3 - divulgação da quinta chamada;
* 22/3 - matrícula da quinta chamada.



Outras informações podem ser obtidas pelo site do vestibular ou no manual do candidato.
Retirado do site:http://vestibular.uol.com.br/ultimas-noticias/2010/12/13/fuvest-divulga-nota-de-corte-da-primeira-fase-do-vestibular-2011-confira.jhtm

Florianópolis vai sediar fórum mundial em novembro de 2011

Portal do MEC
Santiago de Compostela (Espanha) — O conselho internacional do Fórum Mundial de Educação (FME), reunido no domingo, 12, na capital da Galícia, aprovou por unanimidade a escolha de Florianópolis como sede do 2º Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica. O encontro está previsto para novembro de 2011.

Com a escolha da capital catarinense, será possível instalar o comitê organizador, formado por entidades e instituições parceiras. Elas serão responsáveis pelo encontro, ao lado do Ministério da Educação e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina. O conselho também definiu as atividades que apresentará no FME, que ocorrerá simultaneamente ao Fórum Social Mundial, de 6 a 11 de fevereiro de 2011, em Dacar, Senegal. Uma delas será o resgate da memória das cartas-síntese dos fóruns já ocorridos, com atualização da agenda para o próximo período. Outra, a realização de debate sobre o momento da educação mundial, com destaque para a África.

O conselho internacional do FME reuniu-se durante o Fórum Mundial de Educação Temático (FMEt), em Santiago de Compostela. No encontro, que termina nesta segunda-feira, 13, foi debatido o tema Educação, Pesquisa e Cultura de Paz, com a participação de representantes do Brasil, Uruguai, Espanha e Colômbia. Na abertura oficial, na sexta-feira, 10, o ex-presidente e ex-primeiro ministro de Portugal Mário Soares defendeu a educação para a paz como disciplina curricular obrigatória em todos os países civilizados. Segundo ele, o assunto deve ser prioritário na agenda das nações, de forma a contribuir para regular “a globalização desenfreada”.

O presidente da Fundação Cultura de Paz, o espanhol Federico Mayor Zaragoza, afirmou que a sociedade civil deve apoiar-se nas tecnologias da comunicação para dizer basta à violência. “Os cidadãos podem ser fontes de informação, ajudando os jornalistas a escrever o mundo tal como tem de ser”, disse.

O representante do Ministério da Educação brasileiro, Alexandre Vidor, destacou o papel da rede federal brasileira de educação profissional na construção de uma cultura da paz. “A revolução que está em curso no Brasil nessa área dá o protagonismo ao indivíduo”, disse. “Devemos, sempre, reafirmar que a formação cidadã deve preceder a capacitação para o mercado de trabalho.”

Realizado pela primeira vez em 2001, em Porto Alegre, o FME reúne dirigentes e organizações de todos os continentes para articular e democratizar conhecimentos e experiências. A proposta do fórum é a construção coletiva de uma plataforma internacional de defesa da educação pública, gratuita, laica, obrigatória e de qualidade e que promova a cultura de paz.

Felipe De Angelis

Confira o fórum de 2009, realizado em Brasília

Mais informações na página eletrônica do fórum

Palavras-chave: educação profissional, FME

Metas para 2011-2020 apontam investimento na qualidade e no professor

Portal do MEC
O governo federal encaminhará na quarta-feira, 15, ao Congresso Nacional o Plano Nacional de Educação (PNE). O novo documento sintetiza 20 metas e aponta estratégias para o avanço da educação brasileira no decênio 2011-2020. Em entrevista ao programa de rádio Café com o Presidente, nesta segunda-feira, 13, o presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, e o ministro da Educação, Fernando Haddad, ressaltaram que o PNE vai investir principalmente na qualidade da educação e na valorização dos professores.

Atualmente, um professor com formação superior recebe 60% da remuneração de um profissional não docente com formação equivalente. A redução desse percentual é um dos principais pontos do novo PNE. “A próxima década tem de ser a do professor brasileiro para que a carreira do magistério não perca talentos para as demais profissões”, disse Haddad. “Quem está vocacionado para ser professor tem de ser professor; a valorização do professor é o eixo central do próximo plano.”

O PNE 2011-2020 reforça a visão sistêmica da educação, que vai da creche à pós-graduação. Entre as metas prioritárias está a universalização do atendimento desde a educação infantil até o ensino médio — alunos de quatro a 17 anos. “O PNE não é um programa para um governo, é um programa para a educação brasileira que pode perpassar dois governos e meio”, disse Lula. “O importante é que as metas são ambiciosas; estamos prevendo até 2020 chegarmos a 7% do PIB investindo em educação.” Hoje, o índice está em 5%.

Qualidade — O ministro Haddad ressaltou ainda o avanço da educação brasileira consolidado nos dois mandatos do presidente Lula. Na mais recente aferição do Programa Internacional de Avaliação Estudantil (Pisa), em 2009, o Brasil foi o terceiro país que mais evoluiu em qualidade da educação. “Entre 2000 e 2009, o Brasil só evoluiu menos do que Luxemburgo, que é um país muito pequeno da Europa, e o Chile, que tem a dimensão de um estado médio brasileiro”, disse. “Isso significa dizer que a educação brasileira está no rumo certo.”

O ministro salientou ainda que o país está crescendo em quantidade e em qualidade. “Isso vale para a educação básica e também para o acesso aos cursos técnicos e à universidade.”

O novo PNE contém metas para todos os níveis de ensino e também para a educação profissional. Segundo o presidente, a qualidade da educação brasileira, em cada uma de suas etapas, será um desafio de governo para a presidente eleita, Dilma Rousseff. “Se no nosso mandato fizemos um investimento muito forte na educação universitária, daqui para a frente precisaremos de mais ousadia na questão do ensino fundamental”, alertou Lula. “É preciso construir parcerias com prefeitos e governadores para que todos nós assumamos definitivamente a responsabilidade de que a educação é a nossa prioridade.”

Assessoria de Comunicação Social
Palavras-chave: PNE, universalização

Pisa: melhores salários a professores dão mais resultados que turmas menores

Rafael Targino
Em São Paulo
O Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) 2009, divulgado na semana passada pela OCDE (Organização para a Cooperação Econômica Europeia), chegou à conclusão, depois da análise dos resultados, que sistemas considerados de sucesso gastam muito dinheiro em educação e tendem a priorizar o salário docente à formação de classes menores.

De acordo com a pesquisa, o melhor desempenho dos estudantes está relacionado aos salários mais altos dos professores e não a turmas com menos alunos. Para a OCDE, os sistemas que fazem isso comprovam pesquisas que “afirmam que aumentar a qualidade do professor é uma rota mais efetiva para melhorar os resultados dos estudantes do que criar turmas menores”.
Recursos

Dentro dos países, afirma o Pisa, escolas com melhores recursos geralmente têm desempenho melhor por tenderem a ter mais estudantes “sócio-economicamente favorecidos”. Alguns locais, diz a pesquisa, têm grande relação entre os recursos e o ambiente demográfico e sócio-econômico da região onde as escolas se encontram.

“Se a maioria ou todas as escolas tiverem o mínimo de recursos necessários para permitir um ensino efetivo, recursos materiais adicionais podem fazer mínima diferença nos resultados”, diz o relatório.
E no Brasil?

Para Daniel Cara, coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, também no Brasil o foco no professor é sempre a variável mais importante. “Mas só o foco no professor não vai surtir os efeitos necessários. Claro que o primeiro passo é esse. Investir em formação continuada. Só que esse passo não vai ser suficiente pra resolver o déficit educacional brasileiro”, afirma.

“O grande caminho agora é incentivar a renda das famílias. Quanto maior a renda, maior a escolaridade”, diz Cara.
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/12/13/pisa-melhores-salarios-a-professores-dao-mais-resultados-que-turmas-menores.jhtm

A Importância da Administração de Cargos e Salários

A Administração de Cargos e salários é um dos pontos mais importantes para que se possa fazer gestão de recursos humanos é preciso elaborar ...