sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Faculdades dizem ter acatado os pedidos do MEC

A Faculdades Integradas do Planalto Central e o Centro Universitário de Volta Redonda dizem ter cumprido as medidas acordadas com o MEC. Na Luterana e na Unisa, os cortes já foram feitos.

A Universidade Iguaçu comemorou a volta do vestibular de Nova Iguaçu, mas não se manifestou sobre o corte de vagas no outro campus.

A Unimar diz que cumpriu todas as exigências, com exceção de uma que não depende só dela. A Unaerp disse que os fundamentos do MEC são "infundados".

A federal do Pará abriu processos administrativos e demitiu um professor. A federal da Bahia não quis se pronunciar agora.

As demais instituições não foram encontradas ou não responderam.

(Folha de S.Paulo)
retirado do site:http://aprendiz.uol.com.br/content/cheniclesh.mmp

MEC manda cortar 512 vagas em cursos de medicina do país

O Ministério da Educação ordenou o corte de 512 vagas anuais em cursos de medicina de 11 instituições de ensino superior particulares.

Duas universidades federais, da Bahia e do Pará, terão 90 dias para apurarem responsabilidades na deficiência dos cursos. Por terem autonomia, o MEC não pode determinar corte nas vagas.

As decisões são a última etapa, dentro do MEC, de um processo que acompanhou 17 instituições de ensino que tiveram notas 1 e 2 no Enade (exame que avalia os alunos, com resultados de 1 a 5) de 2007. Agora, resta às instituições recorrerem ao Conselho Nacional de Educação.

Nos últimos três anos, as instituições foram avaliadas por uma comissão criada pelo ministério e assinaram termos em que se comprometeram a resolver os problemas.

Entre as pendências, estão falta de professores qualificados, bibliotecas com acervo precário, carga horária de atendimento nos hospitais insuficiente e hospitais universitários com deficiências.

Durante os processos, algumas instituições tiveram punições provisórias, com a suspensão do vestibular ou a redução das vagas ofertadas.

Se, em novas avaliações, em 2010, as instituições tiverem resultados satisfatórios, poderão recuperar as vagas.

Três das punidas não tiveram cortes anteriores, segundo o MEC -Centro Universitário de Volta Redonda (RJ), Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central (DF) e Universidade de Ribeirão Preto (SP).

A Universidade Iguaçu, campus Nova Iguaçu, tinha tido o vestibular de medicina suspenso. Ele foi reabilitado, com redução de vagas.

Os outros oito cursos já tinham sofrido redução das vagas, punição mantida: Centro de Ensino Superior de Valença (RJ), Centro Universitário Nilton Lins (AM), Universidade Severino Sombra (RJ), Universidade Luterana do Brasil (RS), Universidade Iguaçu - campus Itaperuna (RJ), Universidade Santo Amaro (SP), Universidade de Uberaba (MG) e Universidade de Marília (SP).

(Folha de S.Paulo)
retirado do site:http://aprendiz.uol.com.br/content/thuclekehu.mmp

Unicamp testará novo sistema de avaliação

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) fará parte de um projeto piloto para usar o Student Experience in the Research University (SERU), sistema de avaliação usado por universidades públicas nos Estados Unidos.

Segundo a Unicamp, com base em informações fornecidas pelos próprios estudantes sobre suas experiências nas instituições de pesquisa, o sistema permitirá que a partir de minucioso questionário se desenvolvam estudos de avaliação de desempenho dos alunos no ensino superior público.

O convite para participar da versão brasileira do projeto veio do fundador e coordenador do SERU, John Douglass, pesquisador sênior do Center for Studies in Higher Education da Universidade da Califórnia em Berkeley, que é pesquisador visitante do Grupo de Estudos em Ensino Superior (GEES) do Centro de Estudos Avançados (CEAv) da Unicamp.

De acordo com Renato Hyuda de Luna Pedrosa, coordenador do GEES, o projeto será adaptado, uma vez que o questionário traz blocos mais especializados e outros dedicados a aspectos do sistema norte-americano de ensino superior.

“Nossa versão do questionário será disponibilizada on-line para a entrada de dados pelos alunos. Coletadas as informações, vamos fazer a conexão com o banco de dados acadêmicos da Unicamp”, disse.

A ideia é que outras universidades brasileiras se juntem ao projeto piloto que será centralizado na Unicamp.

Mais informações sobre o SERU: http://cshe.berkeley.edu/research/seru

(Agência Fapesp)
retirado do site:http://aprendiz.uol.com.br/content/shugeconis.mmp

Após prorrogação, IFSP encerra inscrições do vestibular 2011 às 15h desta sexta

Da Redação
Em São Paulo
O IFSP (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo) recebe até as 15h desta sexta-feira (26) as inscrições para o processo seletivo 2011 dos cursos técnicos e superiores da instituição. Inicialmente, o prazo terminaria no último dia 19, mas foi prorrogado até hoje. Os interessados devem se cadastrar pela internet.

Das 1.800 vagas ofertadas para os cursos superiores, 50% serão preenchidas por meio do Sisu (Sistema de Seleção Unificada) do MEC (Ministério da Educação). Para os cursos técnicos, são oferecidas 4.420 vagas. Confira os valores das taxas de inscrição:
Os locais de prova serão divulgados em 13 de dezembro. Os exames acontecem no dia 19 do mesmo mês, a partir das 13h. Os candidatos aos cursos superiores deverão responder 70 questões de múltipla escolha e elaborar uma redação. A prova para os cursos técnicos terá 64 questões de múltipla escolha.

A divulgação dos gabaritos está prevista para as 18h do dia de aplicação dos exames. A lista de classificação geral será publicada no dia 14 de janeiro de 2011, juntamente com o cronograma de matrículas.

Outras informações podem ser obtidas nos editais do ensino técnico e superior ou pelo site do vestibular.
retirado do site:http://vestibular.uol.com.br/ultimas-noticias/2010/11/26/apos-prorrogacao-ifsp-encerra-inscricoes-do-vestibular-2011-as-15h-desta-sexta.jhtm

Aluno atrasado na escola tem mais chance de evadir, diz pesquisa

Sarah Fernandes
Estudar com mais idade que a esperada para a série escolar, devido à repetência ou abandono, aumenta as chances do aluno de São Paulo não se matricular no ensino médio. O quadro é mais crítico para os estudantes com notas baixas em avaliações oficiais do ensino fundamental, aponta um estudo do Instituto Unibanco, apresentado nessa quinta-feira (25/11), na capital paulista.

Estar um ano atrasado no ensino fundamental diminui em 20% a chance de se matricular no ensino médio para os alunos com baixo desempenho no Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp) - que avalia o rendimento dos alunos do ensino fundamental. Para os atrasados com notas altas a probabilidade diminui 7%, segundo a pesquisa.

Para os alunos com mais de um ano de atraso, independente das notas nas avaliações oficiais, a probabilidade de ingresso no ensino médio reduz de 20% a 35%, aponta o estudo, intitulado “Relação entre Abandono Escolar no Ensino Médio e Desempenho Escolar no Ensino Fundamental Brasileiro”. A lógica se mantém para a permanência no ensino médio, segunda a pesquisa.

“Esses alunos estão em uma fase da vida em que não há forte preocupação com o futuro, principalmente quando há problemas para serem solucionados no presente, como falta de renda”, observou o coordenador da pesquisa, Amaury Patrick Gremaud. “Ele não se enturma com os colegas por ser mais velho e é caracterizado por já ter tido dificuldades no ensino fundamental”.

O diagnóstico da pesquisa foi observado na prática pela estudante do 1º ano do ensino médio Katarina Fernanda, de 16 anos, que sempre viu alunos abandonarem os estudos no colégio público em que estuda, em São José dos Campos (SP). “Muitos colegas pararam, pelos mais variados motivos, mas principalmente por problemas pessoais. Alguns voltaram e depois saíram de novo”.

Ele destaca que a evasão reduziu depois que a escola iniciou um projeto social para combater o problema. “Eu mesma não via muito sentido e não entendia porque estudar aquelas coisas”. Apesar disso, ela destaca que quando se fala em aprender o conteúdo, a classe ainda fica bem dividida. “Muitos alunos têm dificuldade de aprender o que é ensinado”.

“Combater a repetência iniciando projetos para evitar que ela aconteça é muito importante, porém é necessário garantir que os alunos aprendam”, observou o coordenador da pesquisa, durante o lançamento.

Metodologia

A pesquisa analisou dados do Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp) de 2007 e a situação de matrículas em 2008 e 2009. A pesquisa fica restrita a São Paulo por ser o único estado em que as notas das avaliações oficiais são cruzadas com outros dados dos alunos individualmente.

Rendimento

Assim como a idade, o mau rendimento nas avaliações oficiais do ensino fundamental diminui as chances dos alunos se matricularem ou permanecerem no ensino médio. Os estudantes com as piores notas têm 70% de chance de se matricularem nessa etapa do ensino, enquanto entre os com as maiores notas a probabilidade é de 97%, destaca a pesquisa.

Negros

Os alunos negros são os que têm mais chance de concluir o ensino médio, segundo dados analisados pela pesquisa. A probabilidade chega a ser 1,5% maior que os brancos. “Isso contraria o consenso habitual. Avalio que seja devido a um estimulo pela necessidade. Muitos têm uma ideologia maior que de outros grupos sociais e querem fazer a diferença”, observou Gremaud.

Além dos negros, as meninas cuja mãe tem ensino superior e que possuem computador em casa têm mais chance de concluir o ensino médio. A diferença entre os sexos só é observada na permanência, não na matrícula. Os alunos da zona rural têm maiores chances de evadir.
retirado do site:http://aprendiz.uol.com.br/content/shopruseth.mmp

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Formação inicial tem inscrição prorrogada até 15 de dezembro

Portal do MEC
Foram prorrogadas até 15 de dezembro as pré-inscrições na Plataforma Freire para formação inicial de professores que atuam na educação básica pública de todo o país — o prazo original seria encerrado na terça-feira, 30. Para o primeiro semestre de 2011, são oferecidas 40 mil vagas em cursos de licenciatura presenciais e sete mil em cursos a distância em instituições públicas (federais e estaduais) e comunitárias sem fins lucrativos.

Será permitida apenas uma pré-inscrição em curso de formação inicial. O professor deve estar cadastrado no Educacenso de 2009 e na Plataforma Freire. De 16 a 22 de janeiro, as secretarias estaduais e municipais de educação validarão as pré-inscrições. Em seguida, como prevê o novo calendário, enviarão as listas dos professores selecionados às instituições de educação superior de cada estado.

Até setembro deste ano, considerada a oferta dos três últimos semestres, 46 mil professores fizeram a matrícula pelo sistema da plataforma. O total de recursos de custeio repassados às instituições de ensino participantes do sistema, em 2009 e até outubro de 2010, foi de R$ 37 milhões.

A Plataforma Freire faz parte do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor), gerido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em parceria com as secretarias de educação de estados e municípios e as instituições públicas de ensino superior. O objetivo é qualificar os professores em exercício na rede pública para melhorar a qualidade do ensino oferecido nas escolas.

Participam do Parfor 141 instituições de educação superior de 25 estados. Elas oferecem cursos de licenciatura presenciais e também a distância — neste caso, pela Universidade Aberta do Brasil (UAB).

Assessoria de Comunicação Social
Palavras-chave: professor, formação, Plataforma Freire

Ministros vão propor um plano de desenvolvimento da educação

Portal do MEC
Rio de Janeiro – Ministros da educação do Mercosul se reunirão nesta sexta-feira, 26, para debater a construção de um plano comum de desenvolvimento educacional para os países do bloco nos próximos cinco anos. O evento, previsto para começar às 9h, será realizado no Museu da República, no Rio de Janeiro.

Entre os principais assuntos a serem discutidos está a consolidação de um sistema de acreditação, uma avaliação que atesta a qualidade do ensino de cursos superiores. A intenção é facilitar a revalidação de diplomas no Mercosul e países associados.

Na pauta da reunião também está o fortalecimento do ensino da língua espanhola no Brasil e da língua portuguesa nos outros países do bloco. No âmbito dos cursos de graduação, será debatida a possibilidade de intercâmbio entre estagiários.

Estarão presentes na reunião os ministros Fernando Haddad, do Brasil, Alberto Sileoni, da Argentina, Luis Alberto Montaner, do Paraguai, além de representantes do Uruguai e dos seguintes países convidados: Colômbia, Equador, Venezuela e Chile. Foram convidadas, também, autoridades da Bolívia e do Peru.

Está prevista para o fim da reunião, às 16h30, uma entrevista coletiva com os ministros. Todo o evento será transmitido pela TV MEC.

Assessoria de Comunicação Social
Palavras-chave: Educação superior, Mercosul

Conhecidos os vencedores de olimpíada que reuniu 19,6 milhões de alunos

Portal do MEC
Os estudantes que participaram da edição de 2010 da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) já podem consultar a relação dos vencedores. São 502 medalhistas de ouro, 900 de prata e 1.802 de bronze. Outros 30.041 alunos receberão menção honrosa. Os ganhadores foram conhecidos nesta quinta-feira, 25, no Ministério da Ciência e Tecnologia, promotor da competição em parceria com o Ministério da Educação.

De acordo com o ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, a participação dos estudantes este ano foi um sucesso, tanto pela quantidade — 19,6 milhões de alunos — quanto pela abrangência. A Obmep chegou a 99,2% dos municípios brasileiros e nas 27 unidades da Federação.

Segundo Rezende, quando se fala em quase 20 milhões de estudantes, esse número significa que durante dois meses — o tempo da primeira fase da Obmep — mais de 10% da população brasileira está estudando e fazendo provas de matemática. O ministro destacou ainda que 130 mil professores trabalharam este ano como voluntários na aplicação das provas e que 44,7 mil escolas públicas cederam espaço para receber os alunos.

Dados apresentados pelo diretor do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), César Machado, mostram que os talentos estão distribuídos pelo país. Os 3.204 medalhistas provêm de 939 municípios e 82 estudam em escolas públicas rurais. Entre os ganhadores de medalhas, 16 são tetracampeões e cinco, pentacampeões.

Trajetória — Realizada desde 2005, a Obmep é um projeto de estímulo ao estudo da matemática voltado para as escolas públicas, estudantes e professores de todo o país. Para estimular a participação, produz e distribui material didático, oferece estágio aos professores premiados e participação de alunos no Programa de Iniciação Científica Júnior. Nesse programa, os ganhadores da competição estudam matemática por um ano com bolsa de estudos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A Obmep também prepara, a cada ano, cerca de 30 medalhistas de ouro para competições internacionais.

Promovida pelos ministérios da Educação e da Ciência e Tecnologia, a Obmep é realizada pelo Impa e pela Sociedade Brasileira de Matemática (SBM).

A relação dos estudantes premiados e dos que receberão menção honrosa está na página eletrônica da competição.

Ionice Lorenzoni
Palavras-chave: matemática, olimpíada, Obmep

Salas Multisseriadas são realidade das Escolas rurais

Realidade complexa
As classes com alunos de diversas idades em localidades isoladas representam um dos maiores desafios pedagógicos da educação brasileira

As escolas multisseriadas, em que um mesmo docente atende estudantes de diferentes idades em uma mesma turma, são marca registrada da educação rural brasileira. Em 2009, o Censo Escolar apontou a existência de mais de 96,6 mil turmas multisseriadas no ensino fundamental. Segundo dados do Observatório da Educação, a distorção idade-série chega a 38,9% ainda nas séries iniciais das escolas rurais.

Esse número sinaliza o baixo aprendizado nas escolas rurais com essa característica, responsáveis principalmente pela oferta do 1º ao 5º do ensino fundamental. A existência das classes multisseriadas se dá por diversos fatores. Entre eles, a baixa densidade populacional na zona rural - escolas pequenas, com poucos alunos matriculados -, a carência de professores e de infraestrutura. Além disso, há poucos docentes das séries iniciais do ensino fundamental com nível superior. São apenas 35% na zona rural, contra 67,4% na zona urbana. Nas séries finais, são 44,6% e 88,3%, respectivamente.

Um levantamento do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Rural na Amazônia (Geperuaz), realizado com base no Censo Escolar 2006, mostrou que 75% das escolas de Educação Básica do Pará estão localizadas no campo, sendo a maioria das classes multisseriadas. Nessas escolas, a taxa de distorção idade-série é de 81,2%. O atraso escolar ainda nos primeiros anos de escolarização é grande: a distorção entre as crianças matriculadas na 4ª série é de 90,51%; na 1ª série, a taxa de reprovação atinge 36,27%.

Armênio Schimdt, da Secad, diz que não é possível prescindir das escolas multisseriadas, pois é necessário entender a densidade populacional do campo. "O que faltava era uma proposta pedagógica para atender diferentes alunos em uma mesma sala de aula. Hoje, o programa Escola Ativa é justamente para qualificar os professores, que têm anualmente 240 horas de formação."

Sobre os programas desenvolvidos pelo MEC e também pelos governos locais, Salomão Hage, professor da Universidade Federal do Pará e coordenador do Geperuaz, reconhece que houve muitos avanços com o Pronera, Escola Ativa e ProJovem Campo - Saberes da Terra. "Hoje há processos de formação, tanto inicial quanto continuada. O problema é que são muitos professores para serem formados ao mesmo tempo. Além disso, não dá para tratar da mesma forma as populações quilombolas, ribeirinhos, povos da floresta, indígenas, nem mesmo formá-los da mesma maneira, ainda que haja aspectos comuns a eles", pondera Salomão.

Ausência de avaliação
A baixa qualidade da educação na zona rural costuma ser analisada principalmente pelos indicadores de fluxo escolar, com as taxas de reprovação e distorção idade-série. A participação das escolas rurais em avaliações de grande escala é pequena no Brasil. As turmas multisseriadas, por exemplo, não são avaliadas pela Prova Brasil e/ou pelo Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb).

Marcelino Rezende, da USP de Ribeirão Preto, aponta dois motivos que inviabilizam a avaliação das escolas rurais: o custo de chegar a todas elas e a possibilidade de os indicadores nacionais caírem ainda mais, dada a realidade educacional no campo. Segundo ele, é comum municípios terem um bom Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) com base no desempenho das escolas urbanas, enquanto as rurais, que muitas vezes são maioria na rede, ficam à margem do sistema. Para o pesquisador, não é possível avaliar sem que primeiro se ofereça uma escola com boa infraestrutura e professores qualificados.

De acordo com o diretor da Secad, Armênio Schmidt, a Prova Brasil e o Saeb chegam às escolas rurais que possuem no mínimo 40 alunos. Em contrapartida, mais da metade das escolas rurais do país tem até 30 alunos matriculados. O desejo do MEC é ampliar a avaliação para as escolas menores, o que demandaria a elaboração de uma outra prova e logística diferenciada. Estudos nesse sentido já foram solicitados ao Inep, órgão formulador das avaliações.

"É preciso avaliar também os conhecimentos específicos que são ensinados nas escolas rurais, que muitas vezes não são captados nessas provas. Temos de buscar uma prova que avalie com mais clareza aquilo que é trabalhado no campo", defende Schmidt.

Outro aspecto que interfere na qualidade da educação no campo é a faixa salarial dos docentes, aliada aos desmandos políticos. Segundo Josemar da Silva Martins, o Pinzoh, professor do Departamento de Ciências Humanas da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) que atua em um projeto junto a 43 escolas rurais, a falta de infraestrutura e os baixos salários são determinantes.

"Há escolas muito isoladas, cujo suprimento básico do quadro de pessoal é uma única pessoa: a professora, que se encarrega da limpeza, da merenda, que leva água na cabeça porque se não tiver água não haverá comida", relata o pesquisador. Por outro lado, aponta ele, as formações hoje disponíveis são boas, mas têm de ser atreladas a um salário melhor, pois a rotatividade é muito grande. Nesse cenário, os professores que se qualificam buscam mudar para centros maiores, onde se paga melhor e as redes são
mais estruturadas.

Pinzoh aponta outro problema: o desconhecimento das editoras de livros didáticos do Brasil profundo. Por esse motivo, a saída é produzir
conteúdos que dialoguem com as realidades locais. "É preciso melhorar o acesso aos conteúdos e aumentar a capacidade do professor de contextualizar os conhecimentos, com uma prática pedagógica que transite entre a escola e a comunidade." O desafio maior está em fazer esse movimento sem tratar o conhecimento de forma reducionista. (E.F. e Rubem Barros)

O campo e o PNE

A preocupação com as classes multisseriadas também esteve presente na Conferência Nacional de Educação, evento que reuniu educadores de todo o Brasil em março último. Como um dos temas do eixo 6 da Conae, que tratou da questão da diversidade, o texto final recomendou que as salas multisseriadas tenham número reduzido de alunos em relação às turmas de série única, além de recursos humanos e didáticos em consonância com suas necessidades pedagógicas.
retirado do site:http://revistaeducacao.uol.com.br/textos.asp?codigo=13014

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Olimpíada de língua portuguesa divulga vencedores no dia 29

Portal do MEC
Os 20 estudantes vencedores da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro e seus professores serão conhecidos na próxima segunda-feira, 29, em Brasília. O evento será no Museu Nacional da República, na Esplanada dos Ministérios, às 14h30.

Concorrem aos prêmios 152 alunos selecionados nas quatro fases regionais da olimpíada nos gêneros literários poema, crônica, memória e opinião e 28 professores escolhidos entre aqueles que fizeram relatos sobre o processo de produção de textos abordando todas as etapas do concurso.

O conjunto de estudantes que teve seus textos aprovados para a última fase representa escolas de 26 das 27 unidades da Federação e alunos dos anos finais do ensino fundamental e do ensino médio público. Apenas Roraima não tem finalista. Cada gênero literário chega à fase final com 38 concorrentes.

Em Brasília, cada professor e cada aluno vencedor receberá medalha, um microcomputador e uma impressora; cada escola, dez microcomputadores, uma impressora e cupons para escolha de livros para a biblioteca do estabelecimento.

Abrangência – A segunda edição da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, que teve como tema O lugar onde vivo, alcançou representação nacional. Dos 5.565 municípios do país, 5.223 participaram com 60,1 mil escolas públicas da educação básica e 239,4 mil professores.

A produção de textos nas escolas começou em junho e seguiu nas etapas estaduais e regionais até 19 de novembro. Nesse espaço de tempo, alunos do quinto e sexto ano do ensino fundamental escreveram poesia; sétimo e oitavo ano, memória; nono ano do ensino fundamental e primeira série do ensino médio, crônica; segunda e terceira séries do ensino médio, artigo de opinião.

A Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro é promovida pelo Ministério da Educação e pela Fundação Itaú Social e coordenada pelo Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec).

Ionice Lorenzoni

Confira a relação dos 152 estudantes finalistas por gênero literário.

Confira a lista dos 28 professores finalistas, por categoria literária.

Palavras-chave: Olimpíada da Língua Portuguesa

Agenda Portal Aprendiz

Festa do Livro da USP traz títulos com 50% de desconto

A 12ª edição da Festa do Livro da USP será realizada nos dias 24, 25 e 26 de novembro de 2010, das 9h às 21h, no saguão do prédio da Geografia e História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. Todos os livros vendidos durante o evento terão, obrigatoriamente, desconto mínimo de 50% em relação ao preço de capa praticado pelos editores.

A Festa do Livro da USP é um evento gratuito e aberto ao público geral. O endereço do prédio da Geografia e História é Av. Prof. Lineu Prestes, 338, Cidade Universitária, São Paulo (SP).

Mais informações: www.edusp.com.br/eventos.asp

Plataforma Freire oferece 47 mil vagas para cursos gratuitos de licenciatura

Para 2011, a Plataforma Freire, um projeto para formação inicial de professores da educação básica pública, oferece 40 mil vagas em cursos de licenciatura presenciais e 7 mil em cursos a distância, em instituições federais, estaduais e comunitárias. É necessário fazer a pré-inscrição até 30 de novembro de 2010, pela internet.

O professor que se candidatar deverá estar cadastrado no Educacenso 2009 e na Plataforma Freire. De 1º de dezembro de 2010 até 7 de janeiro de 2011, as secretarias estaduais e municipais de educação validarão as pré-inscrições. Em seguida, enviarão as listas dos professores escolhidos às instituições de educação superior de cada estado.

A Plataforma Freire faz parte do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor), que visa melhorar a formação dos docentes da rede pública. Nos três últimos semestres, 46 mil professores se matricularam pelo sistema. Ao todo, 141 universidades, dos 24 estados e do Distrito Federal, participam da iniciativa.

Curso de direção cinematográfica em SP tem inscrições até 6/12

A Rede Catraca Livre vai promover um curso de Direção Cinematográfica no Cine Galpão entre janeiro e fevereiro de 2011. Os alunos poderão conhecer as etapas do processo de produção de um filme em aulas teóricas e práticas e desenvolver um projeto audiovisual ao final do curso.

As inscrições vão até o dia 6 de dezembro de 2010. Serão selecionados 15 alunos, dando prioridade para quem não tem condições de pagar o curso. Não é necessário ter experiência.

Além da publicação da produção na Rede Catraca Livre, haverá exibição aberta no ultimo dia de aula para participantes e convidados.

Para se inscrever, acesse a página do Catraca Livre. Veja o programa do curso, datas e horários aqui.

Em caso de dúvidas, entre em contato pelo telefone (11) 3814-9237 ou pelo e-mail rede@catracalivre.com.br

Israel oferece bolsas para curso de Comunicação

O Ministério de Relações Exteriores de Israel oferece bolsas de estudos para profissionais estrangeiros no curso de extensão em "Estratégias de Mídia para Mudanças Sociais". As inscrições vão até 30 de novembro.

O pelo curso será ministrado em espanhol de 10 de janeiro a 3 de fevereiro de 2011. Ele prevê analisar o papel da mídia como ferramenta de mudança social, por meio de estudos sobre teorias da comunicação e do jornalismo como ferramentas para mudar a opinião pública. As inscrições estarão abertas até o dia 30 de novembro.

Mais informações podem ser obtidas no site da Embaixada de Israel no Brasil.


Banco Carioca de Bolsas de Estudo abre 165 vagas

O Banco Carioca de Bolsas de Estudo está com inscrições abertas para o primeiro semestre de 2011. No total, serão oferecidas 165 bolsas integrais e parciais para alunos da educação infantil e dos ensinos fundamental, médio e superior.

As inscrições devem ser feitas das 8h às 17h em um dos centros de referência da Secretaria de Assistência Social do Rio de Janeiro. A lista com os endereços dos locais está disponível no site da Secretaria.

São oferecidas cinco bolsas para a Escola Padre Butinhá, na Praça Seca, na zona oeste do Rio; 122 para o Centro Educacional da Lagoa, nas filiais da Lagoa e Jardim Botânico e do Norte Shopping; e oito no Recanto Mãe Esperança.

As outras 30 vagas são para a Faculdade Moraes Júnior, no Centro do Rio de Janeiro.

Mais informações pelo telefone (21) 3973-3800.

Cursinho popular da USP abre inscrições para turmas do extensivo 2011

O Cursinho Popular abriu as inscrições para as turmas do extensivo 2011. O projeto é mantido pela Associação Cultural de Estudantes e Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e tem por objetivo colaborar com a entrada de estudantes nas universidades públicas.

Para se inscrever no Cursinho Popular é necessário comparecer à secretaria da USP com cópias do CPF, RG, comprovante de residência, duas fotos 3x4 e pagar a taxa de inscrição no valor de R$ 54. As vagas estão distribuídas nas turmas da manhã, tarde, noite e sábado, com número máximo de 50 alunos por classe. O início das aulas será em fevereiro e março de 2011.

O aluno matriculado terá que pagar uma taxa mensal, parcelas decrescentes que começam a partir de R$101 e terminam em R$ 59, que inclui material didático, participação em aulas extras, plantão de dúvidas e atividades culturais, entre outros benefícios.

Os estudantes que comprovarem não terem condições de arcar com a taxa mensal, podem se candidatar ao programa de bolsas de estudo. Mais informações sobre matrículas podem ser encontradas no site www.acepusp.org.br


Seminário debate audiência no ensino médio

Nos dias 25 e 26 de novembro, o Instituto Unibanco promoverá o Seminário Como Aumentar a Audiência no Ensino Médio?

O objetivo é identificar boas práticas que incentivam ingresso, permanência, sucesso e conclusão dos estudos, tanto no cenário nacional quanto no internacional.

Além da superintendente do Instituto Unibanco, Wanda Engel, participarão do Seminário Ricardo Paes de Barros, Claudio Moura Castro, Reynaldo Fernandes, Françoise Caillods, Chico Soares e Simon Schwartzman.

O evento ocorrerá no Hotel Caesar Business Faria Lima, Rua Olimpíadas, 205 - Vila Olímpia, São Paulo (SP).

Inscrições e transmissão simultânea pelo site www.audienciaem.com.br.

Seminário no RJ discute voluntariado empresarial

O Conselho Brasileiro de Voluntariado Empresarial (CBVE) promove, em 2 de dezembro, o seminário “2001 – 2011 – A Década do Voluntariado”, que vai discutir os avanços e os desafios do voluntariado empresarial no Brasil. O evento contará com a apresentação de uma pesquisa sobre o desenvolvimento brasileiro no setor.

Entre os palestrantes estão a superintendente do Instituto Unibanco, Wanda Engel, a presidente da Associação Brasileira de RH, Leyla Nascimento, o presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro, José Luiz Alquéres, e a dirigente da Rede Brasil Voluntário, Maria Elena Johannpeter.

Também estará presente Syreeta N. Skelton, diretora da Points Of Light Institute, uma das maiores organizações de voluntariado do mundo, que reúne mais de 10 milhões de voluntários.

As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas pelo e-mail comunica@riovoluntario.org.br. Elas seguem até o preenchimento das vagas. O Seminário acontece na Associação Comercial do Rio de Janeiro (Rua da Candelária, 9, Rio de Janeiro), das 15h às 19h.

Mais informações pelo telefone (21) 2262-1110.

Unesp oferece curso gratuito de difusão científica para alunos e professores da educação básica

O Instituto de Biociências (IB) da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Botucatu (SP), oferece para professores do ensino básico e alunos do ensino médio o curso “Unesp Difundindo e Popularizando a Ciência”.

O curso – ministrado durante as férias escolares de janeiro – oferece aulas gratuitas com o objetivo de promover a popularização da ciência por meio da difusão de avanços recentes em biologia, ciências e tecnologias.

O projeto, realizado desde 2007, pretende promover a atualização em conteúdos específicos da grade curricular e em recentes avanços de ciências, por meio de atividades que desenvolvam a curiosidade e a criatividade.

As aulas ocorrerão de 24 a 29 de janeiro de 2011, das 8h30 às 17h30. A Unesp oferecerá auxílio para alimentação e transporte aos participantes.

Haverá uma seleção que privilegiará alunos de escolas públicas e levará em conta o interesse demonstrado pelos temas das aulas.

Os interessados devem preencher um formulário disponível no site do projeto e enviá-lo para o e-mail awasko@ibb.unesp.br. Também é possível se inscrever pessoalmente, no Departamento de Genética do IB.

Mais informações e inscrição: www.ibb.unesp.br/extensao

Senac SP oferece 2 mil bolsas de estudo em cursos técnicos

A partir de 1º de novembro de 2010, o Senac São Paulo abre inscrições para bolsas de estudo em cursos técnicos que terão início no próximo semestre letivo. São mais de duas mil vagas em todo o estado. Na capital paulista, serão oferecidas 732 vagas.

O prazo para inscrições varia de acordo com o curso. Para participar, os candidatos precisam ter renda familiar de até um salário mínimo e meio por pessoa, não ser aluno ou estar participando de outros processos de triagem de bolsas do Senac São Paulo.

As inscrições podem ser realizadas pelo site www.sp.senac.br/bolsasdeestudo. Pessoalmente nas unidades as inscrições começam a partir de 3 de novembro de 2010.

Oficinas de artes e música são oferecidas em São Bernardo do Campo (SP)

A Prefeitura de São Bernardo do Campo, em São Paulo, está com as inscrições abertas para o preenchimento de 100 vagas para oficinas gratuitas oferecidas pela Usina Socioeducativa, da Fundação Criança. Os cursos disponíveis, voltados aos jovens com idade entre 12 e 21 anos, são linguagem cinematográfica, flauta doce, violino, viola de arco, violoncelo, viola da gamba, desenho animado, sonoplastia, mixagem e gravação (estúdio de som), fotografia, grafite e fanzine.

As oficinas são divididas em módulos I e II (iniciante e avançado), com duração de seis meses cada, que são compostos por aulas teóricas, práticas e aulas de campo com visita a espaços públicos e eventos culturais.

As oficinas dos quatro tipos viola de gamba, juntamente com violoncelo, violino, viola de corda e flauta doce, integram um projeto de música barroca com a formação de uma Orquestra de Câmara da Usina.

As inscrições estão abertas até 20 de dezembro de 2010 e devem ser feitas na própria Usina Socioeducativa, na Rua Santa Filomena, 802, Centro, no horário das 8h às 17h30. Os interessados devem ser estudantes ou já ter concluído o ensino médio (no caso de maiores de 18 anos); ser morador de São Bernardo e apresentar, no ato da inscrição, RG, certidão de nascimento e comprovante de residência. Menores de idade devem levar autorização dos pais ou responsável. Mais informações pelo telefone (11) 4121-7513.
retirado do site:http://aprendiz.uol.com.br/content/vinewrospo.mmp

Aluno envolvido em vazamento de texto do Enem 2010 está desclassificado

Amanda Cieglinski
Da Agência Brasil
Em Brasília
Apesar de a PF (Polícia Federal) ter concluído que houve um vazamento parcial do tema da redação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), em Remanso (BA), o Ministério da Educação (MEC) descarta a possibilidade de anular as provas. Uma professora responsável pela aplicação em um dos locais de prova da cidade teve acesso a um dos textos de apoio da redação e informou o conteúdo ao filho, inscrito no exame. Ela e o marido, também envolvido na fraude, foram indiciados por quebra de sigilo funcional.
De acordo com o MEC, o filho do casal será desclassificado. A PF na Bahia iniciou a investigação após a denúncia de um professor de cursinho de Petrolina (PE), cidade vizinha a Juazeiro. Segundo ele, o aluno o procurou horas antes do Enem perguntando o que deveria escrever se o tema fosse sobre trabalho escravo.

De acordo com o MEC, o sigilo da redação foi mantido uma vez que a mãe do aluno repassou o título de um dos textos de apoio que era "O Que É Trabalho Escravo" e não o tema da redação – "O Trabalho na Construção da Dignidade Humana".
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/11/24/aluno-envolvido-em-vazamento-de-texto-do-enem-2010-esta-desclassificado.jhtm

Vazamento mostra que problemas no Enem não são pontuais, diz procurador

Ana Okada
Em São Paulo
O vazamento de parte do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) prova que os problemas do exame não são pontuais, diz o procurador Oscar Costa Filho, do MPF/CE (Ministério Público Federal) no Ceará. Ele é o responsável pela ação civil que pede a anulação do exame. "[A comprovação do vazamento] será mais um elemento de convicção ao lado de outros que estão sendo apontados", observa.

Costa defende que todos os candidatos prejudicados no exame possam fazê-lo novamente, pois, segundo o procurador, o ministério não tem como identificar todos esses estudantes. "O que eles estão fazendo [reaplicação do Enem para prejudicados] não atende aos problemas dos alunos", diz. Uma ação em favor desses candidatos está sendo preparada pelo MPF e deve ingressar na Justiça Federal "o quanto mais cedo", conta.

Segundo o procurador, o MPF está preparando um recurso para garantir o direito de refazer a prova a todos os estudantes. "Continuamos lutando por isso. O procedimento que está aí é absolutamente ilegal, porque eles não dão o menor direito de defesa para o candidato; cerceiam seu direito; e violam a isonomia [do concurso], porque escolhem poucos para serem candidatos", explica.

O MPF do Rio de Janeiro também deve ajuizar ação civil pública para pedir a indenização de um salário mínimo por candidato que tenha se sentido prejudicado no exame. Segundo o defensor André Ordacgy, do Rio, o objetivo da ação é fazer o MEC "repensar" o exame.

A Polícia Federal encerrou nesta terça (23) as investigações sobre um suposto vazamento do tema da redação em Juazeiro (BA). De acordo com a PF, uma aplicadora da cidade de Remanso (BA) teve acesso ao título do texto motivador da redação cerca de duas horas antes do início das provas. Ela, então, avisou ao marido, que pesquisou sobre o tema na internet e avisou para o filho, em Petrolina (PE). O aluno procurou professores da região para pedir dicas sobre como escrever o tema “trabalho e escravidão”.
Problemas com o exame

O Enem 2010 está sendo marcado por disputas judiciais. A Justiça suspendeu o Enem 2010. No dia 8 de novembro, a juíza Karla de Almeida Miranda Maia, da 7ª Vara Federal do Ceará, acatou argumento do MPF (Ministério Público Federal) e determinou a imediata suspensão do Enem 2010 em todo o Brasil. A Justiça entendeu que o erro de impressão das provas levou prejuízo aos candidatos.

Estudantes identificaram problemas nos cadernos de provas e nos gabaritos do Enem, que foi aplicado nos dias 6 e 7 de novembro. Nos cadernos amarelos, havia questões repetidas e faltantes. Já nas folhas de resposta, os cabeçalhos dos testes de ciências da natureza e ciências humanas vieram trocados.

Depois da suspensão em 1ª instância, o MEC e o Inep questionaram a amplitude da decisão, ao que a juíza esclareceu que todo o processo deveria ficar suspenso. Isso incluía a divulgação do gabarito no final da terça-feira e a abertura de sistema de reclamação sobre o preenchimento dos gabaritos, previsto para a quarta (10).

Mesmo com essa decisão, o procurador da República no Ceará, Oscar Costa Filho, pediu a anulação do Enem. "A prova tem que ser nula, independentemente de qualquer coisa", afirmou o procurador, que defende uma apuração criteriosa das responsabilidades pelas falhas.

A DPU (Defensoria Pública da União) do Ceará se juntou ao MPF (Ministério Público Federal) do Estado no pedido de anulação do Enem.

No dia 11 de novembro a AGU protocolou o recurso contra a suspensão do Enem. Na sexta-feira (12), o TRF da 5ª Região cassou a liminar que suspendia o Enem. A decisão foi tomada pelo desembargador Faria.

Na quarta-feira (17), houve nova decisão da Justiça Federal no Ceará autorizando nova prova do Enem a todos que se sentissem prejudicados. A liminar foi derrubada no dia seguinte pelo TRF-5 (Tribunal Regional Federal da 5ª Região, em Recife).
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/11/24/vazamento-mostra-que-problemas-no-enem-nao-sao-pontuais-diz-procurador.jhtm

Após PF ter confirmado vazamento de parte do tema da redação, MEC diz que não vai cancelar Enem 2010

Rafael Targino
Em São Paulo
O Ministério da Educação informou, na madrugada desta quarta-feira (24), que não vai cancelar a prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2010, por considerar que não houve vazamento do exame em si, mas somente do texto motivador da redação.

A Polícia Federal encerrou nesta terça (23) as investigações sobre um suposto vazamento do tema da redação em Juazeiro (BA). De acordo com a PF, uma aplicadora da cidade de Remanso (BA) teve acesso ao título do texto motivador da redação cerca de duas horas antes do início das provas. Ela, então, avisou ao marido, que pesquisou sobre o tema na internet e avisou para o filho, em Petrolina (PE). O aluno procurou professores da região para pedir dicas sobre como escrever o tema “trabalho e escravidão”.

Segundo nota do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), divulgada nesta madrugada, o estudante deverá ser eliminado do Enem. O órgão diz que o tema da redação é elaborado de tal forma que “um simples olhar não consegue identificá-lo”.

Leia a nota do Inep na íntegra

“Segundo informações da Polícia Federal, o caso apurado em Juazeiro, no estado na Bahia, está circunscrito a um estudante e o procedimento administrativo padrão é a eliminação do candidato no exame.

O Inep informa que o sigilo do tema da redação foi mantido, uma vez que a professora indiciada pela PF repassou o título de um dos textos motivadores - "O Que é o Trabalho Escravo". O tema da prova era "O Trabalho na Construção da Dignidade Humana".

Isso não ocorreu por acaso. A elaboração do tema da redação é feita de tal forma que um simples olhar sobre o caderno de questões não é suficiente para identificá-lo, É preciso uma leitura atenta e acurada.

Assessoria de Comunicação do Inep”
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/11/24/apos-pf-ter-confirmado-vazamento-de-parte-do-tema-da-redacao-mec-diz-que-nao-vai-cancelar-enem-2010.jhtm

Gabaritos do Enade 2010 já podem ser consultados; confira

Da Redação
Em São Paulo
Já é possível consultar os gabaritos do Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes) 2010; confira aqui. O exame foi aplicado neste domingo (21). Mais de 650 mil se inscreveram para a prova. O índice de abstenção ainda deve ser divulgado pelo Inep (Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais).

Segundo o Inep, do total de alunos, 422.896 são de um dos 19 cursos avaliados neste ano. Deles, 261.745 são ingressantes e 161.151, concluintes. O Estado com o maior número de inscritos é São Paulo, com 90.796 alunos.
Como funciona o exame
O Enade é aplicado para os estudantes que estão entrando e saindo de cursos de graduação. No bacharelado, são considerados do primeiro ano aqueles que, até o dia 2 de agosto, tiverem concluído entre 7% e 22% da carga horária mínima do currículo do curso. Já estudantes considerados do último ano são aqueles que, até 2 de agosto, tiverem concluído pelo menos 80% da carga horária mínima do currículo ou que tenham condições acadêmicas para conclusão do curso em 2010.

As provas tiveram dez questões de avaliação da formação geral, comum aos cursos de todas as áreas, e 30 questões específicas para cada área. Nas duas partes, as questões foram discursivas e de múltipla escolha, envolvendo situações-problema e estudos de caso.

Cursos avaliados
Em 2010, foram avaliados os seguintes bacharelados e licenciaturas:

* Agronomia;
* Biomedicina;
* Educação física;
* Enfermagem;
* Farmácia;
* Fisioterapia;
* Fonoaudiologia;
* Medicina;
* Medicina veterinária;
* Nutrição;
* Odontologia;
* Serviço social;
* Terapia ocupacional;
* Zootecnia;

Cursos tecnológicos avaliados:

* Agroindústria;
* Agronegócios;
* Gestão hospitalar;
* Gestão ambiental;
* Radiologia

Outras informações podem ser obtidas no site do Inep.
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/11/23/gabaritos-do-enade-2010-ja-podem-ser-consultados-confira.jhtm

PF indicia duas pessoas pelo vazamento de parte do Enem em Juazeiro

Da Redação
Em São Paulo
A PF (Polícia Federal) da Bahia indiciou duas pessoas por violação de sigilo de um dos textos de apoio do tema de redação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) em Juazeiro na terça-feira (23). A pena para o crime pode chegar a seis anos de reclusão.

Segundo nota da PF, uma professora municipal da cidade de Remanso-BA, aplicadora da prova no Colégio Ruy Barbosa, na mesma cidade, teve acesso ao título de um texto motivador da redação durante abertura do caderno de provas ampliado cerca de duas horas antes do início das provas para candidatos deficientes visuais.

Em depoimento de confissão, a professora afirmou que depois de folhear rapidamente o caderno, ela ligou do telefone da escola para a casa de sua sogra e falou com o marido repassando-lhe o tema que havia visto: “O Trabalho e Escravidão”. No entanto, este era um título de um texto motivador da redação, já que o tema efetivo da prova era “O Trabalho na Construção da Dignidade Humana”.

Após receber a informação, o marido da aplicadora pesquisou sobre o tema informado na internet e ligou para o filho, em Petrolina-PE, contando sobre o vazamento, mas sem especificar a fonte da informação. O estudante, por sua vez, seguiu consultando seus professores de redação a respeito de como escrever sobre “Trabalho e Escravidão.

A história foi denunciada por um professor de um curso preparatório de Petrolina (PE), cidade vizinha a Juazeiro, a uma emissora de TV da região. Segundo ele, um grupo de estudantes o procurou horas antes do início das provas contando que sabiam qual era o tema da redação.

O tema da redação já havia sido alvo de polêmica quando um repórter do Sistema Jornal do Commercio de comunicação conseguiu transmiitir o tema da dissertação por meio de um torpedo para a redação. Na ocasião, o MEC se pronunciou dizendo que a atitude não caracterizava vazamento da proposta uma vez que não houve recebimento de informações pelo celular.
Prova está mantida

O Ministério da Educação informou, na madrugada desta quarta-feira (24), que não vai cancelar a prova do Enem, por considerar que não houve vazamento do exame em si, mas somente do texto motivador da redação.
Problemas do Enem 2010

O Enem 2010 foi marcado por uma série de erros na prova: os cabeçalhos das folhas de respostas estavam trocados e havia cadernos amarelos com questões repetidas ou faltantes. Para solucionar o primeiro caso, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) abriu a possibilidade de o estudante solicitar a correção invertida do gabarito, caso fosse necessário. O prazo se encerrou no dia 19 de novembro.

Com os problemas, veio a batalha judicial entre o MEC e o MPF (Ministério Público Federal) no Ceará. A Justiça chegou a suspender o Enem 2010. No dia 8 de novembro, a juíza Karla de Almeida Miranda Maia, da 7ª Vara Federal do Ceará, acatou argumento do MPF e determinou a imediata suspensão do Enem 2010 em todo o Brasil. Houve o entendimento que o erro de impressão das provas levou prejuízo aos candidatos.

Mesmo com essa decisão, o procurador da República no Ceará, Oscar Costa Filho, pediu a anulação do Enem. "A prova tem que ser nula, independentemente de qualquer coisa", afirmou o procurador, que defende uma apuração criteriosa das responsabilidades pelas falhas.

A DPU (Defensoria Pública da União) do Ceará se juntou ao MPF (Ministério Público Federal) do Estado no pedido de anulação do Enem.

No dia 11 de novembro, a AGU protocolou o recurso contra a suspensão do Enem. Na sexta-feira (12), o TRF da 5ª Região cassou a liminar que suspendia o Enem.

Na quarta-feira (17), houve nova decisão da Justiça Federal no Ceará autorizando nova prova do Enem a todos que se sentissem prejudicados. A liminar foi derrubada no dia seguinte pelo TRF-5 (Tribunal Regional Federal da 5ª Região, em Recife).

A Defensoria Pública da União no Rio de Janeiro anunciou que vai ajuizar uma ação civil pública para pedir indenização de um salário mínimo para cada um dos estudantes que foram prejudicados com as falhas no Enem. A intenção do defensor público federal no Rio de Janeiro, André Ordacgy, é protocolar o pedido na semana que vem.
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/11/24/pf-confirma-vazamento-da-prova-do-enem-em-juazeiro.jhtm

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Universitários pobres sofrem com dificuldades financeiras e pedagógicas durante o curso

Da Redação*
Em São Paulo
Uma pesquisa feita no Instituto de Psicologia da USP (Universidade de São Paulo) mostra que estudantes pobres que conseguem entrar no ensino universitário têm dificuldades financeiras e pedagógicas de se manterem no curso, mesmo recebendo bolsa de estudos.

De acordo com Jaqueline Kalmus, a autora do trabalho, os estudantes sentem que o que eles aprenderam nos estágios anteriores de ensino não é suficiente para integrá-los à universidade. Além disso, afirma, o conhecimento deles é geralmente desvalorizado. Parte dos alunos, diz Jaqueline, os alunos sentiam muita dificuldade para acompanhar o curso.

O estudo partiu da análise da legislação sobre educação e de entrevistas com três alunos pobres que faziam cursos de licenciatura em faculdades privadas da região metropolitana de São Paulo. Mesmo recebendo bolsa de estudos, eles precisavam trabalhar durante o dia.

Segundo a pesquisadora, eles tinham medo de perder a bolsa, que era vista como um “privilégio”. Além disso, segundo a pesquisadora, estar no ensino superior, para eles, era uma forma de serem respeitados pela sociedade.

A pesquisa foi apresentada em maio deste ano, na USP.

* Com informações da Agência USP
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/11/23/universitarios-pobres-sofrem-com-dificuldades-financeiras-e-pedagogicas-durante-o-curso.jhtm

Professores da USP criam graduação paga

FÁBIO TAKAHASHI
DE SÃO PAULO
Fundação dirigida por docentes ligados a curso público de administração vai cobrar R$ 2.200 mensais em nova turma

Sindicalista vê conflito ético; representante de entidade afirma que iniciativa fortalece universidade pública
Criada por professores da USP (Universidade de São Paulo) para dar apoio à instituição, a FIA (Fundação Instituto de Administração) oferecerá a partir de 2011 um curso particular de graduação em administração, com mensalidade de R$ 2.200.
A novidade é criticada. Há o temor de que haja prejuízo ao curso público da USP, pois a maioria dos dirigentes e parte dos professores da FIA são da FEA (Faculdade de Economia e Administração), da universidade.
"Já há pouco comprometimento de alguns docentes com a nossa graduação. Há muitas faltas. Pode piorar, porque alguns deles também estão hoje na FIA", afirma Maíra Madrid, diretora do centro acadêmico da FEA.
O presidente do sindicato dos docentes da universidade, João Zanetic, sustenta que há um conflito de interesses na criação da faculdade privada.
"Por que os dirigentes da FIA que criaram curso que poderá ser até melhor do que o da FEA não fizeram o mesmo pela USP? A FIA fez nome em cima da USP. Agora ela cria um curso concorrente.
Há um problema ético", afirma Zanetic.

EXPERIÊNCIA
O diretor acadêmico da FIA, James Wright -que também é docente da USP- discorda das críticas. Para ele, a relação entre as instituições é benéfica à USP.
Segundo Wright, a maioria dos docentes mais bem avaliados da FEA nos processos internos da USP atuam também na FIA. "Professores adquirem experiência em empresas e depois repassam aos alunos." Ele diz que o próprio curso da FIA ajudará o da FEA. "O processo de gestão poderá ser usado na USP."

POLÊMICA
A fundação foi criada em 1980 para agilizar pesquisas e prestação de serviços feitas por docentes da FEA. Possuía até USP em seu nome. Depois, ganhou espaço com cursos de pós-graduação e extensão, todos pagos.
Parte dos recursos eram -e ainda são- revertidos para a faculdade da USP. Para o sindicato dos docentes, a fundação usava a marca e a estrutura da USP para atrair recursos. Depois dessa polêmica, em meados da década, a FIA decidiu retirar a USP do seu nome.
retirado do site:http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff2311201016.htm

Plataforma Freire recebe até dia 30 inscrições para cursos

Portal do MEC
Está aberto até o próximo dia 30 o período de pré-inscrições na Plataforma Freire, para formação inicial de professores que atuam na educação básica pública de todo o país. Para o primeiro semestre de 2011, serão oferecidas 40 mil vagas em cursos de licenciatura presenciais e 7 mil em cursos a distância, em instituições públicas (federais e estaduais) e comunitárias sem fins lucrativos.

Será permitida apenas uma pré-inscrição em curso de formação inicial e o professor deverá estar cadastrado no Educacenso 2009 e na Plataforma Freire. De 1º de dezembro de 2010 até 7 de janeiro de 2011, as secretarias estaduais e municipais de educação validarão as pré-inscrições. Em seguida, enviarão as listas dos professores escolhidos às instituições de educação superior de cada estado.

Até setembro deste ano, 46 mil professores se matricularam pelo sistema, contando a oferta dos três últimos semestres. O total de recursos de custeio repassados às instituições de educação superior participantes do sistema, em 2009 e até outubro de 2010, foi de R$ 37 milhões.

A Plataforma Freire faz parte do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor), gerido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), em parceria com as secretarias de educação dos estados e dos municípios e as instituições públicas de ensino superior. O objetivo é melhorar a formação dos docentes em exercício na rede pública, o que influencia na qualidade do ensino que as crianças e os jovens recebem nas escolas.

Participam do Parfor 141 instituições de educação superior, de 25 estados, que oferecem cursos de licenciatura presenciais e a distância – estes, pela Universidade Aberta do Brasil (UAB).

Assessoria de Comunicação Social
Palavras-chave: Educação básica, Plataforma Freire, Formação do professor

Provinha Brasil é distribuída;aplicação não é obrigatória

Portal do MEC
Cerca de 3,4 milhões de estudantes das redes públicas que cursam o segundo ano (alfabetização) do ensino fundamental poderão fazer no final deste semestre a Provinha Brasil. A aplicação dos testes é opcional, mas todas as escolas que registraram, no censo escolar de 2009, matrículas no segundo ano do ensino fundamental receberão a provinha impressa.

Até o dia 17 deste mês, 90% das provas foram postadas nos correios, segundo informações da Secretaria de Educação Básica (SEB) do MEC. Os primeiros pacotes foram expedidos para as escolas das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. As últimas remessas seguem para as regiões Sudeste e Sul. A SEB orienta as escolas que ainda não receberam o conjunto da provinha a verificar nos correios e na secretaria municipal de educação. Cabe à secretaria de educação distribuir os pacotes para as escolas.

O conjunto da provinha é composto da prova dos alunos, um caderno que orienta a aplicação dos testes e um guia de correção para o professor de turma do segundo ano, além de orientações para os coordenadores pedagógicos das redes públicas.

Disponível para as redes públicas desde 2008, a Provinha Brasil tem 24 questões de múltipla escolha sobre a língua portuguesa. Além de ser opcional, é aplicada pelo professor em sua turma. A correção e análise dos resultados também são tarefas do professor, mas podem ter a participação de outros educadores, da coordenação pedagógica, da direção da escola, segundo orientações da Secretaria de Educação Básica do MEC.

Com a provinha, o aprendizado dos alunos é medido no início e no final do ano letivo. A avaliação do segundo semestre, por exemplo, oferece informações ao professor e à escola sobre a evolução da criança no período. O objetivo é que aos oito anos de idade toda criança esteja alfabetizada.

Matemática – Em 2011, a avaliação do aprendizado das crianças do ciclo de alfabetização será ampliada com testes de matemática. A proposta da Secretaria de Educação Básica e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) é continuar com as duas edições da provinha de língua portuguesa no início e no final do ano e aplicar uma prova de matemática em agosto.

Ionice Lorenzoni
Palavras-chave: Educação básica, Provinha Brasil

Vencedores da olimpíada serão conhecidos nesta quinta-feira

Portal do MEC
Serão conhecidos na quinta-feira, 25, os 3,2 mil estudantes vencedores da sexta Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). A solenidade de divulgação dos ganhadores terá início às 10h, no Ministério de Ciência e Tecnologia, com a presença dos ministros da Educação, Fernando Haddad, e da Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende. As medalhas serão entregues no próximo ano.

A competição teve 500 medalhistas de ouro, 900 de prata e 1,8 mil de bronze, selecionados entre 19,6 milhões de alunos inscritos em todo o país. O conjunto de ganhadores será convidado a participar do Programa de Iniciação Científica Júnior (PIC-Obmep) do Ministério de Ciência e Tecnologia.

Na solenidade, também serão anunciados os estudantes que receberão menção honrosa. Eles obtiveram boa pontuação nas duas etapas da Obmep, mas não somaram pontos suficientes para a classificação entre os ganhadores de medalhas. Até 30 mil estudantes podem receber essa menção.

A Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, realizada desde 2005, é dirigida a estudantes da educação básica — nível um para alunos do sexto e do sétimo anos do ensino fundamental; nível dois, do oitavo e do nono anos do ensino fundamental; nível três, todas as séries do ensino médio.

Prêmios — Projeto de estímulo ao estudo da matemática, a olimpíada é voltada para escolas públicas, estudantes e professores de todo o país. Para estimular a participação, a Obmep produz e distribui material didático, oferece estágio aos professores premiados e participação de alunos no Programa de Iniciação Científica Júnior. Nesse programa, os ganhadores da competição estudam matemática por um ano com bolsa de estudos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A Obmep também prepara, a cada ano, cerca de 30 medalhistas de ouro para competições internacionais.

Promovida pelos dois ministérios, a Obmep é realizada pelo Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (Impa) e pela Sociedade Brasileira de Matemática (SBM). No conjunto, a Obmep de 2010 recebeu 19,6 milhões de inscrições de estudantes de 99,2% dos municípios do país.

Ionice Lorenzoni
Palavras-chave: matemática, olimpíada, Obmep

Estudantes prejudicados por erros farão novas provas em 15 de dezembro

Portal do MEC
O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) comunica que as novas provas de ciências humanas e ciências da natureza do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), dirigida aos alunos prejudicados por erros de impressão nas provas realizadas no dia 6 de novembro, serão realizadas no próximo dia 15 de dezembro, às 13 horas.

Informa ainda que segue o trabalho de análise das 116.626 atas dos locais de prova, com o objetivo de identificar os estudantes que, por algum motivo, não tenham substituído as provas com problemas de impressão. Foram identificados, até o momento, 2.817 estudantes, menos de 0,1% do total.

O Inep informa ainda que os alunos identificados serão comunicados pelos meios habituais (e-mail, sms e telefone). Também receberão um novo cartão de confirmação de inscrição com o local onde devem se apresentar.

Esses estudantes receberão declaração de comparecimento para justificar eventual ausência do ponto de trabalho após a prova.

As normas de segurança do edital do Enem-2010 são as mesmas para a realização desta nova prova, ou seja, os alunos devem se apresentar com uma hora de antecedência no local da prova, portando o novo cartão de inscrição (que estará disponível no portal do Inep) e um documento de identidade com foto, além de caneta esferográfica preta.

Assessoria de Comunicação Social
Palavras-chave: Enem, Inep

A Importância da Administração de Cargos e Salários

A Administração de Cargos e salários é um dos pontos mais importantes para que se possa fazer gestão de recursos humanos é preciso elaborar ...