sexta-feira, 1 de outubro de 2010

MEC ainda não recebeu dinheiro que havia pago ao consórcio em 2009

Amanda Cieglinski
Da Agência Brasil
Em Brasília
transtornos que o roubo da prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2009 causou aos estudantes há exatamente um ano, o caso também trouxe prejuízo financeiro aos cofres públicos. O Ministério da Educação (MEC) já tinha pago ao consórcio responsável pela realização do exame, o Connasel, cerca de R$ 38 milhões para o custeio da impressão das provas – 30% do total do contrato de R$ 116 milhões. Esse dinheiro ainda não foi devolvido.

De acordo com o MEC (Ministério da Educação), está instaurado um “processo administrativo de cobrança” para negociar a devolução dos recursos com as empresas que formam o consórcio. Como o contrato foi rompido de comum acordo logo após roubo da prova, a negociação está sendo feita, inicialmente, diretamente entre as partes. Caso não haja acordo, o processo pode ir para a Justiça.

A prova do Enem de 2009 foi roubada da gráfica que imprimia o material no dia 1° de outubro do ano passado, causando o adiamento do exame. Segundo as investigações, o furto foi feito por funcionários do Connasel, contratados para trabalhar na impressão, que tentaram vender a prova ao jornal O Estado de S.Paulo. A Polícia Federal indiciou três funcionários e outras duas pessoas que teriam participado da negociação da venda do exame.

Como a prova estava inicialmente marcada para os dias 3 e 4 de outubro e teve que ser adiada para o primeiro fim de semana de novembro, o MEC se comprometeu a devolver aos estudantes que não pudessem ou não quisessem mais participar do exame o valor que havia sido pago na inscrição. Mas, segundo o ministério, houve impedimentos jurídicos para ressarcir os candidatos, já que o edital previa a devolução apenas em caso de cancelamento do exame. A taxa de inscrição é de R$ 35, mas alunos de escolas públicas são isentos. O MEC não divulgou quantos pedidos de ressarcimento foram recebidos.
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/10/01/mec-ainda-nao-recebeu-dinheiro-que-havia-pago-ao-consorcio-em-2009.jhtm

Um ano depois, nenhum dos acusados de roubo do Enem foi preso ou julgado

Amanda Cieglinski e Daniella Jinkings
Da Agência Brasil
Em Brasília


Há exatamente um ano, a notícia de que a prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) tinha sido roubada pegou de surpresa 4 milhões de estudantes e o próprio MEC (Ministério da Educação). A avaliação teve que ser adiada e refeita dois meses depois, registrando um índice recorde de abstenção. Um ano depois, nenhum dos envolvidos no caso foi preso ou julgado e o ministério teve de mudar os processos de elaboração e aplicação da prova.

As provas foram roubadas de dentro da Gráfica Plural, onde o material era impresso por funcionários do próprio consórcio que ganhou a licitação para aplicar o exame, o Connasel. Eles tentaram vender o exame ao jornal O Estado de S.Paulo, que denunciou o caso ao MEC.

A Polícia Federal ficou responsável pelas investigações e indiciou Felipe Pradella, Felipe Ribeiro e Marcelo Sena, empregados do consórcio, por quebra de sigilo funcional e peculato. Além deles, também foram indiciados o empresário Luciano Rodrigues e o DJ Gregory Camillo de Oliveira Craid, que participaram das negociações. O caso segue em segredo na Justiça Federal de São Paulo, que por enquanto ouviu apenas testemunhas.

Depois do caso, o Enem passou por reformulações. O MEC conseguiu a dispensa de licitação para contratar a empresa que fará a aplicação do Enem 2010, marcado para os dias 5 e 6 de novembro. O MEC alegava que a licitação impedia a escolha de uma empresa que pudesse garantir a segurança necessária para o exame, já que desde 2009 ele substitui o vestibular de várias universidades públicas do país.

Sem a licitação, o MEC tem mais controle sobre cada etapa. Contratou neste ano o consórcio Cespe/Cesgranrio, que havia sido responsável por todas as edições do exame até 2008. Eles serão responsáveis por aplicar e corrigir o Enem. A distribuição das provas será feita pelos Correios, assim como ocorreu no ano passado depois que a prova teve que ser refeita. As Forças Armadas e as polícias de cada estado vão cuidar da segurança do transporte do material até os locais de prova.

Apenas a escolha da gráfica passou por licitação. A Plural tentou, mais uma vez, participar do processo, mas foi desclassificada pelo MEC e excluída do processo depois de uma disputa na Justiça. A escolhida foi a RR Donelley, que imprimiu a segunda versão do exame em 2009. O edital de contratação da gráfica para o Enem de 2010 incluiu mais de 50 pré-requisitos de segurança, entre eles manter um vigilante a cada 100 metros, câmeras com monitoramento em tempo real de cada funcionário e uso de uniforme especial sem bolsos ou compartimentos que permitam ocultar objetos.

Além do adiamento da prova, houve erro na divulgação dos gabaritos e dificuldade dos estudantes em acessar o Sisu (Sistema de Seleção Unificada), por meio do qual eram disponibilizadas as vagas das instituições de ensino que aderiram ao Enem. Apesar dos problemas do ano passado, o exame teve recorde de inscritos em 2010: 4,6 milhões.

Levantamento preliminar feito pelo MEC aponta que 59 universidades federais vão utilizar a nota do Enem 2010 em seus processos seletivos. Em 36 instituições ele será a única forma de seleção em substituição ao vestibular tradicional, seja para todos os cursos ou para parte das vagas.
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/10/01/um-ano-depois-nenhum-dos-acusados-de-roubo-do-enem-foi-preso-ou-julgado.jhtm

Inscrição para o Vestibulinho das Etecs começa hoje

As inscrições para o Vestibulinho das Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) para o 1º semestre de 2011 estarão abertas entre 1º e 22 de outubro. O exame será no dia 21de novembro.

O processo seletivo vai oferecer 65.919 vagas para o Ensino Técnico, um crescimento de 4.991 vagas em relação ao 1º semestre de 2010 (60.928). Desse total, 56.308 são destinadas às 191 Etecs e às 34 classes descentralizadas (unidades que funcionam com um ou mais cursos em parceria com prefeituras ou empresas, sob a administração de uma Etec) – esse número inclui as 2.002 vagas oferecidas na modalidade semipresencial por meio do Telecurso TEC para as 51 turmas de 31 Etecs.

As 9.611 vagas restantes são para o convênio firmado entre o Centro Paula Souza, autarquia do Governo do Estado de São Paulo, responsável pelo ensino técnico e tecnológico, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo e a Prefeitura de São Paulo. Serão 8.236 vagas para cursos técnicos em salas de 106 escolas estaduais e 1.375 em 22 Centros Educacionais Unificados (CEUs) da Capital. As aulas serão noturnas, ministradas por professores das Etecs.

O próximo Vestibulinho vai oferecer também 19.193 vagas para o Ensino Médio nas Etecs. No ano passado foram 18.253 vagas.

Entre o Técnico e o Médio, serão oferecidas 85.112 vagas.

Novidades

* Cursos novos
Entre os 88 cursos técnicos que serão oferecidos no Vestibulinho para o primeiro semestre de 2011, 7 são inéditos:

Administração Integrado ao Ensino Médio - Etec Frei Arnaldo Maria de Itaporanga (Votuporanga), 35 vagas, Etec Prof. Camargo Aranha (Capital), 80 vagas, e Etec Profª Ermelinda Giannini Teixeira (Santana de Parnaíba), 40 vagas;
Celulose e Papel - Etec Conselheiro Antonio Prado (Campinas) e Etec de Ilha Solteira, ambas com 40 vagas à noite;
Dança Esportiva – Etec Amim Jundi, Osvaldo Cruz, 40 vagas, no período da noite;
Informática Integrado ao Ensino Médio - Etec Elias Nechar (Catanduva), 40 vagas, Etec João Baptista de Lima Figueiredo (Mococa), 36 vagas, Etec Jorge Street (São Caetano do Sul), 40 vagas, e Etec Polivalente de Americana, 40 vagas;
Informática para Internet Integrado ao Ensino Médio - Etec Dr. Carolino da Motta e Silva (Espírito Santo do Pinhal) e Etec Pedro Ferreira Alves (Mogi Mirim), ambas com 40 vagas;
Química Integrado ao Ensino Médio – Etec Júlio de Mesquita (Santo André), 40 vagas; e Serviço de Restaurante e Bar – Etec de São Roque, 40 vagas à noite.

* O curso técnico em Agente Comunitário de Saúde passa a ser oferecido no processo seletivo em 3 Etecs (Amim Jundi, de Osvaldo Cruz; Praia Grande; Prof. Mário Antônio Verza, de Palmital) e em uma classe descentralizada, extensão da Etec Jorge Street, de São Caetano do Sul. Todas com 40 vagas, à noite.

Inscrições

Para concorrer a uma das vagas do Vestibulinho para o Ensino Médio, o candidato dever ter concluído o Ensino Fundamental nas modalidades regular, Educação de Jovens e Adultos – EJA ou o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos - Encceja. Os que pretendem fazer o Ensino Técnico, precisam ter concluído ou estar cursando a partir do 2º ano do Ensino Médio. O candidato que concluiu ou está cursando o ensino de Educação de Jovens e Adultos – EJA ou o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos – Encceja deve ter o certificado de conclusão do Ensino Médio, declaração que está matriculado a partir do 2º semestre da EJA, ou ter dois certificados de aprovação em áreas de estudos da EJA ou boletim de aprovação do Encceja em duas áreas de estudos avaliadas.

As inscrições, exclusivamente pelo site www.vestibulinhoetec.com.br, vão de 1º a 22 de outubro – no último dia, o prazo termina às 15 horas. Para efetivar a inscrição é preciso imprimir o boleto bancário e pagar a taxa de R$ 25, em dinheiro, em qualquer agência bancária.
O Manual do Candidato também estará disponível para download no site do Vestibulinho.

Inclusão social

O Sistema de Pontuação Acrescida concede bônus de 3% a estudantes afrodescendentes e de 10% a oriundos da rede pública. Caso o aluno se enquadre nas duas situações, obtém 13% de bônus.

Para ter direito ao bônus, os candidatos afrodescentendes e/ou oriundos da rede pública devem fazer a autodeclaração no ato da inscrição.

O candidato também deve informar, no momento da inscrição, se cursou integralmente da 5ª a 8ª série ou do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental, em instituição pública municipal, estadual ou federal. A comprovação deve ser feita no ato da matrícula, por meio do histórico escolar do Ensino Fundamental ou a declaração escolar, discriminada série a série.

É imprescindível que o candidato se certifique se realmente tem direito à pontuação acrescida, pois a matrícula não poderá ser realizada e a vaga será perdida caso as informações não atendam às condições estabelecidas em sua totalidade.

Outras informações pelos telefones (11) 3471-4071 (Capital e Grande São Paulo) e 0800-772 2829 (demais localidades) e pelo site www.vestibulinhoetec.com.br.
retirado do site:http://www.centropaulasouza.sp.gov.br/Noticias/2010/outubro/01_inscricao-para-o-vestibulinho-das-etecs-comeca-hoje.asp

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Comunidade acadêmica da UFCG conhece o Portal de Periódicos

30.09.10 - Treinamentos

No próximo dia 06 de outubro, a comunidade acadêmica da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) recebe capacitação no uso do Portal de Periódicos. Duas turmas de 50 alunos poderão conhecer mais sobre a ferramenta de pesquisa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O treinamento acontece no Laboratório de Apoio à Graduação do Centro de Humanidades da UFCG, em Campina Grande, Paraíba.

Podem participar do treinamento os bibliotecários, técnicos, professores e alunos de graduação e pós-graduação. A expectativa é que o evento atraia usuários do Portal de Periódicos dos demais campi da Universidade Federal de Campina Grande, localizados no interior do estado. Cada capacitação terá a duração de quatro horas.

Durante a capacitação será feita uma apresentação do Portal de Periódicos e dos recursos de pesquisa que estão disponíveis à comunidade acadêmica. Um dos destaques é a ferramenta de Busca Integrada no acervo, que permite consultar várias bases de dados a partir de um único termo de busca. “O treinamento vai reduzir as dificuldades dos professores no uso do Portal de Periódicos. Será uma grande contribuição no sentido de facilitar o uso dessas informações”, explica o professor José Luiz Ferreira, da Coordenação da Extensão da UFCG, responsável pelo treinamento na instituição.

As inscrições para o evento são gratuitas e podem ser solicitadas no endereço. Para fazer a inscrição é preciso ser um usuário identificado no Portal de Periódicos. Ao final do evento, os participantes podem retirar, pela internet, um certificado, emitido pela Capes.

Serviço:

Treinamento no uso do Portal de Periódicos - Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)

Local: Laboratório de Apoio à Graduação do Centro de Humanidades da UFCG, em Campina Grande, Paraíba.

Número de participantes: 2 turmas de 50 participantes

Horário: 8h-12h e 14-18h

Fonte:Portal de Periódicos

O que é ensinado na educação infantil? Saiba mais

Ana Okada
Em São Paulo
Vista muitas vezes como uma etapa menor do ensino, a educação infantil é definida como a "base" do estudante, dizem especialistas. "É o momento mais importante da educação, porque você trabalha a estruturação da criança. Se ela está bem estruturada, ela enfrenta a adversidade de uma forma muito melhor", defende Fátima Guerra, PhD em educação infantil e professora da UnB (Universidade de Brasília).

E o que essa educação abrange? De maneira lúdica, crianças de 0 a 5 anos de idade aprendem a se situar no espaço da escola e da sala de aula e desenvolvem a coordenação motora, a linguagem e a sociabilidade, além de entrarem em contato com conceitos de leitura, escrita, ciências, matemática e artes, dentre outros conteúdos.

Esses conceitos, porém, são dados de maneira diversa da que é feita nos ensinos fundamental e médio, uma vez que os pequenos ainda estão aprendendo a lidar com conhecimentos abstratos. "Isso é desenvolvido por meio de atividades que propiciam a descoberta", explica a pedagoga Maria Angela Barbato Carneiro, coordenadora do Núcleo de Pesquisas do Brincar, da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica) de São Paulo.

"Havia um preconceito de que a pré-escola não era escola. No entanto, como os pais deixam a criança cada vez mais cedo [na escola], agora são ensinados vários conceitos para esses alunos", explica a pedagoga Maria Angela.
Coordenação motora

Durante a educação infantil, o aluno desenvolve as coordenações motoras grossa e fina. Com a primeira, é possível localizar as diferentes partes do corpo, bem como situá-lo no espaço. Com isso, a criança aprende a controlar, por exemplo, a velocidade do andar e conceitos como "em cima/embaixo", "esquerda/direita" e "frente/trás".

A coordenação fina é desenvolvida quando a criança começa a trabalhar com materiais pequenos, tais como massinha e giz grosso. O aluno faz o "movimento de pinça" com as mãos e, com isso, chega ao uso do lápis.

A organização do espaço e do tempo também contribuem para esse aprendizado do controle do corpo. Com uma rotina que se repita todo dia, a criança consegue antecipar as coisas que vão acontecer e ganha mais confiança, até mesmo para propor atividades novas.
Letramento

O estudante do ensino infantil aprende conceitos de letramento, ou seja: ele toma contato com o universo da escrita e aprende, por exemplo, como são as letras e que a leitura se dá da esquerda para a direita e de cima para baixo. Ele pode até sair desta etapa lendo e escrevendo, apesar disso, no entanto, ser objetivo da alfabetização, que ocorre nos primeiro e no segundo anos do fundamental.

Para conhecer o mundo das letras, a criança deve ouvir e contar histórias, ver dramatizações e tomar contato com livros infantis. Além disso, ressalta a pedagoga Maria Angela, é preciso que as crianças possam se expressar livremente: "Ela deve brincar muito, dançar muito e poder se expressar de formas diferentes", diz.
Conteúdos

Conteúdos de ciências, matemática e artes, dentre outros, podem ser trabalhados com crianças, desde que sejam adaptados para sua idade e sejam dados de forma lúdica. Segundo Fátima Guerra, a ludicidade não deve ser uma brincadeira dada após as atividades, como "prêmio", mas é uma forma de expressão da criança. "Pelas brincadeiras e diálogos você vê muito como a criança está percebendo o mundo e que adultos estão ao redor dela", diz a professora.

Maria Angela explica a importância da brincadeira não dirigida, em que a criança pode criar suas regras e fazer descobertas por sua conta: "[esse tipo de brincadeira] é importante aprender com o próprio erro, porque com esse erro ela não sofre castigo, já na vida real ela teria um castigo; assim, através dessa experiência ela pode aprender com o erro e ele não vira só uma coisa frustrante", diz.
Participação dos pais

Os pais devem estar cientes das atividades que o filho tem na escola, de acordo com as especialistas. Segundo a professora Fátima, uma vez que não há separação entre o aluno na escola e a criança em casa, pais e o estabelecimento de ensino devem ter um relacionamento complementar. Apesar de haver escolas que não permitem aos pais entrarem no ambiente escolar, a pedagoga diz que é positivo que os pais participem da vida escolar e, até mesmo, das decisões pedagógicas.
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/09/30/o-que-e-ensinado-na-educacao-infantil-saiba-mais.jhtm

Fantasiar significa representar desejos reprimidos pela vida real, insinua livro

da Livraria da Folha
A fantasia é uma palavra que gera muitos significados, às vezes positivos, ora negativos. O sentido do termo esbarra no que a sociedade, em geral, compreende como uma "fuga da realidade". O conhecimento popular não falha nesta definição, mas aprofundar-se um pouco mais no entendimento de "o que é real" e "o que é fantasia" ultrapassa ingenuidades dos contos de fadas, e revela verdades a respeito de sentimentos reprimidos que influenciam diretamente estas questões.

"A fantasia representa, como o sonho, a realização de um desejo", explica o psicanalista Marco Antonio Coutinho Jorge, autor de "Fundamentos da Psicanálise de Freud a Lacan: A Clínica da Fantasia".

Com base em estudos e curiosos exemplos do campo das artes, o leitor é convidado a prestar mais atenção ao que acontece no mundo ao seu redor, e a detectar a linha tênue que define se alguém está "delirando" ou não.
Como afirma o texto, a fantasia parte de uma ideia relacionada à atividade da brincadeira infantil, a um prosseguimento dos sentimentos vividos na época. "Se a criança brinca ao lado de adultos sem qualquer constrangimento e no cerne de suas brincadeiras reside o desejo de ser grande, o adulto oculta as suas fantasias intensamente", escreve.

Com isso, o texto também resgata a concepção de que "uma pessoa feliz nunca fantasia, somente aquela insatisfeita". O pensamento elaborado por Freud diz respeito às realizações de desejos não consumados na vida real. Logo, a fantasia de desejo está ligada às proibições e traumas que uma pessoa sofre desde a infância.

O conceito da fantasia é abordado em outras diferentes situações, como na bissexualidade, amor, psicose e cultura. Neste volume, a pulsão de morte ganha destaque com as explicações a partir de peças de Shakespeare e filmes famosos, como o "O Exterminador do Futuro".

Marco Antonio Coutinho Jorge também á autor do primeiro livro da série, que destaca as bases conceituais das teorias freudianas, como o inconsciente, sintomas, sublimação e sexualidade. O próximo volume, "O Lugar do Analista", ainda não tem data de lançamento.
retirado do site:http://www1.folha.uol.com.br/folha/livrariadafolha/806632-fantasiar-significa-representar-desejos-reprimidos-pela-vida-real-insinua-livro.shtml

Estudante deve ser "protagonista" na educação infantil, defendem especialistas

Ana Okada
Em São Paulo
Na educação infantil, a criança toma contato pela primeira vez com o ambiente escolar e aprende como deve se portar neste novo lugar. Isso não significa, porém, que não possa expressar suas opiniões e questionar esse espaço.

De acordo com a pedagoga Maria Angela Barbato Carneiro, coordenadora do Núcleo de Pesquisas do Brincar, da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica) de São Paulo, deve haver um equilibrio entre a iniciativa do adulto e da criança na condução das atividades em sala de aula: "A criança deve ser a protagonista, não no sentido de fazer tudo o que quer, mas deve-se observar também quais são os interesses dela para que se possa atendê-los", diz.
A pedagoga Fátima Guerra, da UnB (Universidade de Brasília) explica que a organização da rotina e dos espaços dentro da sala de aula ajuda a criança a se localizar no tempo e no espaço. Assim, elas aprendem a lidar com a noção de tempo e isso lhes dá segurança, pois elas podem antecipar o que está para acontecer.

No entanto, se as crianças não tiverem uma abertura para que possam propor o que lhes interessa, elas não se sentirão estimuladas a criar, a questionar, a mudar o que está estabelecido. "[A criança] precisa ser construtora do espaço em que ela vive, ela deve ser coautora de seu desenvolvimento e de sua aprendizagem. O professor deve ser um mediador e dar oportunidades de autonomia na decisão do planejamento da rotina e na organização dos espaços", diz.

Segundo Fátima, a possibilidade do aluno poder se expressar só traz benefícios, pois as crianças são "naturalmente negociadoras". "As pessoas não acreditam muito... A criança pode não ter grande consciência, mas tem grande percepção do que está ocorrendo a sua volta. Por isso, ela tem que desenvolver isso", diz.
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/09/30/estudante-deve-ser-protagonista-na-educacao-infantil-dizem-especialistas.jhtm

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Projeto leva palestras sobre o Enem para escolas públicas

Portal do MEC
Para mudar o quadro de notas baixas que grande parte das escolas públicas do Pará tem obtido no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e nos vestibulares, o Instituto Federal do Pará (IFPA) criou, em 2009, o Programa de Iniciação à Docência. A nova estratégia inclui investimento na formação dos professores, e aposta em maneiras inovadoras de preparar os profissionais que se formam na instituição.

Um dos objetivos do projeto é levar até os alunos do ensino médio das escolas públicas do Pará ações voltadas para a preparação deles para a prova do Enem, a partir da resolução de problemas e palestras contextualizadas.

“A necessidade de se realizar esse tipo de ação surgiu da preocupação com as metodologias utilizadas no processo de ensino-aprendizagem dos alunos dos ensinos médio e fundamental no Brasil, que passou a ser questão de muitos debates nos últimos anos”, explica o coordenador do projeto, professor Raimundo Otoni.

O programa prevê a realização de um trabalho articulado entre o instituto e as escolas públicas do estado. Hoje, há 105 alunos atuando como bolsistas do programa. Destes, 70 são do Campus Belém. Na Escola Estadual Visconde de Souza Franco, um grupo de 15 alunos do IFPA desempenha atividades de monitoria com as turmas de ensino médio desde junho deste ano.

Estudante do curso de licenciatura em física do IFPA, Campus Belém, Lucas de Araújo faz parte da equipe e sabe que essa é uma oportunidade única na sua formação acadêmica e profissional. “Essa não é apenas uma oportunidade de estágio, é um momento também de dividir experiências com alunos de outros cursos e promover uma interdisciplinaridade”, afirma.

“A proposta do programa é que os estudantes das licenciaturas auxiliem nas resoluções de problemas, principalmente do Enem, como processo de iniciação à docência, pois os alunos do ensino médio ainda possuem muitas dificuldades para interpretar as questões do exame”, explica o coordenador. Além das questões do Enem, os bolsistas desenvolvem suas próprias questões e metodologias de ensino. “A gente tenta relacionar as nossas atividades com o cotidiano deles, levando curiosidades que os atraiam e os façam gostar de física, química, matemática, biologia e geografia”, comenta Lucas.

Assessoria de Imprensa do IFPA

Palavras-chave: enem, ifpa, escolas públicas, ensino médio
Voltar
Salvar Fazer anotações Informar erro | Imprimir | Email
Assistente de Navegação

Se você não está encontrando o que procura, diga o seu perfil e escreva o que deseja. Nós te ajudaremos a encontrar!
Preciso de ajuda
Digite o que procura
Não preciso de ajuda Não oferecer mais ajuda

Agenda: Catálogos de cursos de educação profissional

Portal do MEC
Termina na quinta-feira, 30, o prazo para apresentação de sugestões ou alterações nos catálogos de cursos de educação profissional e tecnológica do Ministério da Educação. Tanto o Catálogo Nacional dos Cursos Superiores de Tecnologia quanto o dos cursos técnicos passam por revisões anuais, em agosto e setembro. Para apresentar sugestões ou mudanças é necessário fazer o cadastramento. Em seguida, basta fazer o login e enviar a proposta.

Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero

Estão abertas até quinta-feira, 30, as inscrições para o 6º Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero, voltado para estudantes do ensino médio, graduados, especialistas, mestres e estudantes de doutorado. Os concorrentes devem redigir textos e artigos científicos na área das relações de gênero, mulheres e feminismo. Escolas públicas e particulares podem concorrer na categoria Escola Promotora da Igualdade de Gênero. Inscrições e mais informações na página eletrônica do prêmio.

Educação de jovens e adultos

Até 4 de outubro, educadores e dirigentes das redes públicas de ensino que oferecem alfabetização e educação de jovens e adultos devem escolher coleções e livros e didáticos a serem usados em 2011. A relação das obras está no Guia do Livro Didático para a Educação de Jovens e Adultos do Ministério da Educação. A escolha envolve as redes de 3.402 prefeituras, secretarias estaduais e institutos federais de educação, ciência e tecnologia que aderiram ao Programa Nacional do Livro Didático para a Educação de Jovens e Adultos (PNLD EJA) em 2010.

Concurso Literatura para Todos

Escritores brasileiros e de países africanos de língua portuguesa podem inscrever livros para a quarta edição do concurso Literatura para Todos. O Ministério da Educação recebe inscrições até 13 de outubro. Serão selecionadas nove obras. O prêmio individual é de R$ 10 mil. Os gêneros literários, prazos e demais especificações estão descritos no Edital nº 5/2010 disponível na página eletrônica da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad).

Consulta pública — diretrizes curriculares

A Secretaria de Educação Básica (SEB) abriu consulta pública sobre a implementação das diretrizes curriculares nacionais da educação infantil, aprovadas em dezembro de 2009. Os documentos preliminares estão à disposição de gestores, conselheiros, técnicos, professores, pesquisadores e da comunidade. Sugestões e críticas podem ser enviadas até 30 de outubro para consultapublicacoedi@mec.gov.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. . Mais informações na página eletrônica da SEB.

Workshop sobre toxinas animais

O Programa de Pós-Graduação em Recursos Naturais da Amazônia da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Toxinologia do Instituto Butantan e o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Toxinas, promoverá, entre 4 e 8 de outubro, o workshop Toxinas Animais: Patrimônio Natural para Inovação Farmacêutica. O evento será realizado no campus Rondon da Ufopa, em Santarém (PA). Inscrições e mais informações no endereço eletrônico pgrna@ufpa.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. e pelo telefone 93 3522-2570.

Prêmio Técnico Empreendedor

Estudantes de instituições públicas de educação profissional e tecnológica interessados em participar do Prêmio Técnico Empreendedor podem fazer a inscrição, até 8 de outubro, em agências do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Podem participar alunos de cursos técnicos (nível médio) e tecnológicos (superior). Mais informações na página eletrônica do prêmio.

Concurso para professor no oeste do Pará

Estão abertas as inscrições para a seleção de professores na Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa). São 21 vagas em engenharia, ciência da computação, língua portuguesa, língua francesa, língua espanhola, língua inglesa, química, história, matemática e origem e evolução do conhecimento. Serão aceitas inscrições para o cargo de professor adjunto (até 10 de outubro) de candidatos com diploma de doutor. Há vagas remanescentes para professor assistente (até 7 de novembro) com diploma de mestre. Mais informações no edital, na página eletrônica da Universidade Federal do Pará (UFPA) e pelo telefone 93 3064-9094.

Unila abre concurso para professor

Estão abertas até 22 de outubro as inscrições para professor da carreira do magistério superior na Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila). São oferecidas 21 vagas para mestres e doutores nas áreas de antropologia; artes; música; economia; estatística; informática; física aplicada; geografia humana; desenvolvimento rural; língua espanhola; língua portuguesa; língua inglesa; língua francesa; literatura latino-americana; matemática; química; relações internacionais e integração. Também podem participar professores estrangeiros, que devem cumprir requisitos específicos estabelecidos no edital. Inscrições e mais informações na página eletrônica da Unila.


Palavras-chave: agenda

Aposta na tecnologia

Marta Avancini
Para driblar a distância entre aluno e escola, Estado do Amazonas investe em aulas via satélite.
Um dos principais problemas no Estado do Amazonas é a interrupção precoce dos estudos. Por causa das longas distâncias e da dificuldade de acesso às escolas, muitas crianças e jovens das áreas rurais param de estudar no ensino fundamental. Outra dificuldade é fazer com que os professores cheguem a essas localidades, onde normalmente só se chega de barco e depois de dias de viagem.

A solução encontrada para resolver esses entraves foi a tecnologia: cerca de 30 mil alunos, em 1,5 mil municípios, estão cursando o ensino médio regular no período noturno com aulas transmitidas em tempo real via satélite. Assim, têm a oportunidade de prosseguir nos estudos. As aulas são ministradas diariamente nas escolas municipais. O curso se enquadra em todos os requisitos legais.

Como as aulas são simultâneas, alunos de diferentes localidades podem interagir e fazer suas perguntas, tornando a aprendizagem mais dinâmica. "Testamos vários modelos, até que chegamos a esse formato em 2007. Os resultados têm sido bastante positivos, sobretudo porque estamos chegando a lugares onde não havia oferta de ensino médio", analisa José Augusto de Melo Neto, coordenador do Centro de Mídias da secretaria estadual de Educação do Amazonas.

Ele conta que, em 2007, ano de implantação do programa, o abandono foi de 16%, abaixo da média brasileira para o ensino médio noturno naquele ano, cerca de 26%. "Desde então, os resultados só estão melhorando", comemora. Mas, para que o aluno se mantenha na escola, o coordenador destaca que é fundamental atentar à infraestrutura, garantindo transporte até a escola e energia elétrica para as escolas.

Além promover a inclusão, as aulas a distância suprem - ainda que parcialmente - outro grave problema enfrentado por várias redes de ensino: a falta de docentes. "As aulas específicas são ministradas em estúdio para todos os alunos simultaneamente. Em cada sala de aula, há um professor com licenciatura plena", explica Melo Neto. Ao todo, são 1,2 mil docentes envolvidos na iniciativa, dos quais 35 ficam nos estúdios. Os demais são do próprio município.

Parcerias
A viabilização do programa depende de parcerias com as prefeituras, que cedem as salas de aula em escolas municipais, onde são instalados os equipamentos. As aulas são ministradas à noite porque, normalmente, os prédios não são utilizados nesse período. As parcerias funcionam por adesão dos municípios. "Oferecemos a todos. Quem quiser e tiver condições de ceder uma sala de aula participa", diz. Melo Neto também considera a participação dos pais importante para pressionar os dirigentes a trazer o ensino médio à sua cidade. "A parceria e a divisão de responsabilidades é fundamental, senão não funciona", pontua.

De acordo com o coordenador, a implantação das plataformas para as aulas a distância em municípios remotos do Amazonas não está beneficiando só as crianças e jovens antes excluídos da escola. Os equipamentos também estão sendo utilizados para treinar professores, fazer reuniões entre gestores e até por outras áreas do governo do estado, como a secretaria de Saúde. Amplia-se, desse modo, a interação, o diálogo, ao mesmo tempo em que se otimiza tempo e dinheiro.
retirado do site:http://revistaeducacao.uol.com.br/textos.asp?codigo=12969

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Inep prorroga inscrições para Encceja até dia 10/10

Da Redação
Em São Paulo

O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) prorrogou as inscrições ao Encceja (Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos) até dia 10 de outubro. As inscrições, que são gratuitas, devem ser realizadas pela internet. O participante que atingir a média mínima exigida no exame poderá obter o certificado de conclusão do ensino fundamental.

O estudante que se inscreveu para a prova de 2009 e quiser fazer a deste ano deve confirmar a participação no site do Inep. É necessário ter pelo menos 15 anos completos na data do exame para fazer a prova.

As provas acontecerão no dia 12 de dezembro. O cartão de confirmação de inscrição, indicando o local de realização do exame, deve ser enviado até o dia 16 de novembro. Será possível, também, verificar essa informação no sistema de acompanhamento de inscrição ou pelo telefone do Fala Brasil: 0800-616161.

Os portões dos locais de provas serão abertos às 7h e fechados às 8h25, para as provas realizadas no período da manhã, e abertos às 13h e fechados às 14h25, para as provas aplicadas no período da tarde.

O exame é composto por quatro provas, divididas da seguinte maneira:

* Prova 1 - língua portuguesa, língua estrangeira moderna (inglês), artes, educação física e redação;
* prova 2 - matemática;
* prova 3 - história e geografia;
* prova 4 - ciências naturais.

O candidato deve indicar, no momento da inscrição, quais provas deseja realizar.

Desde 2009, as certificações para o ensino médio são obtidas por meio da prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Outras informações podem ser obtidas no site do Inep.
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/09/27/inep-prorroga-inscricoes-para-encceja-ate-dia-1010.jhtm

Seguro-desemprego poderá financiar estudos de trabalhador

Infomoney
SÃO PAULO – O trabalhador desempregado ou seus dependentes poderão passar a ter os estudos financiados por meio do Programa do Seguro-Desemprego.

Este é o objetivo do PLS (Projeto de lei do Senado), da senadora Selma Elias (PMDB-SC), que altera a lei vigente (7.998/90) e acrescenta a prestação, provisória, de assistência financeira pelo seguro ao trabalhador desempregado e a seus dependentes.

Porém, o benefício só será efetuado mediante a comprovação da matrícula em instituições particulares de Ensino Superior, em cursos devidamente reconhecidos.

O valor da bolsa de estudos será acrescido ao benefício do seguro-desemprego, de modo que o trabalhador desempregado que estudar poderá receber bolsa no valor de até 50% do seguro.

No caso de o benefício ser direcionado aos filhos desse trabalhador, cada um receberá uma parcela do desconto. Contudo, a soma máxima dos benefícios não poderá ultrapassar os 50% originais.

Trabalhador

A matéria ainda inclui um inciso ao artigo 11 da Lei 7.998/90, para que R$ 100 milhões das dotações orçamentárias anuais da União passem a integrar os recursos do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador).

Segundo Selma, é muito comum no Brasil que trabalhadores desempregados abandonem os estudos ou deixem de pagar mensalidades de filhos ou dependentes por falta de dinheiro.

"A ausência de políticas públicas e a insuficiente rede pública de ensino, especificamente na educação superior e na profissional, condenam anualmente milhares de trabalhadores à evasão escolar, por absoluta falta de condições financeiras. Igualmente difícil é a situação dos dependentes do trabalhador desempregado, que são afastados da sala de aula por inadimplência no pagamento de suas mensalidades escolares", afirma Selma.

Selma Elias ressalta que o projeto traz apenas uma solução provisória ao problema e pede que as autoridades competentes desenvolvam política pública específica para o atendimento desses casos.

Processos

A matéria ainda será analisada pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte e, depois, pela Comissão de Assuntos Sociais, sem necessidade de passar pelo Plenário, conforme informações da Agência Senado.
retirado do site:http://economia.uol.com.br/planodecarreira/ultimas-noticias/infomoney/2010/09/27/seguro-desemprego-podera-financiar-estudos-de-trabalhador.jhtm

Distrito Federal ganhará nova universidade pública

Da Redação
Em São Paulo*
O Distrito Federal terá uma nova universidade pública, a Urbe (Universidade Regional de Brasília e Entorno). A instituição contará com sede em Samambaia (DF) e será composta por instituições públicas de educação superior, profissional e tecnológica criadas, incorporadas ou vinculadas, administradas e mantidas pelo poder público do Distrito Federal. O decreto de criação da universidade foi assinado na última quarta-feira (22).

A universidade deve funcionar junto com outras instituições e as aulas serão ministradas em todas as cidades do Distrito Federal. De acordo com o governador Rogério Rosso, serão aproveitadas estruturas já existentes "para não gastar dinheiro com construção e não perder tempo".

A ESCS (Escola Superior de Ciências da Saúde), que ministra gratuitamente cursos superiores de medicina e enfermagem, também será incorporada à universidade.

Para implantar e organizar a Urbe, foi criada uma Comissão Executiva, coordenada pelo diretor geral da ESCS, professor Mourad Ibrahim Belaciano. Junto com secretários de Estado, Procuradoria Geral do DF e diretores das academias, a comissão terá 90 dias para concluir os trabalhos; ainda não há previsão de quando a universidade começará a funcionar.

* Com informações da Agência Brasília
retirado do site:http://vestibular.uol.com.br/ultimas-noticias/2010/09/27/distrito-federal-ganhara-nova-universidade-publica.jhtm

Professores premiados colocaram em prática conhecimentos de sala de aula

Da Redação
Em São Paulo
Transformar em prática os conhecimentos da sala de aula: esse foi o truque de dez professores que foram considerados “Educadores Nota 10”, prêmio concedido pela Fundação Victor Civita a docentes de escolas públicas e particulares do país. Mas, como eles fizeram isso? O que pode ser copiado?
Uma das professoras –Jandira Stand, de São Paulo– percebeu que seus alunos, apesar de, em tese, estarem alfabetizados, tinham produções escritas de baixa qualidade. Como fazer, então, para que eles se interessassem pela produção de textos? A docente resolveu, então, montar um projeto de leitura e escrita de fábulas. Com isso, ela conseguiu melhorar o desempenho dos alunos na área.

Um outro exemplo bem sucedido de aplicações práticas é o da professora Silvia Ulisses de Jesus, de Belo Horizonte –e, no caso dela, desde cedo: ela trabalha com crianças de 4 a 18 meses em um berçário da cidade. Silvia fez com que os pequenos tivessem múltiplas experiências, com desenho, pintura, espelhos, entre outros, para que desenvolvessem sua capacidade comunicativa.

O resultado se fez notar pouco tempo depois: algumas crianças passaram a engatinhar mais e outras começaram a balbuciar palavras e até a falar. Segundo a professora, o trabalho teve resultado até na saúde delas, já que ficaram menos doentes ao usarem o espaço exterior com mais frequência.

A professora de educação infantil Lisiane Oster, de Ijuí (RS), usou três caminhos para ensinar aos alunos, de 5 e 6 anos, os sistemas de numeração. Na primeira etapa, montou um “Super Trunfo” –jogo de cartas em que vence quem tiver o maior (ou menor, dependendo da regra) número em uma categoria. Foram utilizadas três medidas: peso, altura e número do sapato dos estudantes.

Depois, ela dividiu os alunos em grupos e pediu que cada um colecionasse um objeto, como, por exemplo, folhas e chaves fora de uso. Assim, eles passaram a lidar com contagens maiores. Para finalizar a atividade, as crianças analisaram jogos de percurso e montaram seus próprios, após definirem a sequência de números e a variedade de temas.

Os prêmios serão entregues no dia 18 de outubro, em São Paulo. No evento, um deles será escolhido como Educador do Ano de 2010.
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/09/27/professores-premiados-colocaram-em-pratica-conhecimentos-de-sala-de-aula.jhtm

A Importância da Administração de Cargos e Salários

A Administração de Cargos e salários é um dos pontos mais importantes para que se possa fazer gestão de recursos humanos é preciso elaborar ...