sábado, 3 de julho de 2010

A Origem dos nomes dos Meses e do Ano Bissexto

As mudanças nos calendários ao longo da história.

por José Augusto Carvalho*
No calendário de Rômulo, o primeiro rei de Roma e seu fundador, o ano começava em março e tinha dez meses, cujos nomes primitivos eram Martius (em homenagem ao deus da guerra, Marte), Aprilis (nome relacionado a Apros ou Afros, designativo de Afrodite, nome grego da deusa Vênus, a quem abril era dedicado); Majus (em homenagem à deusa Maia, uma das Atlântidas, amada de Júpiter e mãe de Mercúrio), Junius (em homenagem à deusa Juno, equivalente à deusa Hera dos gregos), Quintilis, Sextilis, September, October, November e December. A relação de aprilis com aperire (abrir) surgiu posteriormente, na vigência do calendário de Numa Pompílio, por ser abril o mês da primavera, em que "todas as coisas se abrem".

Numa Pompílio (circa 715-circa 672 a.C.), sucessor de Rômulo, querendo igualar a contagem do tempo romano à dos gregos e fenícios, reformou o calendário de Rômulo, instituindo os meses de Januarius (em homenagem ao deus Janus, protetor dos lares) e Februarius, do latim februus, adjetivo de primeira classe que significa "o que purifica, purificador". No mês de fevereiro, realizavam-se cerimônias de purificação, como sacrifícios expiatórios e os ritos de purificação chamados "lupercálias a". As lupercálias eram festas em homenagem a Pã, realizadas no dia 15 de fevereiro, em que jovens saíam nus da gruta Lupercália flagelando os transeuntes com um cinto de pele de cabra chamado também lupercal , considerado capaz de eliminar a esterilidade e provocar partos felizes.

Homenagens

Os meses Quintilis e Sextilis foram rebatizados com os nomes de julho e agosto, em homenagem aos dois primeiros dos doze césares: Julius (Júlio César) e Augustus. Para que julho e agosto tivessem o mesmo número de dias, subtraíram-se dois dias do mês de fevereiro. Repare que as festas de junho são juninas (de Juno), mas as festas de julho são julianas (de Júlio), e não "julhinas" ou "julinas", nomes que não existem.
O mês da mentira

A reforma que Carlos IX empreendeu na França em 1564 apenas obrigava os franceses a seguir o calendário juliano (com o ano começando a primeiro de janeiro). Até então, e desde Carlos Magno, era o calendário de Rômulo (com o ano começando a primeiro de março) que vigorava na França. O papa Gregório XIII, em 1582, realizou uma nova reforma, ao verificar que o calendário juliano havia incorrido num erro anual de 11 minutos e 8 segundos.

Desde o ano 44 a.C. até 1582, por causa desse erro, havia uma diferença de dez dias. Para compensar esses 10 dias e regularizar a contagem do tempo, o papa determinou que, ao dia 5 de outubro de 1582, deveria seguir-se o dia 15 de outubro, e não o dia 6. A reforma gregoriana causou confusão com as datas e as comemorações tradicionais - além de bagunçar a astrologia. O dia 21 de março corresponderia ao fim do signo de peixes.

A confusão de 10 dias fez crer que o dia primeiro de abril era ainda de peixes, isto é, o signo pularia dez dias para terminar no dia primeiro de abril. Em francês, a expressão poissons d'avril, isto é, peixes de abril, passou a designar as mentiras de primeiro de abril, porque até o nome abril, por engano, teria passado a ser considerado como o primeiro dia do ano, a abrir o ano. Da França, o dia dos enganos se estendeu ao resto do Ocidente.
Abril

Abril vem de aprilis, nome de um dos espíritos que seguiam o carro de Marte, deus da guerra, que deu nome ao mês de março. Assim, aprilis não se relaciona com abrir (latim: aperire), mas com o grego Apros ou Afros, designativo de Afrodite, nome grego da deusa Vênus, a quem abril era dedicado, ou com o sânscrito áparah, que significa "posterior" (aparentado com o gótico afar ou aftra, que significa "depois"), pois abril era o segundo mês do ano, no calendário civil de Rômulo (daí os nomes setembro, outubro, novembro e dezembro para os meses sete, oito, nove e dez, respectivamente)
Lupercálias

O nome "Luperca" designa a loba que amamentou os gêmeos Rômulo e Remo na gruta chamada Lupercal. Na realidade, "lupus", lobo, em latim, primitivamente, não tinha feminino. A loba-animal era "lupus femina". "Lupa" designava a cortesã, daí o nome "lupanar" para designar o prostíbulo. A "lupa" que amamentou os gêmeos era, na verdade, uma cortesã chamada Aca Laurentia ou Laurentina. Os sacerdotes romanos é que "purificaram" a origem de Roma, atribuindo à loba-animal a amamentação dos gêmeos que fundaram a cidade.
retirado do site:http://conhecimentopratico.uol.com.br/linguaportuguesa/gramatica-ortografia/17/artigo134840-1.asp

Cartilha "Caminho Suave" lidera mais vendidos em "Educação e Pedagogia"

da Livraria da Folha

Dos cinco livros mais vendidos pela Livraria da Folha no mês de junho, a cartilha "Caminho Suave" (Edipro, 2010), de Branca Alves de Lima (1911-2001), lidera o ranking na categoria "Educação e Pedagogia".
O volume já alfabetizou mais de 30 milhões de brasileiros e chega agora à 129ª edição, com as atualizações do Novo Acordo Ortográfico. A autora e educadora, que escreveu a obra em 1948, criou o método visual na cartilha, na qual cada letra ou sílaba é associada a um desenho.

O volume ensina as crianças a ligar os pontos e descobrir o rabo do cachorro, memorizar o "g" do gato da menina Didi e o "z" do nome da cozinheira Zazá, entre outros. A imagem de duas crianças sorridentes de mãos dadas --Fábio, 8, e Didi, 6--, seguindo o caminho para a escola pertence à memória dos brasileiros com mais de 30 anos.

Na mesma linha da cartilha, a Edipro lançou o "Baralho" e os "Cartazes" da "Caminho Suave".

Veja a lista dos cinco livros mais vendidos em "Educação e Pedagogia":
retirado do site:http://www1.folha.uol.com.br/folha/livrariadafolha/760771-cartilha-caminho-suave-lidera-mais-vendidos-em-educacao-e-pedagogia.shtml

MP diz que propina da merenda ia para dois secretários

Agência o Estado


O MPE (Ministério Público Estadual) diz ter identificado os responsáveis nas gestões Marta Suplicy (PT) e José Serra (PSDB)/Gilberto Kassab (DEM) pelo recebimento de propina paga pela chamada máfia da merenda. Os suspeitos são dois secretários municipais, cujos nomes são mantidos sob sigilo. Um mapa da corrupção obtido pelos promotores e decifrado por uma testemunha foi o ponto de partida para a descoberta.

Ontem, uma força-tarefa formada por promotores, fiscais da Receita estadual e policiais civis cumpriu 21 mandados de busca e apreensão em três cidades paulistas - São Paulo, Sorocaba e Tietê - e quatro municípios mineiros - Belo Horizonte, Mariana, Varginha e Contagem. Dos 21 mandados expedidos pela Justiça, 16 foram cumpridos em Minas e cinco em São Paulo. Os alvos eram residências de executivos e as sedes de três empresas (SP Alimentação, J. Coan e Nutriplus) acusadas de integrar um cartel para fraudar licitações e corromper agentes públicos.

Segundo o MPE, o total da propina supostamente paga pelas empresas chega a R$ 300 milhões por ano. "Estamos diante de uma grande organização criminosa empresarial", afirmou o promotor Arthur Pinto de Lemos Júnior, do Grupo de Atuação Especial de Repressão à Formação de Cartel e à Lavagem de Dinheiro (Gedec). "Nosso compromisso é desmantelar esse esquema." Estão na mira do MPE contratos para o fornecimento de merenda firmados em 30 municípios paulistas.

Os valores da propina, segundo o MPE, variavam de 5% a 15% do valor do contrato. O dinheiro era sacado na boca do caixa e entregue em espécie aos agentes públicos. Para elevar os lucros, as fornecedoras ainda superfaturavam o valor dos contratos e inflavam as medições dos serviços. "Os maiores prejudicados eram os alunos, que além de tudo recebiam comida de baixa qualidade nutricional e até vencida", assinala o promotor Silvio Antonio Marques, da Promotoria do Patrimônio Público e Social da capital.

Procurada, a SP Alimentação negou as acusações e não quis manifestar-se sobre as buscas. Em nota, a Nutriplus negou ter praticado irregularidades. Assinala que não é citada no pedido que deu base aos mandados de busca e apreensão e não mantém ou manteve contato com as pessoas envolvidas no suposto esquema. Nenhum representante da J. Coan foi localizado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/07/02/mp-diz-que-propina-da-merenda-ia-para-dois-secretarios.jhtm

Mãe é condenada por bullying praticado por filho no RS

Agência o Estado


O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul condenou nesta semana a mãe de um adolescente que cometeu cyberbullying (uso de meios eletrônicos para comportamento hostil). O menor criou uma página na internet com a finalidade de ofender um colega de classe. A mãe terá de pagar indenização por danos morais no valor de R$ 5 mil, corrigidos monetariamente.

De acordo com a Justiça, a vítima entrou com uma ação na cidade de Carazinho, alegando que fotos suas foram copiadas e alteradas, dando origem a um fotolog (espécie de diário fotográfico online) criado em seu nome. Na página, foram postadas mensagens levianas e ofensivas, segundo a vítima. Além disso, foram feitas montagens fotográficas nas quais o autor é retratado em cenas constrangedoras.

Segundo ele, após muita insistência e denúncias por mais de um mês, o provedor cancelou o fotolog. Na sequência, o autor começou a receber e-mails com conteúdo ofensivo, razão pela qual providenciou registro de ocorrência policial e ingressou com ação cautelar para que o provedor fornecesse dados sobre a identidade do proprietário do computador de onde as mensagens foram postadas, chegando ao nome da mãe de um colega de classe.

Os fatos ocorreram enquanto o autor ainda era adolescente e, segundo ele, foram muito prejudiciais, havendo necessidade de recorrer a auxílio psicológico. Por essas razões, sustentou que a mãe do criador da página deveria ser responsabilizada já que as mensagens partiram de seu computador, bem como o provedor, por permitir a divulgação do fotolog.

No 1º Grau, a Juíza de Direito Taís Culau de Barros, da 1ª Vara Cível de Carazinho, condenou a mãe ao pagamento de indenização por dano moral no valor de R$ 5 mil e descartou a responsabilidade por parte do provedor de internet. "Os fatos são claros: em face da ausência de limites que acomete muitos jovens nos dias de hoje, vide os inúmeros casos de bullying e inclusive atrocidades cometidas por adolescentes que vêm a público, o filho da ré, e quem sabe outros amigos, resolveram ofender, achincalhar, e quiçá, fazer com que o autor se sentisse bobo perante a comunidade de Carazinho", diz a sentença.
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/07/02/mae-e-condenada-por-bullying-praticado-por-filho-no-rs.jhtm

Ideb: Resultado é bom, mas matemática precisa de intervenção, diz Maria Helena Guimarães de Castro

Ana Okada
Em São Paulo
Atualizado às 20h46

Os resultados divulgados hoje no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) 2009 foram bons. Essa é a avaliação de Maria Helena Guimarães de Castro, pesquisadora da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e ex-secretária de Educação de São Paulo no governo José Serra (PSDB). "Ele mostra que a tendência de melhora das séries iniciais [do nível fundamental] permanece, e a melhora dos anos finais em português também foi significativa", diz.

Os dados divulgados mostram que, de 1ª a 4ª série, o índice em português no Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica)/Prova Brasil foi de 175,8 em 2007 para 184,3 em 2009 - um aumento de 8,5. Em matemática, a nota foi de 193,5 para 204,3 - crescimento de 10,8 na média. A melhora das séries iniciais, segundo a pesquisadora, é importante, pois terá impacto nas séries seguintes.
A pesquisadora ressalta, no entanto, que as notas de matemática dos anos finais do ensino fundamental (5ª a 8ª série) e do ensino médio ainda são muito baixas. "Os resultados [em português] mostram que os responsáveis pelo ensino, que são os Estados e os municípios, estão melhorando na parte de alfabetização, mas mostram também que é preciso investir muito em formação continuada de matemática nas séries finais do fundamental e no ensino médio". "O aprendizado da disciplina nestas séries depende, sobretudo, da educação escolar, de professores que tenham domínio da matéria e que saibam ensinar", diz.
Para Maria Helena, os resultados divulgados hoje pelo MEC (Ministério da Educação) devem ser utilizados para ajudar as escolas a melhorarem o desempenho dos estudantes. "Muitos professores não conhecem a metodologia da Prova Brasil e do Saeb, é preciso que se faça um relatório analítico para ajudar as escolas. Um número não quer dizer muita coisa para a escola; é isso o que está faltando, um bom material pedagógico para que os Estados possam focar nos resultados e superar as deficiências", diz.
Intervenção

"A grande questão como política pública é como melhorar o resultado de matemática de 5ª a 8ª série e no ensino médio, e o que me parece fundamental é um bom material de análise pedagógica dos resultados, para orientar a capacitação dos professores", diz Maria Helena. Ela defende uma intervenção específica em matemática, que apresentou resultados fracos nos anos finais do ensino fundamental e no ensino médio.

"É em matemática que temos mais dificuldade, e isso se reflete no ensino médio, que está estagnado. Anos atrás, a explicação da nota ruim era o aumento do número de alunos da rede; agora não, pois o número está diminuindo. Agora, o desempenho depende de professor, da escola, do material didático", completa.
A pesquisadora conta que, de 1997 a 2001, os sistemas de ensino tiveram grande incorporação de alunos e isso se refletiu na queda dos resultados das avaliações de educação governamentais. A partir de 2002, porém, o número de alunos novos se estabilizou, e os resultados começaram, novamente, a melhorar.
Formação continuada

A pesquisadora defende a formação continuada baseada no índice divulgado pelo MEC como forma de melhorar o desempenho dos alunos da rede pública.

"A formação continuada [oferecida pelo governo] ainda é pequena, tem pouca abrangência e é feita apenas com orientações das universidades; não levam em consideração os resultados da Prova Brasil e do Saeb. Seria importante que o MEC fizesse um programa com base nesses dados, com um novo desenho. Do jeito que está hoje, a plataforma [Freire] não resolve o problema de conteúdo. Se o professor não tiver domínio do que ele deve ensinar, não conhecer os problemas que aparecem, e ele vai continuar sem saber o que ele precisa superar", diz.
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/07/01/ideb-resultado-e-bom-mas-matematica-precisa-de-intervencao-diz-maria-helena-guimaraes-de-castro.jhtm

Estudantes da rede pública estão aprendendo mais português e matemática

Karina Yamamoto
Em São Paulo

As notas dos alunos da educação básica melhoraram tanto em português quanto em matemática, segundo dados liberados pelo MEC (Ministério da Educação) nesta quinta (1). As etapas avaliadas são os anos iniciais (1ª a 4ª séries), os anos finais (5ª a 8ª séries) e o ensino médio (antigo colegial). Os alunos são avaliados pelo Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica) e pela Prova Brasil.

Nos anos iniciais, o desempenho em português foi de 184,3 (em 2007, foi de 175,8). Os alunos dos anos finais do ensino fundamental obtiveram 244 e os estudantes do ensino médio alcançaram 268,8. A escala Saeb/Prova Brasil vai de 0 a 500.
Um ano letivo a mais

Segundo Reynaldo Fernandes, ex-presidente do Inep (autarquia do MEC responsável pelo Saeb e Prova Brasil), o avanço na proficiência em português entre 2005 e 2009 significa um "ano" a mais de conhecimento para o estudante. "Um aluno da 4ª série [avaliado em 2009] sabe o que os seus colegas quatro anos mais velhos sabiam na 5ª série", explica Fernandes que retomou suas aulas na USP (Universidade de São Paulo) após deixar o cargo no Inep.

Fernandes explica o cálculo: a diferença entre a nota de 2009 (184,3) e a nota de 2005 (172,3) é de 12 pontos. "Um aluno cresce entre 12 e 15 pontos por ano entre a 4ª e a 8ª séries", explicou Reynaldo.

Os anos finais do ensino fundamental também melhoraram o desempenho em português -- obtiveram 244 em 2009 contra 234,6 em 2007. Se for feita a mesma comparação de Fernandes para a primeira etapa do ensino fundamental, a diferença entre a nota de 2009 e 2005 (231,9) foi de 12, 1 pontos.

Fernandes considera o período entre 2005 e 2009 porque foi o período de implantação de uma série de medidas por parte do MEC para melhorar a situação da educação brasileira que se encontrava em uma "recessão" , como define o ministro Fernando Haddad no período que define a situação do país ate 2005. A série de ações a que ele se refere é o PDE (Plano de Desenvolvimento da Educação).

Mesmo no ensino médio -- etapa mais frágil quando os índices foram divulgados -- a proficiência em português melhorou. Em 2009, o desempenho na série histórica Saeb/Prova Brasil foi de 268,8 contra 261,4. A diferença entre 2009 e 2005 (257,6) fica em 11,2 pontos.

Questionado se o aprendizado dos estudantes estava "adequado" à série, Fernandes explicou que a metodologia não faz esse tipo de avaliação. "O que temos é a meta [do Ideb final] com base nas metas da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico)", disse Fernandes.
Matemática no Saeb/Prova Brasil

Em matemática, o desempenho dos alunos também foi melhor que da última avaliação, feita em 2007. Nos anos iniciais do ensino fundamental, a "nota" dos estudantes foi 204,3 -- em 2007 havia sido 193,5. Na comparação com o ano de 2005, os alunos avaliados no ano passado estão quase dois anos a frente. A diferença entre as notas é de 21,9 pontos. Ou seja, "em matemática, os estudantes da 4ª série sabem o que os seus colegas quatro anos mais velhos sabiam quando estavam na 6ª série", disse Reynaldo.

Já nos anos finais do ensino fundamental, a melhora em matemática foi suave -- o desempenho foi de 248,7 contra 247,4 em 2007. Na comparação com 2005, a situação parece mais animadora, pois o índice naquele ano foi de 239,5.

Para o ensino médio, a melhora do ano passado para este ano foi de 1,8. Em 2009, a nota ficou em 274,7 contra 272 em 2007 e 271,3 em 2005. "Dado o histórico desses alunos, o ensino médio está bem", avalia Fernandes. Segundo, a turma que está atualmente nessa etapa de ensino foi muito mal avaliada quando estava nos anos iniciais. Seguindo o mesmo raciocínio, a tendência é que as "notas" do ensino médio melhorem uma vez que o ensino fundamental tem sido "bem avaliado".
Ideb 2009

O desempenho dos alunos no Saeb/Prova Brasil, em conjunto com a taxa de aprovação, compõe o Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), que foi divulgado pelo MEC (Minitério da Educação) na tarde desta quinta (1). De modo geral, os três níveis avaliados alcançaram as metas estabelecidas.

A primeira etapa do ensino fundamental (1ª à 4ª série) ficou com nota média de 4,6. A segunda etapa (5ª a 8ª série), ficou com 4,0; o ensino médio, por sua vez, teve média 3,6. As médias, apesar de "vermelhas", estão acima das metas traçadas pelo governo para o ano de 2009, que eram de 4,2, 3,7 e 3,5, respectivamente. A nota é medida numa escala que vai de 0 a 10.
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/07/01/estudantes-da-rede-publica-estao-aprendendo-mais-portugues-e-matematica.jhtm

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Educação é estratégica para estabelecimento de consumo sustentável

Desirèe Luíse
Para romper com o padrão do consumismo atual, todos os aspectos da educação – do trabalho em classe, até a volta a pé para casa – deverão ser pautados pela sustentabilidade. Esta é uma das conclusões do relatório “Estado do Mundo – 2010”, que teve sua versão em português lançada nesta quarta-feira (30/6), em São Paulo (SP). Produzido pelo Worldwatch Institute (WWI), o documento traz anualmente um balanço e reflexões sobre questões ambientais.

Segundo o relatório, uma pesquisa anual com alunos de primeiro ano de faculdades nos Estados Unidos trouxe um resultado alarmante. Ao investigar durante mais de 35 anos as prioridades de vida dos alunos, foi constatado que a importância atribuída a ter boa situação financeira aumentou de pouco mais de 40% para quase 80%. Enquanto o valor dado à construção de uma filosofia de vida plena de sentido diminuiu de 75% para pouco mais de 45%. O documento ressalta que este não é um fenômeno apenas estadunidense.

De acordo com o responsável pelo relatório da WWI, Erik Assadourian, o resultado da pesquisa é sintoma de uma mudança cultural. A ênfase atribuída pelos jovens à melhor condição financeira está ligada ao desejo de consumir mais produtos. Dessa forma, os recursos naturais são utilizados cada vez mais para suprir a demanda do consumismo.

Entre 1950 e 2005, a produção de metais cresceu seis vezes, o consumo de petróleo subiu oito vezes e o de gás natural 14 vezes. Atualmente, um europeu consome em média 43 kg em recursos naturais diariamente. Um norte-americano consome 88 kg.

“Temos que transformar a cultura para que viver sustentavelmente seja tão normal como vivemos o consumismo exacerbado. Ninguém vive sem celular hoje em dia e as ruas estão cheias de carros. O problema é que a nossa capacidade de viver no planeta está comprometida”, explicou Assadourian.

Hábitos, valores e referências são, em grande medida, formados na infância. Durante a vida, a educação pode ter um efeito transformador sobre quem aprende. Portanto, explorar as instituições de ensino será essencial para redirecionar a humanidade para culturas de sustentabilidade, aponta o relatório.

“Mas a crítica ao consumismo pode representar perda econômica. A ampliação do consumo não pode ser vista apenas como degradação”, lembrou o professor da Faculdade de Economia da Universidade de São Paulo (USP) e presidente do Conselho Acadêmico do Instituto Akatu, Ricardo Abramovay. O diretor-presidente do Instituto, Hélio Mattar, rebateu: “As necessidades básicas devem ser atendidas. O enfoque não é simplesmente consumir menos, mas consumir diferente. Deixar o descartável, por exemplo, e ir para o durável”.

Informações do relatório revelam que a humanidade aumentou, na última década, seu consumo de bens e serviços em 28%. Somente em 2008, foram vendidos no mundo 68 milhões de veículos, 85 milhões de refrigeradores, 297 milhões de computadores e 1,2 bilhão de telefones celulares.

Desigualdade

Além de excessivo, de acordo com o estudo da WWI, o consumo é desigual. Em 2006, os 65 países com maior renda, que somam 16% da população mundial, foram responsáveis por 78% dos gastos em bens e serviços.

Os Estados Unidos, com apenas 5% da população mundial, representam 32% do consumo global. Se todos vivessem de forma semelhante aos estadunidenses, o planeta só comportaria uma população de 1,4 bilhão de pessoas. Atualmente, já somos quase sete bilhões, e projeta-se nove bilhões para 2050.
retirado do site:http://aprendiz.uol.com.br/content/brestepoth.mmp

'Unidades são criadas ao longo do ano', diz pasta

Fernanda Barbosa
do Agora

A Secretaria Municipal da Educação afirmou, em nota, que a abertura de novas vagas em creches não é linear e ocorre ao longo de todo o ano.

A prefeitura divulgou ainda que a demanda oscila --por isso, deve-se considerar o número de dezembro como o mais próximo da realidade. A reportagem usou os dados relativos a março e a junho porque eram os últimos números divulgados e os únicos referentes a 2010.

A secretaria ressaltou ter "gerado 66 mil matrículas desde 2005". Segundo a pasta, o secretário Alexandre Schneider "considera desafiadora a meta de atender a demanda cadastrada em dezembro de 2008", mas trabalha para atingir o objetivo.

Ainda de acordo com a pasta, a região sul tem prioridade no processo de criação de vagas, mas, como é área de mananciais, apresenta ainda mais desafios para a localização de terrenos para a construção de novas unidades.
retirado do site:http://www.agora.uol.com.br/saopaulo/ult10103u759995.shtml

O que você acha da iniciativa do RS contra o bullying?

Foi sancionada no Rio Grande do Sul a lei que prevê políticas públicas contra o bullying nas escolas de ensino básico e de educação infantil, privadas ou públicas, em todo o Estado. A lei foi publicada na terça-feira no Diário Oficial do Estado.

A política antibullying terá como principal objetivo reduzir a prática de violência dentro e fora das instituições de ensino. Também servirá para orientar as vítimas e seus familiares, com apoio técnico e psicológico, de modo a garantir a recuperação da autoestima do agredido e minimizar os eventuais prejuízos em seu desempenho escolar.

Pela nova lei, é considerado bullying qualquer prática de violência física ou psicológica, intencional e repetitiva, que ocorra sem motivação evidente, praticada por um indivíduo ou grupo, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de intimidar, agredir fisicamente, isolar ou humilhar.

* As informações são do UOL Educação.

O que você acha da iniciativa do RS contra o bullying?
retirado do site:http://forum.educacao.blog.uol.com.br/arch2010-06-27_2010-07-03.html#2010_07-01_12_12_53-8953204-0

Três adolescentes e um homem são autuados por estuprar jovem na UFPE

Publicado em 01.07.2010, às 08h21
Do JC Online Com informações da Rádio Jornal

Foram autuados em flagrante nesta quinta-feira (1º) os quatro homens acusados de estuprarem uma adolescente de 15 anos no campus da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), zona Oeste do Recife. Três adolescentes foram autuados na unidade e um maior de idade, José Roberto de Oliveira Silva, 19 anos, foi encaminhado para a Unidade de repressão de crimes contra criança e adolescente. Dois ainda estão foragidos.

Segundo o delegado de plantão da Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA), Antônio de Campos, a jovem já vinha sendo perseguida por um grupo de seis homens, quando chegou ao local onde foi violentada. Ela estava acompanhada de seu namorado de 21 anos, a irmã de 17 e dois adolescentes.

Guardas que fazem a segurança da universidade e passavam no momento do crime perceberam a movimentação estranha e se dirigiram até o local. Quando chegaram, encontraram a adolescente seminua e saíram em perseguição aos bandidos. A Polícia Militar foi acionada. Quatro deles foram capturados e dois conseguiram fugir.
retirado do site:http://jc.uol.com.br/canal/cotidiano/grande-recife/noticia/2010/07/01/tres-adolescentes-e-um-homem-sao-autuados-por-estuprar-jovem-na-ufpe-227242.php

Eles não têm onde estudar

Publicado em 01.07.2010, às 02h24
Margarida Azevedo Do Jornal do Commercio

Doze escolas estaduais e municipais inaproveitáveis, outras 62 danificadas e, no mínimo, 44 mil alunos prejudicados. Esse é o saldo das enchentes na rede pública de ensino de Pernambuco. Secretários de Educação correm contra o tempo para reorganizar o parque escolar antes do início do segundo semestre letivo, cuja data varia de acordo com o cronograma de cada rede. O maior receio é que, com a dificuldade para encontrar prédios que possam ser usados como escolas, o ano letivo de 2010 se estenda até 2011.

Nesta quinta-feira (1º), o secretário de Educação de Pernambuco, Nilton Mota, estará em Brasília para conversar com o secretário-executivo do Ministério da Educação, Henrique Paim. O encontro vai definir o montante de recursos a ser repassado para o Estado investir na educação. Apenas para a rede estadual, o pleito do governo é de R$ 33 milhões, dos quais R$ 23 milhões para reconstrução ou reforma de 50 escolas e duas gerências regionais de Educação e R$ 10 milhões para equipamentos e mobiliário. Para os municípios, o valor não estava fechado até ontem à tarde.

“Com as prefeituras, estamos concluindo o diagnóstico dos danos nas escolas para saber quanto será necessário para reconstruir as rede municipais. Esse mapeamento será levado a Brasília e apresentado ao MEC”, explicou ontem a secretária-executiva de Educação de Pernambuco, Margareth Zaponi. As cidades de Palmares, Barreiros e Água Preta, na Zona da Mata, estão entre as mais atingidas pela chuva nas últimas semanas.

Em Palmares, uma das unidades mais antigas e tradicionais, o Colégio Municipal Fernando Augusto Pinto Ribeiro, no Centro, ficou inaproveitável. Lá estudavam 998 alunos do ensino fundamental. Parte do prédio ainda está de pé. “Infelizmente não dá para aproveitar nada. Estimamos que para construir uma escola do mesmo porte sejam necessários R$ 600 mil”, observou o secretário de Educação de Palmares, Flávio Miranda. Outras três unidades de ensino (Telma Leandro e Jaime de Castro Montenegro, na área urbana, e São João da Prata, na zona rural) tiveram parte da estrutura danificada. Também houve avaria na Biblioteca Municipal Fenelon Barreto e no prédio da Secretaria de Educação.

Da rede estadual, também em Palmares, houve destruição nas Escolas Agrícola, Dr. Pedro Afonso de Medeiros, Fraternidade Palmeirense e Maquinista Amaro Monteiro. “Vamos montar galpões pré-fabricados para abrigar os estudantes. Serão espaços provisórios, até que as novas escolas fiquem prontas. Se a chuva parar, acredito que haverá condições de terminar o ano letivo em 2010. Caso contrário, teremos que refazer o calendário escolar”, afirmou Margareth Zaponi.

Em Barreiros, houve danos físicos nas Escolas Estaduais Central de Barreiros, de Referência em Ensino Médio Althenor Guimarães e Hélio Santiago Ramos. Na rede municipal, conforme a secretária de Educação, Amarina Freitas, ainda não foi realizado levantamento dos estragos. Mas sabe-se que seis escolas da zona urbana tiveram avarias. “Com certeza teremos que adiar o início do segundo semestre para agosto. Acredito que também vamos concluir o ano letivo no início de 2011”, comentou Amarina.

DESOLAÇÃO - O que restou do maior colégio municipal de Água Preta, a Escola Padre Francisco, onde estudavam 2.600 estudantes, no bairro do Jiquiá, não deve ser aproveitado. Parte está em ruínas e o que restou de pé está comprometido. A unidade fica às margens do Rio Una. Aluno da 6ª série, Graciliano Carvalho, 12 anos, lamentou o estado em que ficou o prédio. “Estou triste. Além de destruir a escola, a chuva levou muita coisa da minha família. Perdi meus livros e até os óculos”, contou o adolescente. Outras três unidades foram destruídas e mais 10 parcialmente danificadas.

“Uma das alternativas, enquanto não se constrói um novo prédio, é transferir os alunos para o clube municipal. Colocaríamos divisórias para formar salas de aula. Outra opção é criar turnos intermediários nas escolas que não foram prejudicadas, para abrigar os estudantes dos colégios destruídos. Vamos discutir com o Conselho Municipal de Educação e a comunidade escolar”, ressaltou a secretária de Educação de Água Preta, Albertina Melo.
retirado do site:http://jc.uol.com.br/canal/educacao/noticia/2010/07/01/eles-nao-tem-onde-estudar-227228.php

"Estou tensa por rever pessoas que me fizeram mal", diz Geisy sobre audiência hoje em SP

Arthur Guimarães
Do UOL Notícias
Em São Paulo

Acontece às 10h de hoje, no Fórum de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, a audiência de instrução do caso que envolve Geisy Arruda, seu vestido rosa e a Universidade Uniban. Na sessão, o juiz irá ouvir testemunhas, partes e advogados para decidir - no mesmo dia ou não - se a garota deve receber a indenização de R$ 1 milhão que pleiteia por danos morais.

Geisy alega que sofreu inúmeros prejuízos. Disse que foi humilhada no dia em que seus colegas de faculdade a hostilizaram pela roupa que vestia. Depois do episódio, seu nome foi divulgado nacionalmente. "Fora isso, fui expulsa da Uniban. Não terminei nem o primero ano", reclama durante entrevista ao UOL Notícias.

Sobre a audiência, Geisy assume que está "um pouco tensa". Como ela explica, na ocasião será obrigada a ver novamente pessoas que foram responsáveis "por todos seus problemas". "É gente que me fez muito mal. Para mim, não vai ser legal. Mas vou passar por isso, já que é a única forma de provar que fui violentada, moralmente falando, e lutar por justiça", diz.

Devem ser ouvidos hoje três testemunhas por parte de Geisy e sete pela Uniban. Não há obrigação para que o juiz do caso dê a sentença no mesmo dia. O resultado poderá ser divulgado em outra data, com a publicação da decisão no Diário de Justiça. "Estou superconfiante", diz a ex-aluna da faculdade, que já planeja voltar a estudar no ano que vem. "Mas ainda não decidi o quê."

Histórico
No dia 22 de outubro do ano passado, Geisy precisou ser escoltada por policiais para sair da Uniban, em São Bernardo do Campo (SP), após ser hostilizada por usar um vestido rosa curto.

A universidade expulsou a jovem, mas ela foi readmitida após a repercussão do caso - entretanto, Geisy não voltou a frequentar o curso. A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar as ofensas, processo que ainda está em andamento em uma delegacia de São Bernardo do Campo.
retirado do site:http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2010/07/01/estou-tensa-por-rever-pessoas-que-me-fizeram-mal-diz-geisy-sobre-audiencia-hoje-em-sbc.jhtm

Escolas de AL devem reorganizar calendário após cheias

Agência Estado


As escolas localizadas em cidades alagoanas atingidas pelas enchentes devem reorganizar o calendário escolar, segundo portaria da SEE (Secretaria de Estado da Educação e do Esporte), divulgada na terça-feira no Diário Oficial de Alagoas.

De acordo com Maria José Alves Costa, gerente de Legislação e Normatização de Ensino da secretaria, "as escolas que ultrapassarem os 15 dias do recesso escolar terão de repor as aulas perdidas para que o calendário escolar não seja prejudicado". Para ela, o importante é que a carga horária de cada unidade de ensino seja mantida, dentro do que determina a legislação. "Essas unidades de ensino terão de cumprir a carga obrigatória, que é de 800 horas em um ano letivo de 200 dias."

A reposição de aulas e as atividades escolares que foram suspensas estão direcionadas às unidades dos municípios de Santana do Mundaú, Joaquim Gomes, São José da Laje, União dos Palmares, São Luiz do Quitunde, Matriz do Camaragibe, Jundiá, Jacuípe, Branquinha, Paulo Jacinto, Quebrangulo, Capela, Cajueiro, Atalaia, Viçosa, Rio Largo, Murici, Satuba e Ibateguara.
retirado do site:http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/07/01/escolas-de-al-devem-reorganizar-calendario-apos-cheias.jhtm

Funcionários desocupam reitoria da USP; local voltará a funcionar na segunda

Os funcionários da USP deixaram na manhã desta quinta-feira o prédio da reitoria da universidade que estava ocupado desde o dia 8 de junho. Ontem, a categoria aceitou a proposta feita pela reitoria, e, com isso, encerrou a greve iniciada em 5 de maio.

De acordo com a administração da USP, o prédio da reitoria deve passar por perícia ainda nesta quinta e amanhã (2) será feita limpeza do local, que deve voltar a funcionar apenas na semana que vem.

Na proposta aceita pelos funcionários, a reitoria garantiu o pagamento dos salários descontados de cerca de mil grevistas quatro dias após o retorno ao trabalho. A universidade também disse que não haverá punição decorrente das atividades relacionadas ao movimento de "mera greve".

Os grevistas consideraram que a proposta da universidade teve pouco avanço, mas a avaliaram como positiva. Na assembleia que decidiu encerrar a greve, os funcionários, insatisfeitos com o termo "mera greve", conseguiram sua retirada do acordo final.

Íntegra da proposta:

1) Encerrada a paralisação e retomadas as atividades normais da universidade, a reivindicação de concessão de uma referência (5%) na carreira dos servidores técnico-administrativos e demais benefícios, será examinada durante as negociações da pauta específica;

2) O pagamento dos salários descontados correspondentes aos dias não trabalhados em virtude da paralisação, referentes aos meses de maio e junho, será realizado em até quatro dias úteis após o encerramento da paralisação, em folha avulsa, mediante compromisso de reposição do trabalho não realizado, comprovado pelas chefias;

3) Não haverá punição decorrente das atividades relacionadas ao movimento de mera greve;

4) As negociações da pauta específica terão início no dia 5 de julho do corrente ano.
retirado do site:http://www1.folha.uol.com.br/saber/760141-funcionarios-desocupam-reitoria-da-usp-local-voltara-a-funcionar-na-segunda.shtml

Curso técnico é a opção para formar mão de obra no Ceará

Portal do MEC
Em busca de qualificação para o mercado de trabalho, 800 estudantes cearenses estão matriculados em quatro cursos profissionalizantes da Escola Técnica Aberta do Brasil (e-Tec), estabelecidos após consulta às prefeituras sobre carência no mercado de trabalho. Oferecidos em sete polos pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, os cursos técnicos a distância possibilitam a formação nas áreas de informática, eletrotécnica, segurança do trabalho e edificações.

Segundo a coordenadora da e-Tec no estado, Ana Claudia Uchoa Araújo, não só estudantes, mas o mercado de trabalho “deposita esperança nos cursos técnicos a distância”. Os polos estão nos municípios de Aracati, Horizonte, Crateús, Caucaia, Tauá, Quixeramobim e Mauriti. “A perspectiva é que a formação desses profissionais incremente um mercado de trabalho que hoje apresenta déficit significativo para o estado”, diz Ana Claudia. “Precisamos desses profissionais e eles precisam de uma formação, possibilitada pelo ensino a distância.”

Os estudantes do Ceará são parte dos 22.322 alunos em 48 cursos da e-Tec pelo país, em um total de 194 polos de apoio presencial. Nesses polos, os estudantes encontram a infraestrutura necessária — biblioteca, material didático impresso, salas de tutoria e laboratórios. Além disso, contam com a tecnologia para a formação. Ou seja, plataformas, vídeos, salas de diálogos, fóruns e bibliotecas digitais.
De acordo com Ana Cláudia, o instituto cearense deve chegar à marca dos 1,2 mil estudantes neste segundo semestre, em cursos com duração de um ano e meio a dois anos. Ela prevê a expansão do número de cursos. Para definir quais serão oferecidos e a necessidade dos municípios, será realizado encontro regional em cada um, com audiência pública.

Parceria — O programa Escola Técnica Aberta do Brasil foi criado para expandir e democratizar a oferta de cursos técnicos de nível médio, especialmente na periferia das áreas metropolitanas. Resultado de parceria entre as secretarias de Educação a Distância (Seed) e de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação e instituições públicas de ensino técnico, o e-Tec Brasil integra o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) e tem como base a estrutura idealizada para o Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB).

Os cursos, gratuitos, contam com tutoria presencial e a distância. O processo seletivo dos alunos é de responsabilidade das instituições. O MEC financia o material didático impresso e virtual, além de garantir o pagamento de bolsas aos tutores. Além do instituto federal do Ceará, outras 35 instituições, entre universidades estaduais e federais e institutos federais oferecem os cursos.

Rafania Almeida

Instituição de Brasília ganha novo campus e abre inscrições

Potal do MEC
Taguatinga Centro acaba de ganhar um campus avançado do Instituto Federal de Brasília. A sede é o prédio da antiga Receita Federal, que foi totalmente reformado e adaptado. A cerimônia de instalação será nesta quarta-feira, 1º de julho, às 10h. A escola conta com três laboratórios de informática, quatro salas de aula, um auditório e dependências administrativas, e já oferece cursos nas áreas de informática, gestão e comércio.

O prédio, em Taguatinga Centro, será a sede do campus Taguatinga até que as instalações definitivas estejam prontas, em dezembro deste ano. Depois, funcionará como campus avançado do Instituto Federal. Taguatinga será contemplada, portanto, com dois braços do Instituto Federal de Brasília (IFB).

Criado pela lei 11.892, de 29 de dezembro de 2008, o Instituto Federal de Brasília está recebendo investimentos de R$ 25 milhões. Com esses recursos, cinco novos campi estão sendo instalados em Planaltina, Taguatinga, Samambaia, Gama e no Plano Piloto. Os cursos oferecidos pelo instituto são gratuitos.

Quatro campi do instituto estão com inscrições abertas para o processo seletivo até 15 de julho. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pela internet ou presencialmente, nas escolas de Planaltina, Gama, Samambaia e Taguatinga. O início das aulas será ainda neste segundo semestre de 2010. Para se candidatar, o estudante deverá possuir, até a data da matrícula, o ensino médio completo.

Os cursos e vagas oferecidos são os seguintes, nos respectivos campi: No Campus Planaltina, 40 vagas para o curso técnico em agropecuária, ofertado no período vespertino, e 40 vagas para cada turno do curso técnico em agroindústria; no Campus Gama, 40 vagas no período noturno para o curso técnico em logística; no Campus Samambaia, 40 vagas para o curso técnico em reciclagem, no período noturno; no Campus Taguatinga, 40 vagas para técnico em comércio e 40 para o curso técnico em manutenção e suporte de informática, ambos no período noturno.

Outras informações podem ser consultadas na página do instituto na internet ou pelo telefone 0800 644 5430.

Assessoria de Imprensa da Setec
Palavras-chave: Institutos federais, Educação profissional, Instituto Federal de Brasília, Setec

Escola de Natal aproxima alunos, pais e funcionários

Portal do MEC
Quinta-feira, 01 de julho de 2010 - 10:40
Promover a cidadania é uma das preocupações da Escola Municipal Professora Emília Ramos, no bairro Cidade Nova, na periferia de Natal. A instituição atende cerca de mil alunos do primeiro ao terceiro ano do ensino fundamental e da educação de jovens e adultos. Os estudantes, na maioria, são filhos de trabalhadores com renda abaixo do salário mínimo.

“A promoção da cidadania na escola tem como meta contribuir para a formação dos alunos, permitir que eles se reconheçam como cidadãos de direitos e deveres e possam se conduzir na sociedade de forma crítica e autônoma”, diz a vice-diretora da escola, Regina Maria da Silva Dantas, 22 anos de magistério, pedagoga com especialização em educação de jovens e adultos.

Com o programa Emília em Família, a escola desenvolve ações de acordo com os temas de ensino-aprendizagem usados diversos níveis de ensino. “Abordamos temas de relevância para a construção da cidadania, com visão de mundo crítico-reflexiva”, explica a coordenadora pedagógica Tânia Maria Fernandes Oliveira. “Buscamos estimular os alunos a projetar o futuro pelo resgate dos estudos.”

Mestre em educação, há 26 anos no magistério, Tânia salienta que a principal meta da escola é a aproximação de pais ou responsáveis na proposta curricular e administrativa.

Um dos projetos do programa é o Encontro com a Família. Nele, são promovidas oficinas para permitir aos pais compreender melhor as atividades realizadas na escola. Há também encontros de formação para funcionários, destinado a melhorar a qualidade do trabalho oferecido à comunidade. Este ano, o tema do encontro com os funcionários foi A Ética Voltada para a Formação do Ser.

De acordo com Tânia, os encontros com as famílias incluem momentos lúdicos, palestras, estudos de casos e oficinas que sintetizam a vivência dos filhos na sala de aula. Dependência química, inclusão e exclusão social, desenvolvimento infantil, beleza e artesanato estão entre os temas tratados.

Fátima Schenini

Saiba mais no Jornal do Professor

Palavras-chave: ensino fundamental, jovens e adultos, cidadania

Chuvas no Nordeste levam à prorrogação do prazo de escolha para o dia 8

Portal do MEC
Quinta-feira, 01 de julho de 2010 - 12:15
As chuvas que castigaram o Nordeste em junho levaram o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) a prorrogar o prazo para a escolha, pelas escolas públicas, das obras do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). Agora, professores e diretores têm até o dia 8 para indicar os livros que serão usados nos próximos três anos pelos estudantes do sexto ao nono ano do ensino fundamental.

Em função das chuvas, muitas escolas não receberam as senhas de acesso ao sistema de escolha, enviadas pelos Correios. “Em Alagoas, por exemplo, grande parte da correspondência com as senhas acabou molhada, o que inviabilizou o uso”, disse a coordenadora geral dos programas do livro do FNDE, Sonia Schwartz.

Com as novas senhas já encaminhadas, a extensão do prazo será suficiente para que os professores façam a indicação dos livros com os quais pretendem trabalhar de 2011 a 2013.

Até o momento, 44% das instituições de ensino fizeram a escolha. Os professores devem registrar a opção no Sistema de Controle de Material Didático (Simad), na página eletrônica do FNDE. Ali, também encontrarão orientações para o correto preenchimento dos dados.

Nesta edição do PNLD, serão beneficiados os estudantes do sexto ao nono ano do ensino fundamental. Eles receberão livros de português, matemática, história, geografia, ciências e língua estrangeira — inglês ou espanhol.

Assessoria de Comunicação Social do FNDE
Palavras-chave: livro didático, PNLD, FNDE

A Importância da Administração de Cargos e Salários

A Administração de Cargos e salários é um dos pontos mais importantes para que se possa fazer gestão de recursos humanos é preciso elaborar ...